BARRA ANIMADA


Translate

SEJA BEM VINDO


BARRA 2


Mensagem


A Frequência Fotônica Pleiadiana e a Nova Era do Fóton


sexta-feira, 10 de julho de 2015

Klaus Dona: A História Secreta da Raça Humana - Parte 3



Klaus estará fazendo um comentário em áudio sobre uma das apresentações dele em slides muito especial, incomum e fascinante sobre os artefatos e os vários fenômenos que ele vem pesquisando, descobrindo, 
investigando pessoalmente em todo o mundo relacionados com o que eu acho que você poderia legitimamente chamar A História Secreta da Raça Humana. Você diria que isso é um bom resumo, Klaus?

Colombia

Agora estamos na Colômbia. Nas fotos seguintes, eu te mostro artefatos muito estranho da Colômbia na América do Sul.

O mais famoso designer e arquiteto industrial na Colômbia, o professor Jaime Gutierrez, está coletando artefatos seculares estranhos do país dele.

A peça mais importante é o chamado Disco Genético. Aqui você pode ver um disco feito de lydite, uma pedra muito dura. Tem quase a mesma dureza do granito, mas a estrutura da lydite é como folhas, de modo que seria impossível fazer o mesmo disco, em nossos dias, desse mesmo material.

O diâmetro do disco - que chamamos de Disco genético - é de cerca de 27 centímetros. Neste disco você tem várias coisas representadas que normalmente você só pode ver com um microscópio.




Por exemplo, no lado esquerdo em torno de onze horas você pode ver um ovo, um ovo humano sem e outro com esperma. No lado direito, a cerca de uma hora, você pode ver alguns espermas. E então você tem várias representações muito estranhas que não podemos explicar.




Mas aqui, no lado esquerdo, você tem uma fotografia microscópica do interior de uma mulher feita por um fotógrafo sueco e você pode ver que o ovo com e sem esperma se parece exatamente com a representação neste disco genético.



No verso, temos, na parte superior, várias representações de feto em tamanho e idades diferentes, terminando com... parece como uma criança pequena. Você vê também, no final do disco em torno de seis horas, femêa e macho. E também do lado direito, em cerca de nove horas, você pode ver a representação de homem, mulher e criança. Mas a coisa estranha é a forma como eles representam as cabeças humanóides.



Aqui você pode ver uma faca feita do mesmo material, lydite. No topo da faca, no cabo, você tem a cabeça da mãe, além de ter a cabeça da criança e o cordão umbilical está ao redor do pescoço da criança. Então, isso significa que essa faca teria sido usada para cortar o cordão umbilical, salvando a vida da criança.



Este é um close-up: mãe, filho e o cordão umbilical.




Esse é um instrumento. Poderia ter sido usado para ajudar a criança a sair, sair da mãe, quando houvessem algumas complicações. Também é feito do mesmo material, lydite.

Você tem aqui [centro], a vagina e a cabeça da criança saindo. E no verso [direita], você pode colocar apenas o seu polegar dentro. Isso significa que este instrumento só pode ser usado com os dedos - ou seja, você não poderá usar a força. Então isso significa que ele pode ser mais seguro para ajudar a criança saindo da mãe do que os instrumentos que estamos usando hoje dia, porque às vezes os instrumentos  modernos, quando utilizados, podem danificar a cabeça da criança.


O da esquerda pensamos ser um instrumento médico. Também é de lydite e têm forma perfeita.

Um outro e estes são os outros no centro. Eles são muito menores do que o mostrado nesta foto. Quando fizemos a verificação do material em Viena, um os maiores peritos do mundo verificou as peças. Antes de tudo o material: cada um é feito de lydite.


E a forma em si, ele as verificou e, finalmente, ele disse: Eu não posso te dizer como elas foram feitas, quem foi que as fez. Mas a única coisa que posso definitivamente dizer... desse mesmo material, em nossos dias, não podemos fazer os mesmos instrumentos.




