BARRA ANIMADA


Translate

SEJA BEM VINDO


BARRA 2


Mensagem


A Frequência Fotônica Pleiadiana e a Nova Era do Fóton


quinta-feira, 30 de abril de 2015

Teria a NASA acidentalmente encontrado um bolha de velocidade de dobra?

warpspeed-585x306


Cientistas da NASA, que estão trabalhando num projeto chamado EmDrive, acidentalmente se depararam com algo que deixará os fãs de ficção científica muito empolgados.


A possibilidade de um motor de velocidade de dobra real foi colocada em questão, graças às leituras indicando que a câmara de ressonância do EmDrive enviou fachos que viajam mais rápido do que a velocidade da luz, o que pode ser considerado como velocidade de dobra (do espaço).  Pesquisadores já haviam considerado a possibilidade da viagem mais rápida do que a velocidade da luz, mas até o recente estudo da NASA este feito não havia sido conseguido.


O site Mysterious Universe mencionou que os cientistas estão mostrando seu entusiasmo sobre a descoberta nos Fóruns Spaceflight da NASA.  Estes fóruns são locais de apresentação de informação a respeito dos aspectos de engenharia do voo espacial e da NASA.  Assim, a descoberta de que fachos de laser podem ter rompido a velocidade de luz abriu um leque de discussão sobre as implicações a longo prazo de bolhas de velocidade de dobra e a possibilidade de futuras viagens espaciais usando esta tecnologia.

Primeiro, os pesquisadores apontam que, embora os fachos que foram disparados no EmDrive registraram velocidades maiores do que a da luz, ainda há mais um estudo que deve ser feito, a fim de determinar com segurança se a barreira da velocidade da luz foi mesmo quebrada.  Os cientistas dizem que os fachos devem ser disparados através do EmDrive, num ambiente de vácuo.  Isto assegurará que o efeito não tenha sido o resultado de aquecimento atmosférico.


“Eu não acho que podemos com certeza chamar isto de contração de comprimento (embora pareça assim), até que os mesmos resultados sejam repetidos no vácuo”.
Os comentaristas nos fóruns apontam que a descoberta foi um grande acidente e que os pesquisadores nem mesmo perceberam que o EmDrive estava replicando uma teoria bem conhecida dos físicos, que é a de bolhas de dobra.
“Essa é a grande surpresa.  Esta assinatura (o padrão de interferência) no EmDrive é bem similar ao que as bolhas de dobra se parecem.  E, aparentemente, a matemática por detrás das bolhas de dobra combinam com o padrão de interferência encontrado no EmDrive. Parece haver conexões acidentais.  Eles estavam imaginando de onde este ’empuxo’ 
poderia ter vindo.  Um cientistas propõe que talvez seja uma dobra da espuma espaço/tempo, que esteja causando o empuxo.”


O físico Miguel Alcubierre é quem sugeriu o conceito de bolha de dobra, que dobraria o espaço/tempo ao redor de objetos.  A ideia é a de que uma bolha de dobra poderia ser criada, dentro da qual uma espaçonave estacionária poderia estar.  A bolha na frente da nave contrairia o espaço/tempo, enquanto atrás estes seriam expandidos.  Porém, a ideia nunca foi provada como plausível, até esta recente descoberta do EmDrive.

Um protótipo do EmDrive.

Um protótipo do EmDrive.

Algumas pessoas nos fóruns da NASA estão procurando pela possibilidade de viagem no tempo, caso a velocidade de dobra seja atingida num ambiente de vácuo.  Eles dizem que os viajantes espaciais não seriam esmagados pelas velocidades intensas, porque o modelo de Alcubierre colocaria a nave numa velocidade estacionária.

“Não esqueça que a nave não está realmente se movendo em velocidades relativistas: o espaço está.  Consequentemente, você pode fazer uma viagem até Alfa Centauro em dois dias (ou  menos com mais potência… quem sabe?), virar a sua nave e observar a Terra como ela era há quatro anos (pois a luz demora quatro anos para chegara lá – é uma carroça!).  Você poderia observar Alfa Centauro como ela é ‘hoje’, e como as pessoas na Terra a verão em quatro anos.  

Com este tipo de tecnologia, seria possível predizer quando os eventos localmente passados serão observados do ponto de vista da Terra (ou qualquer outro ponto que a luz de tais eventos ainda não tenha alcançado) Por exemplo, uma nave a 1 dia luz de distância da Terra, no lugar certo, poderia testemunhar uma supernova antes da Terra e então ser capaz de retornar à Terra quase que instantaneamente, e contar aos astrônomos sobre a luz que está vindo, para que eles se preparem para observá-la.”


Total de visualizações de página

Página FaceBook