BARRA ANIMADA


Translate

SEJA BEM VINDO


BARRA 2


Mensagem


A Frequência Fotônica Pleiadiana e a Nova Era do Fóton


segunda-feira, 29 de junho de 2015

O que Sabemos não é tudo que Existe - Parte 159- O VISÍVEL E O INVISÍVEL



"Ainda não conhecemos todas as condições que tornam possíveis essas extraordinárias fotografias e, enquanto tal não acontecer, obtê-las constituirá, no melhor dos casos, um trabalho de êxito incerto. 
Mas o fato de genuínas fotografias daquilo que vulgarmente chamamos fantasmas terem sido feitas por diversas pessoas em condições que excluem a fraude ou equipamento defeituoso, é, evidentemente, motivo de séria reflexão" (Alan Landsburg - No Rastro de Fenômenos Estranhos)




Este é o Dr. Victor Spitzer, da Universidade do Colorado, EUA, nosso velho conhecido de uma página anterior pelo fato de, em nome da Ciência, ter revolucionado a Medicina ao literalmente fatiar milimetricamente um corpo humano!


Como sabemos, aproveitando o cadáver de um serial killer que doou seus corpo à Ciência, Spitzer o congelou profundamente e, através da utilização de uma potente serra especialmente desenvolvida para essa ousada e além de tudo inédita experiência, finamente o fatiou desde o topo da cabeça até os pés de modo a trazer para o uso da Medicina o melhor, o inédito e mais completo Atlas de Anatomia Humana conhecido. Fotografando digitalmente cada uma das finas fatias obtidas, e também colocando cada uma das imagens em um avançado programa de computador, finalmente foi elaborado "O Atlas do Homem Visível" (foto) - uma fantástica Engenharia Reversa do corpo humano!


Assim, a Classe Médica tem agora à sua disposição um retrato praticamente "ao vivo", embora virtual, de cada parte componente da estrutura humana, literalmente de cima a baixo, podendo até mesmo realizar mediante essas imagens e o seu programa de computador associado as simulações das mais avançadas técnicas cirúrgicas.


Muito embora possa parecer um tanto ou quanto macabro, jamais a Medicina pôde dispor ou mesmo sequer sonhar com algo semelhante e de tal forma surpreendente!


Na foto vemos a "SLICE 1610", ou a "Fatia 1610", mostrando os braços e a região interna do abdômen.


Trata-se de algo de certa forma repugnante porém, em nome da Ciência e pelos benefícios que pode trazer, uma utilidade verdadeiramente fantástica.


Porém, o Dr. Spitzer tinhas outros planos para complementar o seu fantástico trabalho. Faltava o corpo de uma mulher! Assim, usando o cadáver de uma mulher, a qual não foi identificada e cuja idade ao morrer era de 29 anos, foi criado o "Projeto da Mulher Visível" (foto). E aprimorando ainda mais a sua técnica o Dr. Spitzer dessa feita conseguiu obter fatias 3 vezes mais finas do que um fio de cabelo! O difícil mesmo foi conseguir voluntários que o ajudassem na confecção desses extremamente bizarros sushis.


De qualquer forma, pouco a pouco a fantástica e maravilhosa máquina que é o corpo humano deixa de ser uma incógnita para a Medicina e a Ciência de um modo geral e, fisicamente, isto é anatomicamente falando, não parece haver muitos mistérios mais com relação a ele. Contudo, existe um outra fronteira muito mais ousada a se atingir, a qual nenhum equipamento ou técnica ainda por desenvolver será capaz de detectar e que nenhum bisturi será capaz de dissecar. O quê verdadeiramente, incorpóreo e muito mais sutil, anima e sustenta toda essa maravilha que é a criatura humana para muito além dos seus processos unicamente físicos e materiais?


