BARRA ANIMADA


Translate

SEJA BEM VINDO


BARRA 2


Mensagem


A Frequência Fotônica Pleiadiana e a Nova Era do Fóton


quarta-feira, 13 de maio de 2015

O Cinturão de Fótons acelera as mudanças planetárias





O CINTURÃO DE FÓTONS ACELERA AS MUDANÇAS Muitos de vocês já ouviram falar do Cinturão de Fótons. Os seus cientistas vêm monitorando esse cinturão de energia para o “SEU GOVERNO“(n.t. O governo paralelo, das trevas, nos EUA) em segredo nos últimos 50 anos.




É uma enorme onda de energia que esta chegando e se intensificando a partir da matriz de portais que estabelecemos. 
Estas energias estão proporcionando que o seu SOL e os planetas exteriores (Júpiter, Saturno, Urano e Netuno) vibrem muito diferente e estão sendo encorajados a alterar as suas emissões eletromagnéticas tradicionais.

E, logo depois da aflição daqueles dias, O SOL ESCURECERÁ, e a lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão do céu, e as potências dos céus serão abaladas”. Mateus 24:29

Agora, em seu sistema solar, existe uma série de energias que estão chegando e se intensificando a partir da matriz de portais que estabelecemos. Estas energias estão causando que o seu Sol e os planetas exteriores (Júpiter, Saturno, Urano e Netuno) vibrem muito diferente e estão sendo encorajados a alterar as suas emissões eletromagnéticas tradicionais (este já é um fato comprovado cientificamente). Além disso, eles estão gerando quantidades cada vez maiores de grávitons do Sol, Júpiter, Saturno e Netuno.

Cientificamente, esses eventos provocam a criação de vasta  hiperatividade no Sol (*)  e, particularmente, em Júpiter  e Netuno . Esses padrões estão repondo a energia emitida pelo Sol a seus vários planetas afiliados. Por sua vez, Júpiter (n.T. na mitologia grega Zeus o chefe dos “deuses”) e Netuno estão atualmente atuando como os “controles” desses planetas (incluso a Terra).

(*) Informação oriunda da RússiaAcademia Nacional de Ciências da Rússia, de onde os cientistas concluíram que a Terra esta se mudando para uma área do espaço que é diferente da atual e tem um nível de energia muitíssimo maior. Os cientistas russos estão relatando mudanças que estão sendo gravadas desde o espaço que nunca foram vistas antes. Nós não podemos fornecer essa informação (nos EUA), ainda com certeza, mas sabemos que o corpo científico que fez o relatório é verdadeiro e que o cientista russo Dr. Aleksey Dmitriev é a cabeça desse corpo de cientistas russos. Falando da Academia, na Sibéria, o Dr. Dmitriev diz que os efeitos relatados a seguir foram observados (estes são trechos de seu relatório).

As mudanças na camada exterior da heliosfera(*) do Sol, que tem um campo magnético e esse campo cria um ovo em torno do Sistema Solar, que é conhecido como a heliosfera. A heliosfera é moldada como uma lágrima, com o lado comprido e fino da lágrima apontando para longe da direção em que viajamos no espaço interestelar. 

Os cientistas russos já viram esse lado dos limites da heliosfera e encontraram lá uma energia de plasma brilhante e agitada. A Heliosfera do Sol tinha cerca de 10 unidades astronômicas em profundidade (uma unidade astronômica é a distância da Terra ao Sol, cerca de 93 milhões de milhas-150 milhões de quilômetros). Essa era a espessura normal da energia brilhante que estávamos habituados a ver na extremidade frontal do Sistema Solar.


Símbolo Maia para o Buraco Negro/Sol Central da Galáxia, Hunab KU.
[n.T. (*) Heliosfera: O vento solar é uma corrente de partículas carregadas que viajam continuamente a partir do Sol em todas as direções. É como se esse “vento” inflasse uma gigantesca bolha no espaço – bolha esta que chamamos de heliosfera, a região do espaço dominada pela influência do Sol e no interior da qual ficam todos os planetas do sistema solar.
Ao invés de ficar estático no espaço, nosso Sistema Solar move-se velozmente ao redor do centro (do SOL CENTRAL) da Via Láctea, o que o faz colidir com “ventos interestelares,” uma chuva de partículas emitidas pelas outras estrelas e pelo próprio centro galáctico. Em um determinado ponto, ainda não precisamente localizado no espaço, o vento solar e o vento interestelar se encontram, equilibrando suas pressões e determinando a fronteira do Sistema Solar.]

