BARRA ANIMADA


Translate

SEJA BEM VINDO


BARRA 2


Mensagem


A Frequência Fotônica Pleiadiana e a Nova Era do Fóton


domingo, 26 de abril de 2015

Alterações drásticas que estão Ocorrendo em Nosso Planeta - Parte 2







O Brasil de pouco tempo pra cá vem experimentando situação que até então não conhecia, mas foi em 2004 que tivemos o primeiro Furacão, e depois disso não parou mais. Aqui no nosso país, também não se ouvia falar tornado, mas pelo que eu sei, o nosso primeiro foi em 20007/2008 e também não parou mais. Terremotos? Quem disse que no Brasil tem Terremotos? Pois estamos de um tempo pra cá conhecendo isso também.


Hoje o nosso país que tínhamos orgulho de dizer, que não existia nada disso, também está mudando como o resto do mundo, e não estamos livres dessas catástrofes. Preparamos-nos pois as coisa só vão ficar cada vez piores.

Tempestades com Granizo , Muito Calor, Muito Frio, Chuvas Torrenciais, Ventos Muito Fortes. Furacões, Tornados, Terremotos, no momento ainda não temos Vulcões, mas isso não é impossível de acontecer. Não tivemos Tsunamis ainda, mas isso também pode acontecer. Ilhas Canárias te lembra alguma coisa?

Deslizamentos em Santa Catarina
CATÁSTROFE SANTA CATARINA





Pessoas saqueiam supermercado em Itajaí (SC), nesta terça-feira. Vários estabelecimentos comerciaise casas foram saqueados na cidade, localizada na região nordeste do Estado, uma das mais atingidas pelas chuvas. Segundo relatos, quem não se envolveu nos saques, tenta comprar grandes quantidades de alimentos para estocá-los. 





27/11 - Vítimas das fortes chuvas em Santa Catarina recolhem produtos de supermercado em meio a enchente.



Foto aérea de Blumenau após sofrer sérios estragos causados pela chuva dos últimos dias.






Imagem aérea mostra casas destruídas por deslizamento de terra em bairro nobre de Blumenau (SC)




Vista aérea de uma casa em Blumenau (SC) destruída após um deslizamento de terra por conta das fortes chuvas no Estado.

 
Região alagada pelas águas do rio Itajaí-Açu no bairro Volta Grande, em Navegantes (SC).


24/11 - Ruas de Joinville alagadas por causa das fortes chuvas dos últimos dias. Foi declarado estado de emergência. O governador de Santa Catarina, Luiz Henrique Silveira (PMDB), disse que os deslizamentos de terra são o fator mais dramático das chuvas que atingem o Estado "Quatro mesesde chuva batida, sem parar, estão dissolvendo a terra e as casas estão desabando. Temos 7.300 desabrigados em alojamentos públicos", afirmou em entrevista à Rede Eldorado de Rádio.


24/11 - A forte chuva provocou alagamentos em Joinville, no bairro Jardim Sofia.

 
24/11 - Rua 25 de Julho, em Blumenau (SC), ficou completamente alagada, e moradores estão sendo evacuados de suas casas; o corpo de bombeiros e o exercito estão ajudando nas operações. Foi decretado estado de calamidade pública na cidade.

 
24/11 - Deslizamento causa prejuízos em Florianópolis, no bairro Saco Grande.

 
23/11 - O transbordamento do rio Itajaí-Mirim alagou a cidade de Brusque - SC, e vários bairros do interior também foram atingidos. O cenário se repete em diversos municípios do Vale do Itajaí. O governador do estado decretou estado de emergência.































































































Deslizamentos em Minas Gerais




Em Minas Gerais, 81 municípios decretaram situação de emergência e 48 registraram prejuízos devido aos estragos causados pelas chuvas. No Sul de Minas, já choveu na primeira quinzena de janeiro entre 250 e 300 milímetros, o que equivale à média histórica para o mês. Na Região Metropolitana de Belo Horizonte, a média histórica é igual e já choveu entre 150 e 200 milímetro.