Porém, não é a Medicina mas, sim, a Ciência de Vanguarda que já se aprofunda nos mistérios daquilo que maravilhosa e infinitamente transcende a estrutura física do corpo. Há, de fato e não se pode negar, alguma coisa mais! O Ser Humano não é somente corpo, e seja lá que outro nome tenha, a Alma, ou por sua vez uma centelha sutil e muito poderosa que o sustenta e lhe concede a inteligência racional, já se vislumbra como uma realidade puramente científica. A chamada "morte" decididamente não é fronteira final. Alguma coisa muito sutil sobrevive em um outro plano - quem sabe em uma outra dimensão. E há, sem dúvida alguma, inúmeros exemplos de contatos com essa dimensão paralela. Na foto, temos uma impressionante imagem tomada durante uma experiência (que, por sinal, não recomendamos a ninguém) com a Tábua Ouija, destinada a invocar e contatar os mortos. Essa brincadeira de mal gosto (assim como a chamada "brincadeira do copo") consiste em, com algumas pessoas reunidas, fazer perguntas aos mortos junto a um tabuleiro onde existem letras e números. Estranhamente, um ponteiro, ou até mesmo o copo, se mexem sozinhos através das letras e dos números formulando as respostas!


Essa foto é tida como supostamente autêntica e tomada durante uma experiência destinada a contatar os mortos. A película teria conseguido captar uma violenta manifestação de energia plasmática que subitamente invadiu o recinto. Note-se que o fenômeno parece ter se manifestado desde os pontos de energia elétrica, situados no lustre, tendo até mesmo provocado o violento deslocamento de objetos no ambiente.


Algo muito semelhante ao estranho fenômeno denominado Poltergeist, geralmente atribuído a "espíritos brincalhões". Quando isso ocorre em determinados locais, os objetos se movimentam pelas casas e até mesmo se espatifam contra paredes - por vezes até mesmo atacando as pessoas (foto). Além disso, pedras que vêm do nada são lançadas contra telhados, móveis se incendeiam, e assim por diante. Conhecido como RSKP, ou "Psicocinésia Recorrente Espontânea", esse estranho fenômeno ainda não encontrou uma explicação científica razoável. Alguns setores acreditam que tal fenômeno seja causado pela presença de um adolescente em fase de puberdade na casa, sendo gerado inconsientemente pela sua libido em expansão. Todavia, já está provado que essa se trata de uma tese inconsistente, haja vista que essas manifestações também ocorrem em locais onde não existem crianças nessas condições. Por outro lado, acredita-se que o Poltergeist seja causado por certas manifestações demoníacas. Todavia, não se deve deixar de lado a hipótese da força do Telurismo, a corrente magnética negativa que percorre o subsolo do planeta e que por vezes se se torna mais forte, aflorando em alguns pontos e causando diversos distúrbios e perturbações.


O Dr. Victor Spitzer, conforme já vimos, pesquisa o corpo humano fatiando seus cadáveres, ao passo que um outro renomado cientista, o Dr. Hans Holzer (foto), é uma autoridade mundial não só na pesquisa e no estudo sério dos chamados Discos Voadores, como notadamente na pesquisa dos Fenômenos Paranormais. Ao contrário dos pretensos sábios e de alguns ditos "pesquisadores" que se arvoram em negar a realidade desses inusitados fenômenos, o Dr. Holzer está plenamente convicto de que eles não só realmente existem, como até mesmo e por vezes se tornam bastante atuantes no nosso plano físico - um mundo material e unicamente dotado de três dimensões. Holzer, considerado um "caçador de fantasmas" os estuda através de uma metodologia puramente científica. O próprio Albert Einstein, um dos maiores gênios da Física, comprovou que a energia, qualquer que seja ela, jamais se dissipa, apenas se transmuta noutras formas, por vezes mais sutis - como é justamente o caso dos chamados "fantasmas".


Em termos puramente científicos, um "fantasma" é a expressão de uma personalidade humana que abandonou o plano físico, tornando-se a partir de então um campo eletromagnético, uma certa energia a vibrar na atmosfera, unicamente impressionado pela personalidade e recordações do morto. Alguns animais tais como o cães e os gatos, as pessoas mais psiquicamente desenvolvidas e receptivas, os chamados "videntes", podem senti-los ou por vezes vê-los. Contudo são as películas fotográficas, sempre dotadas de altas velocidades e muita sensibilidade à luz, que conseguem captá-los sempre vagando nos locais onde menos se espera. Na foto acima, uma coisa bastante curiosa surge na imagem tomada do altar-mor da Igreja de Saint Mary.


