BARRA ANIMADA


Translate

SEJA BEM VINDO


BARRA 2


Mensagem


A Frequência Fotônica Pleiadiana e a Nova Era do Fóton


sexta-feira, 26 de junho de 2015

O que Sabemos não é tudo que Existe - Parte 152- ARGUMENTOS BASTANTE DECISIVOS



"A hipótese de um povoamento extraterrestre não se resume a duas ou três linhas. Ela propõe uma outra visão da Arqueologia. 
De Stonehenge aos desenhos do Deserto de Nazca, dos terraços de Baalbeck aos escafandros sugeridos pela Porta do Sol, das torres de Zimbabwe aos afrescos de Tassili, a exploração dos vestígios insólitos deve ser revista a uma nova luz. A pluralidade dos mundos habitados, a idéia de que não somos os primeiros a desejar sair do solo natal, implicam que se ponha em questão tanto as explicações como as cronologias" (Michel-Claude Touchard - A Arqueologia Misteriosa)




As evidências são mesmo indiscutíveis. Desde os primórdios da humanidade e de todas as nossas civilizações conhecidas, os livros religiosos, os livros tradicionais, assim como as mais antigas lendas, estão repletos de menções - escritas obviamente nas linguagens da época - dando conta das inúmeras visitas e notadamente da presença aqui no nosso mundo de avançadas máquinas voadoras e dos seus misteriosos tripulantes - erroneamente, porém de certa forma e não sem alguma justiça, reverenciados como "deuses".


E através dos tempos, essa presença jamais deixou de ser notada, tal como podemos constatar através dessa antiga pintura medieval, na qual uma máquina voadora circular (evidentemente um UFO) sobrevoa um cidade.


E nessa outra, também originária dos tempos medievais, um cavaleiro ergue seus braços diante de uma máquina voadora em plena ascensão. O formato de um UFO é inquestionável, uma vez que o antigo artista não deixou nem mesmo de retratar as suas escotilhas e o seu rastro através do céu!


E veja só que primor! Nessa antiga gravura japonesa - datada de 1803 e, portanto, em uma época em que as máquinas voadoras sequer eram sonhadas - vemos um nítido UFO sendo examinado por um cidadão..... Muito provavelmente se tratando do registro histórico, uma ocorrência real, um antigo pouso de uma nave no nosso planeta! Aqui também, o velho artista retratou as escotilhas, a cúpula e ainda as cintas rotativas inferiores da nave. Se isso tivesse sido pintado ainda hoje, no nosso Terceiro Milênio, seria a réplica exata dos UFOS que cruzam os nossos céus!!! Note-se, ainda, os ideogramas, logo acima, onde UFOs são também retratados em meio aos outros sinais.


Málaga, Espanha - ano 2004, praticamente HOJE. Em meio às celebrações religiosas da Páscoa, um UFO cruza o céu sem a menor cerimônia - bem à vista de quem quisesse vê-lo e logo acima da imagem do Cristo crucificado que era adorada pelos milhares de fiéis presentes!


Região oeste de Porto Alegre, capital do Estado do Rio Grande do Sul, Brasil. 25 de junho de 2005. Um misterioso objeto celeste se faz presente em meio à derradeira luminosidade da tarde.....


...... Ei-lo em outra magistral foto, tomada através do zoom. Não resta qualquer dúvida: um portal dimensional se abrindo, ou talvez um UFO, vindo sabe-se lá de onde e muito provavelmente se materializando na nossa dimensão! (FOTOS gentilmente cedidas por um dos nossos estimados visitantes)


Terra, misteriosa Terra! Repositório fantástico, lamentavelmente ainda inexplorado, dos mais intrigantes mistérios do passado remoto, os quais por sua vez dizem respeito à existência não só de perdidas e muito evoluídas civilizações, como também acham-se associados à presença (ou provavelmente colonização planetária) por parte de antigos viajantes espaciais. E os intrigantes vestígios quanto a essa espantosa realidade - a qual mais dia menos dia será definitivamente provada - acham-se espalhados por todos os quadrantes deste pequeno mundo. Insólitos monumentos, evidentemente elaborados, e também transportados, através de uma anacrônica tecnologia talvez ainda hoje não disponível, são as peças que devem ser reunidas para a montagem de um grande e estonteante quebra-cabeça. Ilha de Páscoa, 118 quilômetros quadrados, que tem este nome pelo fato de ter sido descoberta somente em 1722 pelo holandês Roggeveen, ou ainda Rapa Nui, situada em meio à vastidão do Oceano Pacífico, é apenas uma dessas pequenas peças - forçosamente necessárias à montagem de um espantoso todo. Aqui, uma civilização desconhecida deixou para a posteridade centenas de enormes estátuas (são ao todo 887!), moldadas em colossais blocos rochosos, como se fossem as silenciosas sentinelas, as guardiães de um enorme mistério, estranhamente voltadas de costas para o mar e postadas ao redor de toda a ilha! O quê seria de tão importante, talvez há milênios escondido no interiores das suas enormes pedreiras?