Então, quão antigos eles são, não sabemos. Como eles foram encontrados na Colômbia e não se encaixam em qualquer cultura pré-colombiana existente, devemos considerar que esses artefatos têm, pelo menos, mais de 6.000 anos, mas não podemos explicar que tipo de tecnologia que eles usaram para serem capazes de fazer tais instrumentos e ferramentas feitos de lydite.

Você pode ver que cada peça se encaixa exatamente em todo tipo de mão, não importando quão grande era o tamanho da mão. Cada instrumento, cada ferramenta, se encaixa perfeitamente  em cada mão que estava usando esses instrumentos.




Isto, por brincadeira, eu chamo de cadeira do dentista... perfeitamente feito, o mesmo material: lydite. E a pergunta estranha é: por quê, se eles podiam fazer tais figuras perfeitas deste material muito difícil, por quê é que eles mostram a face humana sempre com os olhos redondos grandes e um nariz pequeno e uma boca grande? Não há nenhuma explicação real possível.


Essa cara [esquerda] parece um pouco com o Moai, as grandes estátuas de pedra da Ilha de Páscoa. à direita, você tem um close-up.



Esta é mais uma peça da Colômbia, lydite. Na parte da frente você vê a mãe segurando o bebê e na parte de trás você vê o homem com armaduras, provavelmente para a caça.
Esta estatueta de pedra foi encontrada na Colômbia. Parece exatamente com as estátuas Moais da Ilha de Páscoa, mas tem apenas cerca de 30 centímetros de comprimento.



Esta é outra obra-prima da escultura de pedra. Você tem em ambos os lados a representação de uma ave, mas se você olhar de frente, você pode ver que as duas aves representam um rosto. E do lado esquerdo [à direita], entre a cabeça do pássaro e as asas, você vê novamente a escrita desconhecida que descobrimos em pedras por todo o mundo.



Esta é a mãe segurando uma criança, o rosto é muito estranho e é um tipo de jade.



Esta é outra pedra da Colômbia mostrando um tatu. No topo do tatu, você pode ver um rosto estranho, com orelhas longas e dois chifres na cabeça.



Sobre este artefato você pode ver um rosto sorridente no topo. Você tem dois triângulos neste lado [à esquerda] e do outro lado, do lado direito, [à direita] você tem um rosto. Novamente, no lado direito, está a face do animal e alguns símbolos desconhecidos.

E na parte inferior desse objeto, você vê um animal... parecido com um crocodilo.

Guiné, na África Ocidental

Agora estamos nos movendo para a Guiné, África Ocidental, muito próximo a fronteira com o Mali.



Eles encontraram em uma montanha de granito imensa, o meio-retrato de uma senhora feita em pedra de granito. O tamanho desta estátua do topo da cabeça até o meio do tronco é exatamente 150 metros. Portanto, esta é, na verdade, uma grande questão: Quem poderia ter sido capaz de fazer tal meio-retrato de granito enorme em uma montanha há, pelo menos, 10  ou 12.000 anos?

O geólogo italiano, Professor Pitoni, esteve no local. Ele fez essas fotos. Ele verificou a terra na base desta montanha e o cálculo dele era de que esse monumento de pedra deve ter sido feito pelo menos há 10 ou 12 mil anos. Mas, então, temos uma questão importante: Quem poderia ter sido capaz de fazer tal um monumento de pedra tão grande? Mesmo nos nossos dias seria impossível, ou isso custaria tanto dinheiro que não seria possível fazer.