Hoje, o Dr. Aleksey Dmitriev diz que esta energia brilhante é agora de 100 unidades astronômicas de profundidade.  A Academia de Ciências da Rússia , não dá uma linha do tempo, mas diz que a mudança percebida no que era conhecido e aceito, do jeito que está agora, representa um aumento de 1.000%. Os russos dizem que esta mudança no Sol está transformando o funcionamento de todos os planetas do sistema solar e sobre todos os tipos de vida que eles possam possuir. Eles relatam, mas não explicam, que a própria espiral do DNA humano em si mesma ESTA SE ALTERANDO !!!!!!

Acima: A Heliosfera, o vento solar é uma corrente de partículas carregadas que viajam continuamente a partir do Sol em todas as direções. É como se esse “vento” inflasse uma gigantesca bolha no espaço – bolha esta que chamamos de heliosfera, a região do espaço dominada pela influência do Sol e no interior da qual ficam todos os planetas do sistema solar. 
Para saber (e informar-se ) mais sobre o relatório da Academia Russa de Ciências, do Dr. Aleksey Dmitriev:
Assim, é a formação de uma nova matriz (energética, um novo paradigma), que pode atuar como um regulador para todo o sistema solar. Com esta nova matriz, podemos restaurar todos os planetas de seu sistema solar muito rapidamente a sua antiga condição original (n.T. – Original desde antes da EXPLOSÃO do planeta MALDEK). Estamos também em fase de conclusão de nossos ajustes para a vasta banda de Luz que vocês chamam de “Cinturão de Fótons”.
Muitos de vocês já ouviram falar do Cinturão de Fótons. Os cientistas vêm monitorando esse cinturão de energia para o governo (n.T. O governo paralelo, das trevas, nos EUA) em segredo nos últimos 50 anos. Para perceber e senti-lo se requer equipamento especial relacionado com o seu programa muito secreto de armas nucleares. Quando essa tecnologia é modificada e usada nos telescópios de rádio e de lentes ópticas, é possível se perceber um vasto cinturão de Luz organizado e que se estende pela galáxia abrangendo milhares de anos-luz.
A maior parte dessa energia permanece em uma freqüência muito maior do que os seus instrumentos podem detectar. Vocês (a civilização atual junto com o planeta Terra) estão presos em um vácuo que vai ser abandonado nos próximos anos. Como voces já estão perto deste ponto de saída, as poderosas energias deste cinturão de LUZ multidimensional estão afetando MUITO o SOL e várias estrelas (sóis) próximas. Vemos este cinturão de energia como um dos principais trampolins que vão lança-los para o nosso nível de consciência.
Uma de suas principais assinaturas tem sido um grande número de “ondas” de energia, visto recentemente por seus cientistas, e que ocorrem em toda a nossa galáxia. Junto com traços de outras energias, essas ondas energéticas são mal interpretados como restos da explosão original do ‘The Big Bang’. Na verdade, essa irradiação são apenas os sinais da poderosa influência que a energia do Cinturão de Fótons tem em nossa galáxia.
Na verdade, a sua ciência atual (falando muito a sério) e os cientistas não entende sequer a gravidade e até mesmo o eletromagnetismo. A velocidade da luz ainda é uma barreira para a sua tecnologia atual assim como dela é a velocidade do som. O único limite real, como tal, é “a consciência de velocidade, de deslocamento”, que existe simultaneamente em toda a Criação. Da mesma forma, a eletricidade, gravidade e magnetismo são todos multi-dimensionais no espaço.
Portanto, o seus atuais cientístas descartaram (por IGNORÂNCIA e prepotência) a maioria de seus verdadeiros efeitos. Essas estruturas “científicas” precisam ser severamente revistas. Felizmente, muitos dos seus mais avançados cientistas  teóricos estão começando “a ver a luz” e descobriram a imensa tolice do passado, seguida por Kepler, Newton e Einstein. 