Você certamente está acostumado a ver nos livros e nos filmes as fotos dessas intrigantes estátuas, não é mesmo? Geralmente todas deitadas, enterradas, inacabadas e, na sua grande maioria, as de "menores" dimensões, pesando "apenas" cerca de 14 toneladas, correto?.....


..... Porém, existem algumas fotos que jamais são tornadas públicas. Essa aí de cima, por exemplo. E sabe o motivo? Simplesmente pelo fato de, embaraçosas demais, algumas delas mostrarem estruturas estupendamente colossais. Compare o tamanho da estátua vista em primeiro plano com a altura da atônita turista que a observa. Como tais colossos, pesando centenas de toneladas de rocha bruta, foram transportados desde as pedreiras situadas no interior da ilha (de onde se supõe tenham vindo todas as estátuas) e ali erigidos? Aliás, isso jamais poderia ter sido feito mediante o emprego de ferramentas nativas primitivas, asim como sustentam alguns teóricos comodistas - e alguns deles chegando ao cúmulo de classificar esses colossos como..... "Obras dos Vikings"!!!


E não deixe também de atentamente observar as inusitadas feições dessas estátuas: um biotipo não condizente com qualquer civilização pré-americana conhecida! E, da mesma forma, um tipo de feição nem mesmo relativo aos ancestrais dos habitantes da ilha, os quais - é bom que se diga - já acharam esses monumentos erigidos desde tempos imemoriais, quando pela primeira vez ali aportaram. As velhas lendas e tradições desses insulanos, as quais deveriam ser tomadas ao "pé da letra", relatam que essas imagens retratam os "HOMENS VOADORES". Por oportuno, note-se que algumas estátuas são guarnecidas de uma espécie de capacete.


E situada bem em uma das extremidades de Páscoa, existe uma outra pequena ilha denominada Motunui (foto) - literalmente "A ILHA DOS HOMENS PÁSSAROS"!


E por toda a enigmática Ilha de Páscoa existem inúmeros relevos e gravuras alusivos aos tais "Homens Pássaros", obviamente feitas pelos antigos insulanos em reverência aos tripulantes das máquinas voadoras que um dia estiveram por lá. Não existe outra explicação mais lógica!


E em alguns pontos da misteriosa lha de Páscoa, cintas de inscrições (denominadas "Rongorongo") elaboradas em um alfabeto inteiramente desconhecido e ainda totalmente indecifrado, talvez guardem os segredos de fantásticos registros históricos que certamente viriam a abalar todos os alicerces em que se baseiam os nossos atuais conhecimentos. Um tipo de escrita jamais existente em qualquer lugar da Terra!


Aqui, a foto nos mostra um detalhe ampliado de alguns caracteres desse intrigante e milenar alfabeto. "Homens voadores"? Sim, muito possível! Mas VINDOS DE ONDE EXATAMENTE? Páscoa é uma ilha vulcânica, situada em uma área onde as antigas Tradições dizem ter existido o perdido continente da Lemúria que - à semelhança da Atlântida, por sua vez situada no Oceano Atlântico - igualmente submergiu devido a um grande cataclismo. Segundo as velhas Tradições a Lemúria também era um prodigioso continente, da mesma forma dotado de avançada cultura e de uma fantástica tecnologia.... O que, segundo essas Tradições, incluía os seus "barcos voadores". Esse misterioso povo, denominado "Uighur" teria colonizado a Terra inteira, tendo raízes até no Deserto de Gobi. Segundo se especula, o perdido continente lemuriano se estendia desde o norte do Havaí até um ponto ao sul das Ilhas Fidji, atingindo exatamente a Ilha de Páscoa.