E quase sempre a manifestação de um autêntico "fantasma" é acompanhada por uma certa dose de radioatividade, podendo até ser mensurada pelos contadores Geiger. Também causam arrepios, "sopros" e intensas sensações de frios nos recintos onde porventura se manifestem - o que de certa forma nada tem de sobrenatural pelo fato de se tratar da presença de uma energia psíquica e dos campos eletromagnéticos associados em atuação no ambiente.


Aqui, outro autêntico fantasma, captado pela sensibilidade do filme no interior de uma residência. Existem três níveis de tentativas de explicação para o fenômeno: o espiritual, o mecânico e o psicológico - todos meramente hipotéticos. Na verdade, o fenômeno existe porém tudo aquilo que ainda o tente definir é mesmo mera especulação.


Como tal, essas manifestações de energias desconhecidas e provenientes de um outro plano, podem ser identificadas nas películas sempre como uma espécie de massa vibratória, geralmente branca e dotadas de formato humano.


Essa vaga semelhança com a forma humana traz, por vezes, as recordações físicas - por assim dizer - contidas na memória energética dessas estranhas formas vibratórias. Deve-se notar que um autêntico fantasma, justamente pelo fato de ser um energia vibratória, não ostenta roupas, óculos, brinquedos ou quaisquer outras coisas materiais - e quando isso ocorre, o fenômeno não deixa de ser autêntico mas deve ser encarado sob outro prisma: precisamente como manifestações da Memória Atômica da Natureza.


O certo é que coisas muito estranhas nos cercam por todos os lados e nem sempre as manifestações dos fantasmas se limitam aos fenômenos físicos. Quase sempre são puramente visuais. Normalmente, eles existem apenas ENQUANTO ocorre a decomposição do corpo, quase sempre vagando pelo mundo dos vivos e principalmente quando são associadas às personalidades das pessoas muito apegadas à matéria e à vida.


Os famigerados cemitérios - cuja existência é um grave erro ainda cometido pela nossa civilização - tornam-se o campo mais fértil para a ocorrência desses fenômenos. Além de ser uma prática totalmente anti-higiênica e muitas vezes servindo de base para ostentações das mais diversas, constituem-se ainda em uma repugnante e muito rendosa forma comércio para certos espertalhões. O pior de tudo é que favorecem uma espécie macabra de culto, onde as pessoas veneram nada mais do que despojos putrefatos e ossos inertes. O maior perigo, contudo, reside na existência dessas formas, ou entidades energéticas erráticas, ainda de certa forma presas à matéria, que pelo fato de serem "psíquicas" necessitarem "sugar", ou vampirizar por assim dizer, o psiquismo dos vivos para tentarem sobreviver no seu plano de existência surrealista, artificial e paralelo, muito próximo ao nosso!


E aqui está um caso verdadeiramente fantástico. As setas apontam as faces de dois homens. Precisamente Michael Meehan e James Courtney, ambos mortos em uma acidente a bordo do navio S.S. Watertown, em dezembro de 1924. Quando limpavam um dos tanques do cargueiro, o escapamento de vapor em alta temperatura os liquidou. Ambos tiveram seus funerais a bordo, exatamente no dia 4 de dezembro, sendo seus corpos, conforme é tradição, lançados ao mar. Quando esse acidente ocorreu o cargueiro fazia a rota Estados Unidos - Panamá. No dia 5, porém, um dos tripulantes alertou a tripulação para algo bastante estranho: as faces de ambos pareciam seguir o navio, como se flutuassem na água. E durante toda o resto da jornada, tal como uma espécie de maldição, as duas faces pareciam perseguir a embarcação e os seus apavorados tripulantes! Chegando em Nova Orleans, o capitão Tracy relatou a incrível estória aos seus superiores da Cities Services Company, os quais sugeriram que o inusitado fenômeno, caso persistisse, fosse então fotografado. Quando o S.S. Watertown retornou ao mar, as faces voltaram a seguir o navio, sendo tomadas nada menos que seis fotografias delas, as quais tiveram seus negativos severamente examinadas pela Burns Detective Agency em busca de qualquer fraude, a qual jamais pôde ser comprovada. O fenômeno, portanto, era incrivelmente real!