Segundo a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de Minas Gerais (Cedec/MG), 16 pessoas morreram, 72 sofreram ferimentos, 17 mil ficaram desalojadas e cerca de 2,3 mil estão desabrigadas. Ainda, segundo a entidade, as chuvas em Minas Gerais provocaram danos em 130 municípios, com 6.229 casas danificadas e 233 destruídas. Além disso, 339 pontes foram danificadas e 104 foram destruídas. Abaixo, confira a reportagem que mostra os danos causados pela chuva nas cidades mineiras:




09/01/2012
Em Ouro Preto, deslizamento de terra que causou a quinta vítima das fortes chuvas








10.set.2014 
Um deslizamento ocorrido nesta quarta-feira (10) soterrou operários dentro de uma mina localizada na cidade de Itabirito, em Minas Gerais.

minaschuva
18 de dezembro de 2013
A Defesa Civil de Minas Gerais confirmou mais uma morte devido ao deslizamento que deixou uma família soterrada em Córrego do Malacacheta, zona rural do município de Sardoá (MG). 






Tornado Santa Catarina em 2008
O primeiro tornado no Brasil, depois desse foram surgindo outros, e com mais intensidade...

Tornado em Tubarão Santa Catarina , foi o Tornado mais documentado ate agora no Brasil.

Tornado em Tubarão-SC 16/02/2008



TORNADO ATINGE URUPEMA - SC - Brasil

video feito por Filipi Nunes Camargo dia 31/12/2008 as 20:00 horas, o Fenomeno durou aproximadamente 7 minutos.

7/SETEMBRO/2009

Um intenso núcleo de tempestade atingiu o município de Guaraciaba, oeste de Santa Catarina, durante a noite de 7 de setembro/2009, dando origem a um tornado (possivelmente um F3, pelos estragos causados). Às 21 h, os ventos derrubaram tudo que havia em seu caminho, causando destruição e pelo menos 4 mortes.
Núcleo principal da tempestade que originou o tornado de Guaraciaba-SC, na cor rosa, dentro do círculo azul.   Foto: Central de Meteorologia RBS.



Aspecto de uma das áreas atingidas pelo tornado.  
Foto:   SDR- São Miguel do Oeste-SC


Plantação de Eucaliptos após a passagem do tornado.
Foto:  Leomar Balbinot


Marca da destruição...   Foto:  José Carminatti



Outra imagem da destruição causada pelo tornado, por José Carminatti.


























Estádio esportivo de Guaraciaba, parcialmente destruído.
Foto:  Diário Catarinense


Localização da cidade, no mapa.





A Temporada de ciclones no Brasil de 2007 
É uma época em que os ciclones atingem o Brasil. Teve seu auge em abril e setembro. Fenômenos como depressão tropical, tempestade tropical, ciclone tropical e furacão, são muito raro se acontecer no atlântico sul. Porém se por acaso esses fenômenos acontecerem, serão relatados nesta página.
Um ciclone (ou depressão ou centro de baixas pressões) é uma região em que o ar relativamente quente se eleva e favorece a formação de nuvens e precipitação. Por isso, tempo nublado, chuva e vento forte estão normalmente associados a centros de baixas pressões. A instabilidade do ar produz um grande desenvolvimento vertical de nuvens cumuliformes associadas a cargas de água.
Nesse ano não houve formação de ciclones em janeiro, que é uma época onde acontecem muitas tempestades extratropicais no Brasil. A primeira formação, o Primeiro Ciclone extratropical ocorreu em 1 de fevereiro e atingiu o arquipélago de Fernando de Noronha.
Como não há alguma lista específica com nomes para batizar os ciclones que se formam no atlântico sul, os ciclones serão tratados pela ordem de ocorrência em 2007.