 A resposta está na formação de uma ciência baseada na (elevação da) “consciência, da multidimensionalidade ilimitada da existência física e a mão sempre graciosa e amorosa do  Criador” Aqui existe o verdadeiro fundamento para a ciência, e um instrumento que pode vos guiar para as verdades que cercam as razões para a criação do mundo físico e a implantação de mecanismos que regem o seu destino. Uma vez que essas coisas tenham sido considerados em sua totalidade (e importância), rapidamente se descobre o multi-universo na criação física.
Este oceano de energia consciente é a soma de todos os reinos em que habitamos. Indo de um universo para outro, voce simplesmente se ajusta às condições que formam cada realidade. Ao fazer os cálculos corretos, você ajusta seus campos de energia e poof !! Voce muda de um nível de realidade para outro nível. Cada centímetro cúbico da Criação Física universal contém mais energia do que aquela emitida pelo seu Sol em um nanossegundo (!!!).
Imagine o imenso poder desse minúsculo centímetro cubico material! Além disso, imagine quantos desses centímetros cúbicos da mesma Criação estão dentro de você! Isso é o significado do quão incrível e maravilhoso SER que você realmente é. Cada um de nós tem essa imensidão DENTRO DE SI MESMO. O que vos falta é o mecanismo para compreender e a capacidade para aprender a usá-lo. Estas são as razões para a sua transformação planetária atual (evolução), e por isso que a sua realidade atual esta mudando (em consciência) a uma enorme velocidade.
Voltemos ao Cinturão de Fótons e vamos contemplá-lo com novos olhos. Ele não existe sem nenhuma razão. A sua finalidade é atuar como o principal regulador da mudança evolutiva galáctica, coordenando seus movimentos de dentro do centro (do SOL CENTRAL) galáctico com um ciclo de energia natural.
Em intervalos regulares este centro (o SOL CENTRAL) galáctico expele, emite uma enorme onda energética, uma energia extremamente intensa que é interceptada e transmutada pelo Cinturão de Fótons.

O novo telescópio NuSTAR- Nuclear Spectroscopic Telescope, gravou esta expansão violenta de energia emitida pelo supermassivo (Sol Central da Galáxia) buraco negro chamado de Sagitário A do Centro da nossa Galáxia Via Láctea no final de julho de 2012. A imagem de fundo mostra um amplo campo de visão, em infravermelho do centro da Galáxia. Inserções de zoom no buraco negro gravou como a energia se inflama desde o centro em repouso, explodindo para em seguida, desaparecer. O gás mais quente, localizado perto do buraco negro, pulsa como o ponto branco central visto nas imagens de raios-X. O gás um pouco mais frio fica associado com um gás remanescente de uma velha explosão de uma supernova nas proximidades e é responsável pela existência da nuvem circundante (da cor do RAIO feminino do AMOR, da Deusa) O ROSA. Foto: NASA / JPL-Caltech. Fonte:
http://www.nasa.gov/mission_pages/nustar/main/index.html

Se necessário for, essa energia faz com que uma estrela/sol se transforme em uma supernova, que mude a órbita de planetas ou até mesmo a sua própria (do planeta) natureza – o seu volume atmosférico – e se torne árido, semi-árido ou planetas cobertos com água. Portanto, o plano divino de cada galáxia realiza a propagação da vida física e a sua evolução controlada.
Tudo na Criação acontece de acordo com o sagrado decreto do plano divino específico, que é monitorado pela hierarquia espiritual de uma galáxia (n.t. Que esta nesse momento MUITO PRÓXIMA da Terra acompanhando e auxiliando no final desse nosso ciclo evolutivo, pois se assim não fosse os seres das trevas que controlam o planeta a milênios já teriam destruído tudo na Terra). Para se conseguir tudo isso, os “Céus” forma hierarquias através de Ordens, Conselhos e inúmeras Administrações, exatamente como em uma empresa.
Um Cinturão de Fótons regula essas ondas de energia provenientes do Sol Central da Galáxia, movendo-se em um padrão fixo estabelecido pela forma como o centro galáctico opera. No seu caso particular (aqui na Terra), a galáxia da Via Láctea é conduzida em ciclos através de cerca de 13.000 e 26.000 anos (dois desses ciclos foram finalizados em 21/12/2012). Por isso o Cinturão de Fótons gira em torno do centro com este padrão fixo.
Cada emissão de energia a partir do centro galáctico varia de intensidade e padrão de dispersão pela galáxia, porque ele precisa afetar cada seção da galáxia de uma maneira específica. Esta energia deixa para trás por onde passa um padrão especial que codifica cada seção da galáxia com uma distintiva tabela de tempo- ou seja, como cada estrela, cada planeta, cada nuvem de poeira, cada átomo, etc, deve reagir e (obedecer) levar a cabo a sua parte do plano divino.
Cada aspecto de uma galáxia também possui um cronograma para o seu e único desdobramento. Estes eventos moldam o mesmo tipo de fisicalidade. A Criação física é um padrão divino que é definido, em todos os sentidos, desde o plano divino. Considere o quão (perfeito e) detalhado é este planejamento.