Gettysburg foi palco durante a Guerra de Secessão norte-americana dos mais sangrentos conflitos travados entre as tropas envolvidas. E até hoje um cemitério instalado no local, o qual guarda os restos mortais dos soldados, tem a fama de ser mal assombrado. Trata-se de um campo muito fértil para fotografias que quase sempre revelam estranhos espectros vagando por entre as suas tumbas (foto). Nessa imagem, por exemplo, vemos uma diferença entre aquilo que denominamos "fantasmas"e a sua contraparte. Existe na Natureza uma espécie de "memória atômica", a qual - como se fora uma espécie de filme - registra e guarda, por assim dizer, as cenas mais marcantes e dramáticas que se desenrolaram em um determinado campo de atuação. Muitas aparições confundidas com "fantasmas" são quase sempre causadas por essa fantástica e muito sutil espécie de memória que, de quando em vez e em circunstâncias ainda não bem determinadas, aflora e se torna mesmo atuante ou visível no nosso continuum espaço/temporal. A presença dos fuzis e dos chapéus de campanha nos espectros dos soldados mostrados na foto acima atestam isso.


Este foi Henrique VIII, o soberano inglês famoso por ter sido um exímio e muito eficiente matador das suas mulheres. Hampton Court, um palácio do Século XVI situado a sudoeste de Londres e hoje uma atração histórica, foi a sua residência oficial. Ali, Henrique XVIII cometeu alguns dos seus bárbaros crimes, e um deles em particular parece que até hoje ainda deixa as suas estranhas marcas. Desde muito o palácio tem a fama de ser mal asombrado e amaldiçoado justamente pelo fato de ter sido palco daqueles crimes hediondos. Os guardas de segurança vivem especialmente intrigados com uma porta que dá acesso à área externa do palácio, a qual costuma se abrir sozinha. Nessas ocasiões as câmeras de segurança apenas mostravam a tal porta se abrindo, mas....


....... Certa vez, uma coisa bem apavorante surgiu no filme! E não havia qualquer possibilidade de fraude, uma vez que as dependências do palácio estavam totalmente vazias e a película foi severamente examinada por diversos especialistas, os quais constataram a realidade da aparição do tal "fantasma".


Aqui, uma outra tomada das Câmeras de segurança flagaram a tal aparição, a qual se repetiu por nada menos que três dias seguidos! O curioso que alguns visitantes do palácio, hoje uma espécie de museu, afirmam que têm avistado o fantasma diáfano de uma mulher, vestido em roupas de época, vagando pelas suas escadarias e pelos seus vastos salões. Um caso típico de manifestação da Memória da Natureza. O brutal assassinato da esposa do governante "impressionou" o ambiente, gravando na memória molecular das pedras das suas paredes algumas cenas desenroladas do passado.


Aqui vemos uma ampliação do curioso espectro, ou imagem atômica, bem como o seu negativo. Note-se que não tem fisionomia humana e ainda parece ter apenas ossos ao invés de uma estrutura normal de corpo. Seja lá o que for é, de fato, no mínimo bastante estranho.


Por outro lado, certas coisas confundidas com "fantasmas", ou ainda "aparições do além", podem ter uma outra origem bem mais pitoresca. Quando alguém fotografou esse belo exemplar de pássaro, sua película também conseguiu captar uma outra coisa bastante estranha, visível na extremidade superior direita da imagem e erroneamente atribuída à captação da imagem de um "fantasma"......


..... Aliás, podemos dizer que se tratava de DUAS coisas bastante estranhas. Repare bem no detalhe ampliado e a seguir no seu negativo. Acima, uma face bizarra e logo abaixo dela.... Ora vejam só que "fantasma" mais maroto! Perfeitamente camuflado, um "alien" humanóide do tipo grey! Bizarro, não?






Total de visualizações de página

Página FaceBook