BARRA ANIMADA


Translate

SEJA BEM VINDO


BARRA 2


Mensagem


A Frequência Fotônica Pleiadiana e a Nova Era do Fóton


sábado, 18 de abril de 2015

Vida em Marte foi “destruído por um ataque nuclear”, diz o físico John Brandenburg




De acordo com a estranha teoria de um físico norte-americano, uma antiga civilização marciana foi destruída por bombas nucleares alienígenas, que -adverte- também poderiam atacar a Terra.


John E. Brandenburg, um físico de plasma na empresa Orbital Technologies , vem afirmando, desde 2011 que a cor vermelha de Marte é devido a uma explosão termonuclear. “A superfície de Marte é coberta com substâncias radioativas como urânio, tório e potássio radioativo. Uma explosão nuclear poderia ter deixado resíduos no planeta”, disse ele à Fox News, que apresenta sua estranha teoria.
Desde então, o cientista aprofundou suas ideias, segundo a qual a explosão foi causada por uma raça alienígena inteligente, relata o Daily Mail.
A conclusão do último relatório argumenta que os isótopos nucleares na atmosfera de Marte se assemelham aos testes de bombas de hidrogênio, que, de acordo com sua teoria, mostra que é “um exemplo de civilização destruída por um ataque nuclear a partir do espaço “.
Sua pesquisa se baseia na alta concentração de xenônio-129 na atmosfera marciana e urânio e tório encontrados na superfície pela sonda Odyssey da NASA.
De acordo com sua teoria, Marte tinha duas antigas civilizações humanoides. De acordo com o físico, que “revela” que até mesmo os seus nomes -Cydonians e Utopians- estas raças alienígenas tinham um nível tecnológico semelhante aos dos antigos egípcios.
Enquanto isso, os cientistas observam que o aparecimento desses elementos em Marte não é surpreendente, uma vez que são elementos naturais encontrados em todos os lugares.
O físico afirma que antes da explosão Marte apresentava um clima semelhante ao da Terra, e também vida vegetal e animal. Esta versão, diz ele, sugere que devemos também temer um ataque em nosso planeta, por isso, devemos organizar uma missão tripulada a Marte para saber com o que estamos lidando.
John E. Brandenburg terminou a carreira na Universidade da Califórnia Davis, mas, de acordo com o portal de tecnologia, “apostou sua reputação nesta teoria da destruição nuclear de Marte”, que muitos consideram pseudociência.



Total de visualizações de página

Página FaceBook