BARRA ANIMADA


Translate

SEJA BEM VINDO


BARRA 2


Mensagem


A Frequência Fotônica Pleiadiana e a Nova Era do Fóton


quarta-feira, 22 de abril de 2015

THOTH, DEUS LUNAR DA SABEDORIA



O deus egípcio Thoth era também conhecido como Tehuti, Thout, Djehuti e Zehuti. Era o Senhor dos Livros e do Saber, o Juiz dos Deuses, o diretor dos planetas e das estações, e o escriba dos deuses. Os gregos o identificavam com Hermes.


Ele era considerado autoconcebido e autoproduzido.
Thoth era chamado de o "Senhor das Palavras Sagradas", pois inventou os hieróglifos e os números. Como o Ancião, ele foi o primeiro e o maior dos magos, o Mago Supremo. Era mais poderoso que Osíris e Ra. Era o patrono dos sacerdotes e o deus de toda a magia. Thoth foi criador das Quatro Leis da Magia.


Essa deidade possuía a cabeça de um íbis e usava um disco lunar e uma crescente na cabeça; segurava a pena e a palheta de um escriba. Possuía duas esposas, Seshat e Nehmauit. A íbis lhe era sagrada e era associada à Lua.
Em seu centro sagrado em Hermópolis Magna no Alto Egito, seus sacerdotes ensinavam que Thoth criava com o simples poder de sua voz. Numa cripta sob seu templo principal eram mantidos seus livros de magia, os quais eram abertos apenas a seus discípulos iniciados, sendo traduzidos pelos gregos e por povos posteriores nos trabalhos de Hermes Trismegistus e de Kybalion. No Baixo Egito, seu centro ficava em Hermópolis Parva.


Thoth regia a escrita, invenções, artes, adivinhações, comércio, cura, iniciação, música, sucesso, sabedoria, medicina, astronomia, geometria, pesquisas, desenhos, ciência, meditação do tempo, cálculos e inventários, arquivos, julgamento, rituais, a lei, astrologia, o alfabeto, fala, gramática, arbitrariedade, equilíbrio, poderes mentais, a Lua, botânica, teologia, hinos e orações, leitura, paz, aprendizado, livros, verdade, os registros Akashicos, o destino.


Para este ritual, serão necessários:

Seus instrumentos ritualísticos;
Um sistro ou chocalho;
Um caduceu (ou um bastão entrelaçado com dois pedaços de corda azul);
Um pedaço de doce (sendo o doce um componentes dos antigos rituais de Thoth).


Apanhe o caduceu com a sua mão de poder e, começando pelo leste, desenhe uma barreira de proteção ao redor da área ritual. Mova-se no sentido horário e termine no leste. De pé diante do altar voltado para o leste, ainda com o caduceu na mão, diga:

"Em Thoth esta o equilíbrio de todas as forças e conhecimentos.
Eu me cerco de equilíbrio.
Que dentro deste círculo de equilíbrio
Thoth e todos os deuses me ajudem
A mergulhar na infinita sabedoria e poder."


Balance o sistro três vezes e diga:

"Salve Thoth,
O autoconcebido,
Mais velho e mais sábio entre os Deuses.
Mago Supremo, criador das Quatro Leis da Magia,
Atenda meu chamado. Instrua-me em todas as coisas.
Salve, Thoth!"


Toque o caduceu no centro de sua testa e diga:

"A Lua prateada envia energias místicas.
Seus raios luminosos abençoam as ervas curativas.
Sonhos flutuam à sua luz brilhante. 
Visões e intuição cavalgam em seus raios mágicos.
Abençoe-me, Thoth da Lua."

Aponte o caduceu para o leste. Balance o sistro três vezes e diga:

"Eu chamo por Thoth e pelos Deuses do Ar
Para me enviarem eloquência e novas idéias."


Aponte o caduceu para o sul. Balance o sistro três vezes e diga:

"Eu chamo por Thoth e pelos Deuses do Fogo
Para me enviarem força da vontade, determinação e novos objetivos."

Aponte o caduceu para o oeste. Balance o sistro três vezes e diga:

"Eu chamo por Thoth e pelos Deuses da Água
Para me enviarem conhecimento psíquico e maior habilidade na magia."

Aponte o caduceu para o norte. Balance o sistro três vezes e diga:

"Eu chamo por Thoth e pelos Deuses da Terra
Para me enviarem habilidades práticas."

Erga o caduceu em saudação acima do altar. Balance o sistro sete vezes e diga:


"O fogo sagrado esta aceso.
As chamas brilham.
O incenso está aceso sobre o fogo.
O incenso brilha.
A fragrância sobe aos Deuses.
Seu despertar é em paz, ó Thoth.
Afaste os seguidores do mal.
Doce é a verdade que traz, ó Juiz dos Deuses.
Doce é a verdade que busco através de você."

Pegue um pedaço de doce e coma-o. Pense nos objetivos que busca, nas habilidades de que necessita e deseja.


"Senhor dos Livros Sagrados, da Cura, do Aprendizado,
Seu auxílio é necessário a este seu(sua) filho(a).
Eu busco a sabedoria e o sucesso.
Eu busco a cura e os poderes psíquicos.
Ensine-me os antigos conhecimentos.
Abra-me o registro de minhas vidas passadas em seu Livros Sagradas,
Os Registros Akáshicos.
Conceda-me o poder e a sabedoria para usá-los sabiamente."


Agora é a hora da meditação e dos encantamentos. Após terminar, canalize a energia para a terra apoiando as palmas de suas mãos no chão. Feche o círculo como de costume.