Primeiro ciclone extratropical


 (EFSS)
[[Imagem:|150px|]]
Duração1 de fevereiro de 2007—3 de fevereiro de 2007
Intensidade50 km/h,
O primeiro ciclone a atingir o Brasil foi classificado como Ciclone extratropical, atingiu Fernando de Noronha no dia 2 de fevereiro de 2007. O arquipélago foi atingido por ondas de mais de quatro metros “Um ciclone extratropical, com ventos intensos e duradouros, que está cobrindo grandes regiões, tem formado esse swell”, diz o matemático, há mais de dez anos estudando ondas. Havia vento de 50 km/h. Segundo a Escala de Beaufort, os ventos desse ciclone foram considerados muito Fresco.
Segundo ciclone extratropical
 (EFSS)
[[Imagem:|150px|]]
Duração10 de fevereiro de 2007—14 de fevereiro de 2007
Intensidade65 km/h,
O segundo ciclone extratropical, atingiu o litoral paulista no dia 11 de fevereiro de 2007. Sua maior rajada foi de 65 km/h. Causando fortes rajadas de vento em alto-mar e provocando agitação marítima em todo o litoral. A Defesa Civil alertou também para o risco de transbordamentos de rio e deslizamentos de terra, sobretudo na metade leste de São Paulo, por causa da ocorrência de chuvas. Os ventos deste ciclone extratropical foi considerado pela Escala de Beaufort como Forte.
Terceiro ciclone extratropical
 (EFSS)
[[Imagem:|150px|]]
Duração19 de maio de 2007—22 de maio de 2007
Intensidade100 km/h,
O terceiro ciclone a atingir o Brasil em 2007 atingiu a costa de Santa Catarina e Rio Grande do Sul no dia 21 de maio de 2007. Com ventos de 100 km/h o ciclone provocou vários estragos nas regiões afetadas. Os ventos deste ciclone extratropical considerado pela Escala de Beaufort foi considerado como Muito Duro.
Quarto ciclone extratropical
 (EFSS)
[[Imagem:|150px|]]
Duração12 de junho de 2007—15 de junho de 2007
Intensidade80 a 90 km/h,
O quarto ciclone a afetar o Brasil em 2007, atingiu a costa de Santa Catarina e Rio Grande do Sul no dia 14 de junho de 2007. Esse ciclone foi pouco mais fraco que ciclone anterior, com rajadas de 80 a 90 km/h, o ciclone causou pequenos estragos por onde passou. Os ventos deste ciclone foram considerado pela Escala de Beaufort como Muito Duro.
Quinto ciclone extratropical
O quinto ciclone extratropical atingiu no dia 23 de junho de 2007 Santa Catarina e Rio Grande do Sul. No Rio Grande do Sul os ventos chegaram a 90 km/h, já em Santa Catarina na cidade de Chapecó que fica no oeste do estado, os ventos chegaram a 70 km/h. Foram causados alguns danos às áreas afetadas pelo ciclone. Os ventos deste ciclone foram considerado pela Escala de Beaufort como Muito Forte.

Sexto ciclone extratropical

 (EFSS)
[[Imagem:|150px|]]
Duração18 de julho de 2007—19 de julho de 2007
Intensidade90 km/h,
O sexto ciclone extratropical a atingir o Brasil em 2007 novamente atingiu Santa Catarina e Rio Grande do Sul no dia 18 de julho de 2007. Com ventos de 60 km/h e rajadas de quase 100 km/h o ciclone causou vários estragos por onde passou. Os ventos deste ciclone foram considerado pela Escala de Beaufort como Muito Duro.

Sétimo ciclone extratropical

 (EFSS)
[[Imagem:|150px|]]
Duração29 de julho de 2007—1 de agosto de 2007
Intensidade55 km/h,
O sétimo ciclone extratropical de 2007 provocou ondas de até cinco metros de altura, em Caraguatatuba, a 173 km de São Paulo no dia 30 de julho de 2007. A ressaca do mar foi tão forte que arrastou areia pela Rodovia Rio-Santos.