Cada Ser sensível na Criação, um planeta, uma estrela, ou até mesmo você (para seu crescimento/evolução), possui um plano desse mesmo tipo! 
Todos são cuidadosamente misturadas em uma sequência perfeita. O que resulta é um todo incomensurável, infinito – o multiuniverso, o Cosmos inteiro - em si mesmo.
Cada realidade tem o potencial para formar os subconjuntos necessários para expressar uma realidade maior (ad eternum, ad infinitum). Ao redor delas estão bilhões e trilhões de outras galáxias que de alguma forma possuem semelhanças assim como muitas diferenças da nossa própria Galáxia Via Láctea. Imagine a infindável e ricas possibilidades de experiências contidas neste mix enorme e gigantesco! Então Fiat Lux, Faça-se a LUX.
A Terra esta respondendo a essas emissões de energia do Sol Central da Galáxia, e do Cinturão de Fótons.

============================================================
Poderosa Onda de energia foi emitida pelo Sol Central da Galaxia


A NASA registrou poderosas emissões de ondas de energias (Cinturão de Fótons) desde o Buraco (Hunab KU-Sol Central) Negro do Centro da nossa Galáxia Via Láctea
 O Buraco Negro com “tamanho estimado de 4 milhões de massas solares” que se esconde no centro (por “trás do gigantesco SOL CENTRAL” da nossa Galáxia) da Via Láctea tem uma reputação de ser como um gigante gentil. Os buracos negros” arrotam e explodem” quando engolem o gás existente em torno de si, mas o nosso leviatã local apenas dá umas mordidelas ocasionais na nuvem de gás que lhe envolve  como se fosse um lanche leve.
NEWS BLOG,  by Monica Young

Esquerda: Símbolo Maia para o Buraco Negro/o Sol Central da nossa Galáxia, Hunab KU.

O buraco negro central da nossa galáxia emite regulares e misteriosas explosões de raios-X. Pela primeira vez, o novo telescópio NuSTAR- Nuclear Spectroscopic Telescope da NASA com o foco mais agudo, captou uma visão da emissão da alta energia em ação. 
O novo telescópio NuSTAR- Nuclear Spectroscopic Telescope, da NASA, gravou esta expansão violenta de energia emitida  pelo supermassivo buraco negro chamado de Sagitário A do Centro da nossa Galáxia Via Láctea no final de julho. A imagem de fundo mostra um amplo campo de visão, em infravermelho do centro da Galáxia. Inserções de zoom no buraco negro gravou como a energia se inflama desde o centro em repouso, explodindo para em seguida, desaparecer. 

O novo telescópio NuSTAR- Nuclear Spectroscopic Telescope, gravou esta expansão violenta de energia emitida pelo supermassivo buraco negro chamado de Sagitário A do Centro da nossa Galáxia Via Láctea no final de julho. A imagem de fundo mostra um amplo campo de visão, em infravermelho do centro da Galáxia. Inserções de zoom no buraco negro gravou como a energia se inflama desde o centro em repouso, explodindo para em seguida, desaparecer. O gás mais quente, localizado perto do buraco negro, pulsa como o ponto branco central visto nas imagens de raios-X. O gás um pouco mais frio fica associado com um gás remanescente de uma velha explosão de uma supernova nas proximidades e é responsável pela existência da nuvem circundante (DO RAIO) rosa.Foto: NASA / JPL-Caltech. (
http://www.nasa.gov/mission_pages/nustar/main/index.html