E se você olhar para o close-up do rosto, alguns especialistas disseram-me que esse cara definitivamente não é européia, mas também, evidentemente, não é o preto africano. Deve ser uma cultura sul-americana ou asiática. Mas, novamente, estamos no tempo de 10 a 12.000 anos. Talvez seja a civilização, a civilização perdida de Atlântida.
Perto desta área na Serra Leoa, Professor Pitoni era responsável pelas escavações de diamantes. Foi quando ele ouviu, nesta área, uma lenda sobre Deus estar zangado com alguns anjos e os transformou em pedra e os lançou na Terra. Ele pegou o céu... Também o transformou em pedra e o atirou para a Terra. E pegou as estrelas e as jogou na Terra.
A lenda diz que o céu, você pode ver nesta pedra - eles a chamam Pedras do Céu, pedras  azul-celeste, encontradas nesta área sob a terra. Fizemos uma pesquisa em Viena... esta é uma pedra definitivamente artificial, não é uma pedra natural e outros materiais podem ser encontrados. Mas a única coisa que não puderam nos informar é que tipo de cor que eles usam para conseguir esta cor azul-celeste real.



Figuras de pedra foram encontradas a baixo de 20 metros, até mesmo 50 metros. O Professor Pitoni sempre pegava alguns materiais orgânicos do local e a idade desses artefatos de pedra variam de 2.500 anos anos, até a mais antiga de 17 mil anos. No lado inferior direito, você tem uma pedra de granito, chamada de Nomoli, com um entalhamento muito bom.

Lá você tem um homem sentado em um elefante, como há também as lendas de gigantes em toda a África. Você sabe quão grande é um elefante! É uma escultura de pedra maravilhosa, é muito dura e muito pesada.



Existem também alguns artefatos mostrando meios-humanas ou humanos, com a cabeça de um réptil segurando uma espécie de pote na mão e que se poderia colocar algo dentro deste pote. E também em cima de vários Nomolis há um buraco para se colocar algo dentro e muito provavelmente eles foram usados para cerimônias.

Aqui você tem um tipo de animal [imagem acima, à direita]... parece um dinossauro. Quando o professor Pitoni encontrou esta estátua, ela estava fazendo um barulho estranho, então ele abriu a estátua e encontrou dentro dela uma pequena bola preta. Você pode ver na base da estátua e a bola é de ferro.



Quando faziamos um estudo sobre este artefato e, especialmente, nesta esfera de metal, na manhã seguinte, o professor me chamou e me disse que alguém deve ter feito uma brincadeira de mau gosto comigo. Eu perguntei: Por quê?Porque o resultado do estudo deu que o material de metal é de aço cromado e aço cromado foi encontrado pela primeira vez no início do século 20 na Áustria. Isso significa que seria impossível achá-lo dentro de uma estátua com a idade de aproximadamente 17 mil anos!

Mas, quando, imediatamente, eu liguei para o Professor Pitoni ele riu e disse: Eu sou um geólogo. Se uma estátua está fazendo um som estranho, eu não a abro de imediato, porém eu fiz vários raios-X.

Você pode ver aqui na iagem acima, à direita, uma das fotos de raios-X e você verá que dentro da estátua ainda fechada a bola redonda, a esfera de aço cromado estava lá.

Nesta foto de raios-X você pode ver distintamente. O Professor Pitoni também viu que esta estátua de pedra, no passado, já foi aberta, mas perfeitamente fechada novamente. Ele chamou um especialista que a abriu exatamente de acordo com esta foto, tirando a bola pequena de pedra que estava fechando o buraco, como você pode ver a bola de metal estava lá.

Gigantes



Mas essas fotos que eu estou mostrando agora, elas definitivamente não estão saindo de um concurso do Photoshop. Estas fotos são crânios e esqueletos reais.

Este crânio foi encontrado em um sistema de túneis subterrâneos na Colômbia. O crânio é datada de cerca de 11 mil anos. O crânio é maior que um crânio normal e os dentes da frente do maxilar são alinhados de forma diferente dos nossos dentes.

BR: Algo me ocorre aqui, é que há uma mandíbula forte, pronunciada. É uma linha de mandíbula muito saliente, um queixo muito proeminente.


E aqui você vê uma fotografia que nos foi mostrada por um denunciante do Projeto Camelot. Agora, isso não é uma fotografia real, isto é uma cena de um velho filme de Arnold Schwarzenegger, Conan, o Bárbaro. O que você está vendo aqui é um efeito especial no ator James Earl Jones. O ponto crítico aqui é a forma da linha mandíbula.

