BARRA ANIMADA


Translate

SEJA BEM VINDO


BARRA 2


Mensagem


A Frequência Fotônica Pleiadiana e a Nova Era do Fóton


segunda-feira, 13 de abril de 2015

O CASO DOS SLIDES DOS ALIENÍGENAS DE ROSWELL



Modelo de sala de autópsia exposto no Museu deRoswell, com materiais usados no filme O Caso Roswell, de 1994


Multiplicam-se evidências de que imagens, que devem ser exibidas na Cidade do México em maio, não merecem credibilidade

O caso dos slides que alegadamente mostrariam os corpos de alienígenas capturados em Roswell, na queda do UFO ocorrida em julho de 1947, segue causando polêmica na Ufologia Mundial. Conforme foi publicado anteriormente, em novembro de 2014, no site da Revista UFO, aconteceu no dia 12 daquele mês um debate na Universidade Americana, prestigiosa e respeitada instituição daquele país. Dele tomaram parte Leslie Kean, Richard Haines, Charles I Halt e Thomas Carey.

E foi este último que criou polêmica no evento,alegando estar de posse, ao lado do colega Din schmitt, de fotografias em kodachrome ou slides que mostrariam um alienígena guardado em umrecipiente de vidro. Alega-se que os slides faziam parte de um numeroso lote de imagens que antes pertenciam a uma advogada de Midland, Texas, e de seu marido, geólogo, que, sempre de acordo com Carey, estariam muito bem relacionados a pessoas poderosas e influentes da política norte-americana. As alegações repercutiram muito mal no evento da Univesidade Americana, a ponto de Leslie Kean, entrevistada na edição 182 da Revista UFO, haver escrito no Facebook: "Não tive nada a ver com a parte em que se falou de Roswell. Quero deixar isso bem claro".

Algum tempo depois uma terceira figura se uniu a Carey e Schmitt, o jornalista Jaime Maussan, e foi anunciado em fevereiro passado que um evento ocorrerá no Auditório Nacional, na Cidade do México, em 05 de maio de 2015, quando serão reveladas as imagens em transmissão viastreaming. Também foi divulgado um trailer do evento, disponibilizado abaixo, onde é contada parte da história que, diga-se de passagem, tem suspeita semelhança com a dos pretensos filmes da famosa autópsia de Roswell, alardeado por Ray Santilli, e que se revelou uma lamentável fraude. As suspeitas cresceram entre a parte séria da Ufologia Mundial, pois se os referidos slides são de fato uma prova irrefutável das visitas extraterrestres, deveriam ser dadas a conhecer imediatamente para toda a humanidade.

STANTON FRIEDMAN NEGA-SE A PARTICIPAR DE EVENTO
Um dos mais duros golpes na história dos slides de Roswell foi revelado no começo de abril, quando Stanton Friedman, o pesquisador que redescobriu o Caso Roswell no final dos anos 70, apresentou uma declaração em que dizia ter sido convidado por Schmitt e Maussan para participar do evento na Cidade do México. O veterano pesquisador afirmou ter pesquisado tudo que pôde a respeito, sem conseguir encontrar nada que ligasse os tais slides a Roswell: "Não me forneceram cópias dos slides. Não consegui encontrar qualquer informação convincente de que exista qualquer conexão entre os slides e o caso. E como uma pessoa estranha, como o referido geólogo, poderia ter acesso aos corpos dos alienígenas? Não encontrei dados que indicassem fraude, mas tampouco o contrário ocorreu. E não quero adicionar legitimidade ao evento pela minha presença, na ausência de evidências sérias de que os slides sejam o que estão alegando".


Stanton Friedman negou-se a dar seu aval aos slides
Stanton Friedman negou-se a dar seu aval aos slides
Kevin Randle, pesquisador norte-americano que nos últimos tempos se envolveu em uma polêmica com Friedman, questionando a autenticidade dos documentos Majestic 12, comentou que o veterano pesquisador aparentemente teve fortes motivos para evitar seu envolvimento. E Randle ainda denunciou outra atitude muito suspeita dos organizadores, a de que na Cidade do México não serão mostradas as imagens originais, mas somente cópias das mesmas. Conforme ele explica, filmes da época sempre trazem em cada slide códigos de produção e data, com o que sua análise poderia confirmar que os filmes são mesmo de 1947, o que sem dúvida contribuiria para sua autenticidade. Sem a possibilidade de análise das imagens originais, qualquer outra documentação apresentada perde muito de sua credibiildade, Randle afirma. Além disso, o pesquisador aponta que serão apresentadas somente análises de indivíduos que teriam sido contratados por Carey, Schmitt e Maussan, ou seja, partes igualmente interessadas, o que diminui ainda mais a credibilidade de todo o episódio. Sequer o alegado dono atual das imagens será apresentado na Cidade do México, mais um elemento que aponta para o lamentável fato de que todo o caso não merece ser classificado como legítimo.





Total de visualizações de página

Página FaceBook