Extemporâneas tecnologias, um mistério alucinante. Não adianta mais negar a existência de fantásticas tecnologias no nosso mais remoto e desconhecido passado! Nesse particular, será preciso que agora vejamos ISTO: uma rocha ovalada - encontrada em escavações arqueológicas realizadas em 1998 em um local secreto nos EUA e com uma idade de milhares, ou talvez milhões de anos - apresenta a extremidade de um curioso artefato tecnológico profundamente encravado, batizado como "PETRADOX"!


John J. Williams, pesquisador norte-americano do Realismo Fantástico, foi o primeiro a detectar que apesar da sua longa idade, tal curioso artefato, possui estranhas propriedades elétricas. Ele é interligado a qualquer coisa situada no interior da rocha, muito possivelmente uma unidade geradora desconhecida! Willians, aliás, acredita que se trate de uma espécie desconhecida de conector, possivelmente uma peça de uma espaçonave, ou quem sabe um UFO, que teria sido encoberta pela formação da rocha através dos milênios!


Tudo é feito em um misterioso tipo de material elétrico condutivo, tal como um metal e cuja aparência lembra o aço. Definitivamente, o componente esbranquiçado da sua base não é plástico, madeira, ou um metal de qualquer outro tipo! O quê seria então? Diante disso, o atônito pesquisador norte-americano declara que somente esbarra em duas hipóteses mais plausíveis para tentar explicar esse intrigante mistério: - ou se trata mesmo de um artefato alienígena deixado aqui na Terra, ou então se trata de um estranho artefato proveniente de uma avançada civilização perdida!


Aliás, não restam mesmo outras alternativas: o metal no qual é confeccionado e sobressai exposto desde uma base triangular de natureza também não-identificada, não existe no nosso mundo! John Williams revela que o local onde ele foi descoberto, atualmnte mantido em sigilo, apesar da relutância oficial deveria ser examinado por investigadores científicos sérios, pelo fato de poder revelar tecnologias e demais fenômenos desconhecidos pelo homem moderno, os quais poderiam implicar até mesmo em fatores essenciais para a nossa própria sobrevivência aqui na Terra!


Lamentavelmente, não é a Ciência oficial que se interessa em revelar ou sequer explorar os grandes mistérios QUE SABE EXISTIR no nosso passado. Contudo são os arqueólogos amadores, os pesquisadores isolados, os verdadeiros heróis que se esforçam para honestamente descortinar novos e muito promissores horizontes para a nossa humanidade. Todo o nosso pequeno planeta ostenta os seus segredos, os seus mais profundos mistérios, esperando apenas e tão-somente que surjam os novos e mais ousados desbravadores. Existem, SIM, "câmaras do tempo", verdadeiros museus de um passado glorioso e esquecido, espalhados por todos os cantos, aptos a serem devidamente revelados e conseqüentemente desvelados. Na foto acima, vemos as entradas recentemente descobertas (e atualmente em fase de exploração) dos profundos fossos que conduzem a uma infinidade de espantosas galerias subterrâneas, conhecidas como "O Mistério dos 29 Degraus" e originárias de uma desconhecida cultura que habitou as Ilhas Órcadas. Estranhos fragmentos de um certo metal preliminarmente encontrados dão conta de que ali teria se desenrolado uma espécie de atividade industrial muito avançada.


Uma estranha raça viveu na Terra em tempos muito remotos. E quanto a isso não parece existir a menor dúvida! Na foto acima, você vê antigos crânios humanos "normais", com exceção do primeiro da direita - todos encontrados no Deserto da Núbia (terra interligada ao Antigo Egito), sendo este último com uma idade de 14 mil anos - precisamente os distantes tempos em que os "deuses" estiveram em convívio com as antigas, incipientes e ainda muito rudimentares populações que habitavam o planeta! Há diferenças, diferenças brutais, encontradas não somente nos exóticos formatos dos monumentos como também nos mais diversos vestígios arqueológicos e paleontológicos espalhados por todo o nosso globo.


E quer tenham sido esses antigos "deuses" Atlantes, Lemurianos, extraterrestres, ou ainda qualquer uma outra hipótese ainda não de todo considerada ou suspeitada, um grande e maravilhoso ponto de interrogação paira sobre o nosso entendimento. Algum dia, porém, com Graça do Deus Único, teremos finalmente a grande resposta que certamente virá a preencher a maior de todas as lacunas existente na sempre alma inquieta da criatura humana, e que pode ser resumida em uma só pequenina frase: - QUEM somos, de ONDE viemos, e para ONDE vamos?






Total de visualizações de página

Página FaceBook