BARRA ANIMADA


Translate

SEJA BEM VINDO


BARRA 2


Mensagem


A Frequência Fotônica Pleiadiana e a Nova Era do Fóton


segunda-feira, 13 de julho de 2015

O que Sabemos não é tudo que Existe - Parte 184 AMÉRICA, MISTERIOSA AMÉRICA!



"O talismã com que o arqueólogo reanima civilizações mortas há muito tempo, é feito da propriedade tangível deixada por homens do passado. 
Essas coisas percorrem toda a escala de valores, e são de importância variada mas, aos olhos do verdadeiro arqueólogo, cada qual tem algo para contar" (Ernst Buschor)




Sem qualquer dúvida, os nossos velhos e convencionais tratados de História necessitam urgentemente de uma revisão. Debora Goldstern, nossa dileta amiga e também visitante deste Site, renomada escritora, pesquisadora e membro da Universidad Abierta de Zamora, Buenos Aires, Argentina, muito gentilmente não só nos forneceu algumas dessas espantosas imagens, como também alertou-nos quanto aos vestígios de um perdida e muito evoluída civilização que em tempos muito recuados habitou o atual território da Argentina. Trata-se da "Cultura Aguada", a qual, mesmo com os nossos longos anos de pesquisas no muito vasto campo do Realismo Fantástico, não conhecíamos. Acima, você vê um espantoso artefato elaborado em BRONZE e com baixo teor de estanho, deixado por aquela misteriosa civilização. Preste bastante atenção nos seus detalhes, notadamente nas DUAS AERONAVES que o personagem retratado tem ao peito. Note-se, também, cruzes (um símbolo, diga-se de passagem, muito mais antigo do que o Cristianismo) e um outro simbolismo tipicamente solar no adorno da sua cabeça.


A chamada Cultura Aguada que, acredita-se, tenha subsistido até o ano 700 da nossa era, habitava áreas de bolsões e vales montanhosos, próximos aos rios, e teve seus vestígios encontrados nas áreas de Vale Hualfín; Bélen; Serra de Andalgalá; Vale de Abaucán; San Blas de Los Sauces; Bañados Del Pantano; e no Vale de Catamarca, este no qual chegou a erigir uma grande PIRÂMIDE! (FOTO: ArgentinaXplora)


A Cultura Aguada praticava com extrema habilidade a metalurgia, deixando para a posteridade não somente os seus belos trabalhos como também uma profusão de enigmas, notadamente quanto à sua origem.


E esses artefatos nos mostram um certo simbolismo bem diferente daquele que geralmente encontramos nas culturas pré-colombianas conhecidas, tais como os Maias, os Incas e os Astecas.


Eis um exemplo disso. Há misteriosos sinais e símbolos.


Aqui vemos outros exemplares do simbolismo da Cultura Aguada: um estranho símio - ou ainda um jaguar estilizado - e um pássaro. Algo que, de certa forma, nos remete às figuras de Nazca, por sua vez no Peru.


E nessa imagem um exemplar da bem elaborada arte praticada em cerâmica por aquela misteriosa cultura.


Há, contudo, algo bastante revelador nos belos exemplares de cerâmica encontrados nas ruínas que nos foram deixadas por essa muito antiga cultura - algo todavia MUITO MAIS ANTIGO DO QUE ELA PRÓPRIA!


Assim sendo, os exemplares de cerâmica da Cultura Aguada começam a nos fornecer uma intrigante pista que surge principalmente não só nos seus intrincados desenhos, como também.....


..... Nas suas bizarras esculturas que nos mostram alguns estranhos animais, diríamos, pré-históricos!


A semelhança que encontraremos a seguir é extraordinariamente chocante. Uma vez que já vimos EXATAMENTE ISSO em algum outro lugar e em um outro país! (FOTO: Eduardo Aroca)


Claro que é absolutamente idêntico! A extraordinária semelhança está precisamente nas misteriosas PEDRAS DE ICA, encontradas pelo Dr. Javier Cabrera aos milhares em Ocucaje, Peru - obras de uma fantástica e muito avançada civilização tecnológica que esteve presente na Terra há talvez milhões de anos atrás! Uma civilização que, assim como as imagens gravadas nas suas pedras nos mostram, conhecia a cartografia, as viagens espaciais, praticava elaboradas cirurgias e além de tudo era dotada de avançados instrumentos tecnológicos. Aliás, pode-se ver na foto acima nessa pedra de Ica algo que, guardadas as devidas proporções, nos lembraria um pente de memória para computadores! (FOTO: Peter Schneider)


A conclusão a que se chega é que a cultura Aguada teria sido remanescente daquela mesma cultura que esteve presente em Ocucaje, Peru, deixando-nos as intrigantes Pedras de Ica! Toda a América do Sul, assim como a América Central, foram habitadas, ou colonizadas, em épocas muito distantes por uma estranha raça DA QUAL todas as demais que conhecemos - Maias , Incas e Astecas - herdaram a cultura, o conhecimento e algumas tradições. Essa civilização desconhecida legou inclusive a técnica de construção das portentosas pirâmides ou, mais possivelmente, talvez teria sido ela mesma que as construiu.