A nossa testemunha, que havia passado algum tempo com os Annunaki, um tempo real nos dias de hoje, disse que uma das coisas que os caracteriza, além da dimensão deles - que ele diz ser de oito ou nove pés de altura. Ele disse que eles são muito grande e muito fortes e eles parecem maiores do que isso. Mas isso é ao redor da altura deles, que corresponde exatamente aos 2,6 metros que Klaus está falando. Ele disse que havia uma linha de mandíbula muito forte e proeminente e é isso que me impressiona sobre esses esqueletos, estes crânios aqui, que nós estamos olhando agora.

KD: Eu não sabia disso...

BR: Não, você precisa saber isso!... Respondendo a Klaus...




KD: Então, mais uma vez, aqui você tem uma foto muito antiga feito em um museu em La Valletta, em Malta. Ela mostra vários crânios longos e a explicação é "crânios deformados", mas eles são muito longos indo para trás.



Este é um dos vários crânios muito, muito estranho.




Eles estão exibidos em um pequeno museu de Ica, no Peru. Ica está localizado próximo as famosas Linhas de Nazca e o museu é chamado de Museu Maria Reiche, a senhora alemã que pesquisou a vida inteira dela as Linhas de Nazca. E nesse museu você pode ver os crânios mais estranhos que eu já vi, todos foram encontrados na área próxima às linhas de Nazca. Então a questão é: Que tipo de seres humanos viviam lá e como eles conseguiram essas formas do crânio?
Especialmente, este. Definitivamente, vários médicos e especialistas me disseram que não seria possível criar tal tipo de deformação, porque por meio de deformação não se consegue o material de osso duplo no crânio. E neste crânio tem-se até mesmo partículas de pele e dos cabelos,  eu acho que não seria difícil fazer uma datação e, especialmente, uma análise de ADN do crânio.



Nesta foto eu mostro-lhe algumas formas de esqueleto lendário de gigantes. No ano de 1964, no sul do Equador, na província de Loja, quebrou-se uma parte de uma plataforma da montanha e Padre Carlos Vaca, que estava trabalhando como padre em hospitais, ele foi chamado a este lugar e ele encontrou os ossos quebrados de um gigante.

BR: Exelente! Bom, Klaus, eu perguntei se você poderia nos levar numa viagem e durante quase uma hora, eu acho que foi, você nos levou numa viagem fascinante, não só ao redor do mundo, mas através do tempo tão longe quanto 17 mil anos!

É um lembrete real de quão pouco sabemos sobre qual é realmente a nossa história. Estas são peças importantes de um importante quebra-cabeça e você está ajudando a elevar de uma forma enorme a sensibilização das pessoas sobre o que não é mostrado em muitos museus, o que não lemos nos livros antropológicos e o que muitos professores universitários ainda se recusam a reconhecer.

Muito obrigado por ajudar a aumentar a nossa compreensão de nossa própria`ri história no planeta Terra. Klaus, obrigado.








=====================================================================

Klaus Dona
Conheci Klaus Dona, uma artefatos austríaco pesquisador , em julho de 2009. Sua entrevista Projeto Camelot (disponível aqui ) foi extremamente bem recebida, e muitas pessoas escreveram pedindo um follow-up. Então, eu estou feliz em trazer-lhe mais .
Este vídeo é um slideshow de 45 minutos, com um comentário pessoal de Klaus. É, detalhado, intensivo, absorvendo ricas em dados, e pode conter informações mais surpreendente sobre a história da raça humana em um lugar que qualquer outro vídeo que você já viu.
A viagem em que embarcamos abrange Atlântida, humanóides reptilianos, os Anunnaki, simbolismo antigo, ciência antiga, uma antiga língua global, e muito mais. Este material é surpreendente, que tem a minha mais alta recomendação. Aproveite.

Bill Ryan

bill@projectavalon.net




Total de visualizações de página

Página FaceBook