O Buraco Negro com “tamanho estimado de 4 milhões de massas solares” que se esconde no centro (por “trás do gigantesco SOL CENTRAL” da Galáxia) da Via Láctea tem uma reputação de ser como um gigante gentil. Os buracos negros” arrotam e explodem” quando engolem o gás existente em torno de si, mas o nosso leviatã local apenas dá umas mordidelas ocasionais na nuvem de gás que lhe envolve  como se fosse um lanche leve.
Esquerda: Reprodução da deusa egípcia, a ÍSIS Negraa Mãe (Cósmica) de todos os sóis/estrelas e a “BASE” do poder do Faraó. Símbolo da energia divina feminina e a “BASE” do Cosmos dos universos materiais.
Notar a figura do triângulo com base para cima e o vértice para baixo formado pelas mãos de ÍSIS: o Símbolo doTriângulo equilátero feminino (com o Vértice embaixo e a base em cima) da energia FEMININA da Deusa, com o ponto central de LUZ   quase idêntico ao da foto do centro da Galáxia feita pelo telescópio NuSTAR da NASA.
Como os buracos negros supermassivos evoluem, o nosso é considerado muito silencioso. Mas de alguma forma, apesar de sua dieta escassa, o nosso gigante gentil é capaz de liberar enormes flares de raios-X mais ou menos diariamente. Erupções ligeiras de rádio e raios infravermelhos podem ocorrer ainda mais frequentemente, até várias vezes por dia. Agora, pela primeira vez, o telescópio da NASA, o Telescópio Nuclear Spectroscopic (NuSTAR) capturou um visual de alta energia sendo emitidos em de um desses flares.
Durante um período de dois dias no final de julho, o NuSTAR detectou emissão  de raios-X do centro da Galáxia com energias até quatro vezes maior do que pode ser observado com o telescópio orbital do Chandra X-ray Observatory

O mais novo telescópio de raios-X da NASA tem imagens 10 vezes mais nítidas e 100 vezes mais sensíveis do que os instrumentos de alta energia que vieram antes, como o Internacional Gamma-Ray Astrophysics Laboratory (INTEGRAL), permitindo que o telescópio NUSTAR possa gravar a atividade no buraco negro que os instrumentos anteriores perdiam.
Para emitir os raios-X de alta energia detectados pelo NUSTAR (6-79 keV), o gás ao redor do buraco negro teve uma ignição a cerca de 100 milhões de graus Celsius (180 milhões de graus Fahrenheit) 11 vezes mais quente que o centro do nosso sol. Os astrônomos sabem que este plasma quente deve aparecer perto do buraco negro, mas não sabem ainda se as espirais ao redor do centro galáctico são partes de um fluxo de entrada ou se está atirando longe dos polos do buraco negro como parte de um jato relativístico. Os astrônomos também não sabem ainda por que o gás se aquece tão de repente em uma base regular. Teorias incluem rupturas dos campos magnéticos ou turbulência agitando o gás mais próximo da borda do buraco negro.

Como alternativa o monstro pode estar se alimentando de fragmentos de asteroides de acordo com uma nova teoria proposta no início deste ano. Esse estudo sugere que uma nuvem de asteroides e cometas circunda o buraco negro, despido de estrelas há muito tempo e que se aventuraram muito perto um do outro. 
Para um gigantesco buraco negro, “engolir” pequenas porções dos asteroides ocasionalmente seria como ocasionalmente comer um naco do bolo do gás circundante, proporcionando uma rápida explosão de energia a partir de apenas um pouco de massa. O  NUSTAR observou o surto recente, como parte de uma colaboração internacional se unindo para observar o comportamento da besta (o Buraco Negro) no centro da nossa galáxia.

Uma foto espetacular do Centro da nossa Galáxia (na direção de Sagittarius A) em imagens obtidas de três diferentes telescópios: Chandra X-Ray, Hubble e Spitzer Space Telescopes.
Além do telescópio NUSTAR, a atividade de vigilância de julho incluiu observações de cinco outros instrumentos de observação em raios gama, de raios-X de baixa energia, infravermelho, e comprimentos de ondas de rádio. Observação simultânea em vários comprimentos de onda são importantes porque, embora esteja claro que o buraco negro exista – uma super estrela gigante recentemente foi vista completar uma órbita total em torno dele – muito do comportamento do gigantesco buraco negro  por trás do SOL CENTRAL da Galáxia é um mistério. As detecções de emissão de alta energia de raios-X do telescópio NuStar acrescentam uma peça fundamental para a busca da solução do quebra-cabeça.