"A verdade é revelada; a magia se expande.
Boa sorte e saúde fluem de suas mãos.
Riqueza e honra são meu direito.
Derrame sua bênçãos. Banhe-me com luz."

Para que gostar um pouco sobre o Hermetismo, irei passar sete leis do Kabalion para vocês:

São sete as principais leis herméticas, estas se baseiam nos princípios incluídos no livro "O Kaibalion" que reúne os ensinamentos básicos da Lei que rege todas as coisas manifestadas. A palavra Caibalion seria um derivado grego da mesma raiz da palavra Cabala, que em hebraico significa "recepção". O livro descreve as seguintes leis herméticas:

Lei do Mentalismo: "O Todo é Mente; o Universo é mental."

Lei da Correspondência: "o que está fora é o reflexo do que está dentro".

Assim, as atitudes das pessoas ao redor de cada um e as circunstâncias apresentadas não são mais que uma imagem exterior daquilo que vai dentro de cada indivíduo. Como tal, atitudes positivas revelar-se-ão através de reações positivas por parte dos outros.

Lei da Vibração: "Nada está parado, tudo se move, tudo vibra".

Lei da Polaridade: "Tudo é duplo, tudo tem dois polos, tudo tem o seu oposto. 
O igual e o desigual são a mesma coisa. Os extremos se tocam. Todas as verdades são meias-verdades. Todos os paradoxos podem ser reconciliados"

Lei do Ritmo: "Tudo tem fluxo e refluxo, tudo tem suas marés, tudo sobe e desce, o ritmo é a compensação".

Lei do Gênero: "O Gênero está em tudo: tudo tem seus princípios Masculino e Feminino, o gênero manifesta-se em todos os planos da criação".

Lei de Causa e Efeito: "Toda causa tem seu efeito, todo o efeito tem sua causa, existem muitos planos de causalidade mas nenhum escapa à Lei".

Livro de Thoth – A história de um livro maldito




Livro de Thoth

Sempre existiram livros que as autoridades, igreja, combatentes zelosos do desconhecido, procuraram destruir, com freqüência junto com seus autores.
Destinos dramáticos de manuscritos, edições desaparecidas, mortes estranhas. O que ocultam os livros malditos?
Um dos livros mais misteriosos é o livro egípcio antigo “Livro de Thoth”. Considera-se que o deus egípcio antigo da sabedoria e conhecimentos Thoth tinha grande conhecimento que dava poder sobre o mundo. Ele deu aos homens a escrita e era cronista dos deuses.
Era representado na forma de homem, com cabeça de íbis e seu culto na cidade de Hermópolis, estava relacionado com os reinos subterrâneos, e envolto em segredo.
A primeira citação do “Livro de Thoth” é encontrada no papiro de Turim, onde se descreve conspiração contra o faraó usando o livro.
Todos os seus participantes foram executados e o livro maldito, que ensinava ações “contra a lei”, foi queimado.
Posteriormente o livro surge novamente estando à disposição de Khaemwaset, filho de Ramsés II.
Considerava-se que este texto permitia olhar para o sol sem fechar os olhos e também dava poder sobre os mares, terras e estrelas, revelando os segredos da língua dos animais, permitia ressuscitar os mortos e agir à distância. Khaemwaset decidiu que o livro era muito perigoso e queimou-o.
Aproximadamente no ano 300 antes de Cristo o “Livro de Thoth” aparece novamente. Naquela época muitos magos de Alexandria afirmavam que tinham o “Livro de Thoth”.
Essa jactância terminou de modo lamentável – todos eles morreram em consequência de acidentes.
Divulgavam o “Livro de Thoth”, citando-o em textos, reproduzindo trechos isolados. Na Idade Média os divulgadores de manuscritos misteriosos eram queimados cruelmente, mas, mesmo assim, os conhecimentos apareciam.
Apesar de ninguém nunca ter visto com certeza o “Livro de Thoth” impresso ou reproduzido de alguma forma conhecida.
No século XV surgiu uma lenda sobre sociedade secreta, que divulgava um breve resumo do “Livro de Thoth”, em forma de cartões chamados de cartas de Tarô.
Sobre isto escreve em seus trabalhos o cientista francês Antoine Court de Gébelin. Ele afirma que encontrou estes conhecimentos em livro egípcio antigo, que teria escapado depois do incêndio da biblioteca de Alexandria.
Na “Historia da Magia” (1876) de Paul Christian (Pitois) bibliotecário do departamento de educação nacional de Napoleão III também diz que os principais segredos da ciência da civilização egípcia e o conteúdo básico do “Livro de Thoth” estão refletidos nas cartas de Tarô.
Os séculos XIX e XX estão repletos de histórias de magos e alquimistas, que tinham o papiro de Thoth, entretanto ninguém o apresentou ao mundo.
Era muito grande o medo de perecer, pois todos os que recebiam os conhecimentos secretos morriam de morte não natural.
Hoje na biblioteca de Alexandria encontram-se folhas isoladas da primeira cópia do papiro do “Livro de Thoth”. Será realmente o mesmo livro?
A esta pergunta não há resposta, como também, a muitas outras relacionadas com o antigo papiro. Não é tão importante se realmente existiu o manuscrito, as lendas a respeito alimentam nossa imaginação.



Símbolo do deus Egípcio THOTH

Ibis: um egípcio pássaros sagrados e feio, mas muito "limpo"

Era considerado uma ave beneficente, capaz de devorar serpentes venenosas que aterrorizaram a população, e esta é a razão por que associou à saúde Deus Thoth.


Total de visualizações de página

Página FaceBook