Oitavo ciclone extratropical

 (EFSS)
[[Imagem:|150px|]]
Duração19 de agosto de 2007—20 de agosto de 2007
Intensidade60 km/h,
Esse ciclone extratropical se formou entre o litoral do Uruguai e sul do Rio Grande do Sul no dia 20 de agosto de 2007, provocou rajadas de vento de 60 km/h em Santa Catarina, principalmente nas regiões Planalto Sul, Litoral Sul e Grande Florianópolis. O mar fica muito agitado com ondas de sul de 1,5metro a 2,0 metros, com picos de até 3,5 metros um pouco mais afastado do litoral. Os ventos deste ciclone foram considerado pela Escala de Beaufortcomo Muito Forte.

Nono ciclone extratropical

 (EFSS)
[[Imagem:|150px|]]
Duração23 de setembro de 2007—25 de setembro de 2007
Intensidade106 km/h,
O nono ciclone extratropical que atingiu o Brasil, atingiu o Rio Grande do Sul no dia 24 de setembro com a maior rajada de 106 km/h. Houve problemas na rede elétrica com milhares de consumidores afetados pela falta de luz. Os ventos deste ciclone foram considerado pela Escala de Beaufort como "Tempestade".

Décimo ciclone extratropical

 (EFSS)
[[Imagem:|150px|]]
Duração8 de outubro de 2007—10 de outubro de 2007
Intensidade50 km/h,
O décimo ciclone a atingir o Brasil atingiu os estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Mato Grosso do Sul no dia 9 de outubro de 2007. Uma frente fria avança pelo Sudeste e o Centro-Oeste do Brasil aumentando a nebulosidade e provocando chuva em São Paulo e em Mato Grosso do Sul.
Segundo a Climatempo, um ciclone extratropical associado a frente fria força o mar a subir na costa Sul do país e houve ressaca, com ondas por volta de 3 metros. Houve ressaca no Rio de Janeiro. Os ventos deste ciclone foram considerado pela Escala de Beaufort como Muito Fresco.

Décimo primeiro ciclone extratropical

 (EFSS)
[[Imagem:|150px|]]
Duração15 de outubro de 2007—16 de outubro de 2007
Intensidade61 km/h,
O décimo ciclone extratropical de 2007 no Brasil se formou no litoral do Rio Grande do Sul e avançou para Santa Catarina no dia 15 de outubro de 2007 com pouca intensidade. No sul de Santa Catarina os ventos chegaram a 60 km/h e muita chuva. Quando o ciclone ia se deslocando para o Vale do Itajaí e Norte do estado já perdendo força, ele se dissipou. Os ventos deste ciclone foram considerado pela Escala de Beaufort como Forte.

Décimo segundo ciclone extratropical

 (EFSS)
[[Imagem:|150px|]]
Duração20 de outubro de 2007—23 de outubro de 2007
Intensidade83 km/h,
O Décimo Segundo Ciclone extratropical, atingiu Santa Catarina e Rio Grande do Sul no dia 21 de outubro. Pelo menos oito cidades catarinenses registraram danos devido à queda de granizo entre a noite de sábado e a madrugada de domingo. As cidades mais afetadas pelo temporal foram: São João Batista,Itapitanga, Angelina, Bocaina do Sul, Abdon Batista, Braço do Norte,Blumenau, Criciúma, Florianópolis, Campos Novos, Concórdia, Chapecó e Arroio da Silva.

Décimo terceiro ciclone extratropical

 (EFSS)
[[Imagem:|150px|]]
Duração1º de novembro de 2007—2 de novembro de 2007
Intensidade120 km/h,
O décimo terceiro ciclone da Temporada de ciclones no Brasil de 2007 atingiu Imbituba que fica em Santa Catarina, com ventos de 120 km/h na madrugada do dia 11 de novembro de 2007. O ciclone devastou parte da arena do Hang Loose Santa Catarina Pro na Praia da Vila, com toda a área dos surfistas e também a construída para os convidados sendo destruída e arremessada por cima da cerca que separa a rua da praia com a do Porto de Imbituba. Os ventos classificados pela Escala de Beaufort foram considerados como força de furacão. Até agora (novembro-2007) esse ciclone foi o mais forte registrado nesta temporada.




Total de visualizações de página

Página FaceBook