Sinal evidente de mudança no campo eletromagnético do planeta



Encalhe e morte em massa de BALEIAS na Indonésia, em 01/10/2012, sinais de variação do Campo Eletromagnético do planeta.
Um dos sinais mais evidentes de perturbação e de mudança no campo eletromagnético da Terra é a morte em massa por encalhe nas praias do mundo todo de mamíferos marinhos, como as baleias piloto, na Indonésia. As baleias, os golfinhos e as orcas navegam pelos oceanos do planeta se utilizando DA MALHA do Campo Eletromagnético da Terra, e quando ocorre mudanças nessa malha esses animais morrem desorientados encalhados nas praias. O mesmo também acontece com pássaros migratórios, que se deslocam em grandes distâncias seguindo o campo eletromagnético do planeta.

Moradores em uma ilha remota no leste da Indonésia nesta terça-feira retalharam em pedaços várias baleias-piloto para se alimentarem dos mamíferos marinhos que morreram depois de um encalhe em massa que matou pelo menos 41 das baleias, disse um funcionário do governo local. Um total de 44 baleias-piloto encalharam na madrugada de segunda-feira, dia 01/10/2012, na ilha de Savu na província de East Nusa Tenggara, onde há uma cultura local de caça à baleia para o consumo humano da carne. 

Aldeões olham as baleias-piloto que morreram encalhadas na costa da ilha Savu na província East Nusa Tenggara em 1 de outubro de 2012. Quarenta e quatro baleias-piloto encalhadas estavam na remota ilha Savu em um encalhe em massa que deixou pelo menos 41 mortos e várias foram cortadas aos pedaços pelos moradores locais, disse um oficial. As baleias encalharam na noite de 01 de outubro na ilha, onde existe uma cultura de caça à baleia para o consumo humano. (AFP Photo / Jessica Ferdi)
“Os moradores cortaram cerca de 11 baleias até agora e provavelmente irão se utilizar da carne para a sua alimentação”, disse o chefe do escritório de pesca em Savu, Dominggus Widu Hau à AFP. “Quando pescadores locais encontraram as baleias encalhadas antes da meia-noite, de 30 de setembro, elas  ainda estavam todas vivas. Mas já era tarde e não havia número suficiente de pessoas para ajudar a empurrá-los para dentro do mar novamente” 


Mais de uma dúzia de pescadores, da marinha e policiais ainda estavam lutando hoje, terça à tarde (hora local) para manter vivas as restantes três baleias sobreviventes. “Conseguimos empurrá-los de volta para a água, mas eles voltaram para a praia “, disse Hau.  A Rede de Cuidados dos Animais  de Jacarta identificou os mamíferos marinhos, que ficaram presos há cerca de 150 metros (492 pés) do litoral, como sendo da espécie das baleias-piloto. 


O tamanho delas que encalharam está entre dois e cinco metros de comprimento,  disse Widu Hau. As baleias-piloto geralmente se encalham em massa, uma vez que elas navegam juntas em grandes grupos, especialmente se uma delas está doente, de acordo com os biólogos marinhos. 
AFP-Agence France-Presse
Também sabemos que os pássaros e animais marinhos (mamíferos como as baleias, golfinhos, orcas) migram através dos oceanos se utilizando da linha de grade do campo eletromagnético do planeta para sua orientação. Portanto, há especulações (já é uma CERTEZA) de que as mudanças que estão ocorrendo no campo magnético são responsáveis pelos padrões de mudança na rota das aves migratórias e dos grandes mamíferos marinhos que foram registradas em todos os oceanos da Terra”. 
“A mudança atual no campo eletromagnético também pode explicar por que as baleias, orcas e golfinhos estão encalhando e morrendo aos milhares nas costas de todos os continentes. As linhas de navegação que esse animais sempre seguiram pelos oceanos mudaram e agora levam-nos para uma praia qualquer (em terra firme”).


“Quando seres humanos preocupados em ajudá-los levam-nos de volta para a água e os colocam em liberdade, eles voltam a se alinhar com as mesmas linhas magnéticas em mudança, e em segui-las, e então eles acabam encalhados nas praias novamente e morrem. Então, sim, podemos dizer que já é de conhecimento comum agora(pelo menos para aquela parcela da humanidade, pequena ainda, que esta em busca de informações e em processo evolutivo). As revistas científicas mais respeitadas já dizem que estamos em meio a esta mudança. E mesmo que não saibamos exatamente o que isso significa, é significativo que esse assunto e fato está sendo reconhecido em outros meios e tipos de literatura sérios, e não apenas em revistas especulativas ou pseudocientíficas”.}

Total de visualizações de página

Página FaceBook