Será, porém, precisamente no nosso subsolo que se escondem os maiores de todos os mistérios do planeta. Acima, você vê uma das soturnas entradas para um lugar simplesmente fantástico da |América do Sul - talvez o mais fantástico de todos:


O nome é Los Tayos, um gigantesco complexo de túneis escavados na noite dos tempos por uma desconhecida civilização e contendo no seu interior uma espécie de BIBLIOTECA METÁLICA, contando uma História desconhecida que remonta há 250 mil anos! Descoberto em 1969 nos Andes Equatorianos - a cerca de 150 milhas ao Sul de Quito e a uma altitude de 800 metros nas faldas setentrionais da Cordilheira Del Cóndor - pelo cidadão naturalizado argentino Juan Moricz, sua localização e os artefatos lá encontrados foram mantidos em segredo por um certo tempo. E tal como no Grand Canyon, este nos EUA, esse complexo escavado igualmente se dirige profundamente ao subsolo montanhoso tendo, a cerca de 250 pés da superfície, um enorme plataforma que se irradia num outra série de túneis ARTIFICIAIS, estes mergulhando para outra grande plataforma situada a cerca de 500 pés e esta, por sua vez, com seus outros longos túneis descendo cerca de 750 pés de profundidade. Além disso não se pode ir, praticamente impossível uma vez que faltaria o oxigênio! E não há dúvidas de que esse fantástico complexo foi criado por uma civilização altamente tecnológica que veio a desaparecer há muitos milênios, a qual obviamente dispunha de MÁQUINAS para escavar tal imenso complexo. Há, porém, fortes evidências que ali tenha sido estabelecido um refúgio de sobreviventes ATLANTES!


Nesse particular, refresquemos nossas memórias voltando à espantosa descoberta efetuada entre os anos 1990/1991 em um "projeto secreto" do Governo Americano, no qual foram escavadas e confiscadas em local NÃO REVELADO nada menos do que CINCO dessas misteriosas máquinas datadas dos tempos pré-históricos - evidentemente pertencentes a uma sofisticada e muito avançada civilização altamente tecnológica, desconhecida, do passado. Não se soube a exata finalidade delas, mas para um bom entendedor meia imagem vale: ISSO PARECE MESMO UMA PERFURATRIZ!!! E há também um outro detalhe: nos corpos dessas máquinas estavam estampado desconhecidos hieróglifos!


Voltemos a Los Tayos: Zoltan Czellar, assistente de Juan Moricz, chegou a enviar o Fax acima para a National Geographic Society relatando as sensacionais descobertas efetuadas na Cueva de Los Tayos, no qual se referia ao insólito encontro de esqueletos petrificados de seres gigantes! Na última página desse Fax (direita), diversas testemunhas atestam terem visto um desses enormes esqueletos!


Reprodução do texto mais importante do Fax, no qual se lê: - O fenômeno dos gigantes é perfeitamente verificável. Aproximadamente 70% dos esqueletos petrificados de mulheres com cerca 21 anos foram descobertos neste país. Por mais difícil de acreditar que possa parecer, a altura desses esqueletos foi estimada em cerca de 20 pés (6 metros!). Tenho conhecimento pessoal quanto ao exato local onde esqueletos similares podem ser desenterrados. Inacreditável? De fato, não. O mundo ainda esconde muitos segredos que virão á luz nas futuras gerações"....


Aliás, a National Geographic parece ter uma certa "alergia" ao espinhoso assunto e pelo visto não deve ter dado muita importância àquela importante descoberta. Acima, temos um exemplo típico de que, de vez em quando, a Natureza retorna ao passado e propicia - mesmo nos nossos modernos tempos - o nascimento de verdadeiros "gigantes". Essa foto foi tomada em 1922 pela própria equipe da National Geographic na Mongólia, mostrando um "deles" em comparação à normal estatura da população local. Porém, até hoje não a publicaram.... Foi para os arquivos! Por que?


Escondem? Não tem problema, nós estamos mesmo aqui para isso! Esqueletos de verdadeiros gigantes, originários de um passado muito remoto e desconhecido, têm sido encontrados em todas as partes do planeta, porém essas descobertas são sistematicamente abafadas pela grande central de contraverdades que infelizmente e desde muito nos assola. Em uma caverna da China, por exemplo, foram encontradas diversas múmias petrificadas de criaturas gigantes. Acima, você vê dois muito expressivos exemplares delas.


Mas, voltemos a Los Tayos. Como costuma acontecer com os profanadores desses estranhos lugares (onde, por sinal, justamente em Los Tayos estranhas radiações lá dentro não permitiam até mesmo o funcionamento das bússolas) Moricz morreu misteriosamente algum tempo depois de causa desconhecida, suspeita-se que envenenado. Da mesma forma que todos os seus auxiliares que com ele participaram da expedição: Julio Góyen Aguado e Zoltan Czellar, ambos vítimas de estranhos acidentes posteriores! Na foto, Zoltan Czellar e Moricz.


Mistérios são mistérios! E além do escritor Erich Von Däniken, como seria natural visto que é um pesquisador, veja só quem esteve também bisbilhotando as cavernas artificiais de Los Tayos: o ex-astronauta da NASA Neil Armstrong, uma espécie de "embaixador itinerante" sabe-se lá de quem, o qual muito discretamente percorreu vários sítios arqueológicos "proibidos" do planeta, (todos eles invariavelmente associados às antigas e muito misteriosas civilizações perdidas) - O quê exatamente estaria fazendo um ex-astronauta e membro honorário da NASA naquele local? POR QUE e, principalmente, PARA QUÊ? Teria sido por mera curiosidade? Claro que NÃO! Ele até fazia parte de uma.... EXPEDIÇÃO. Sutil? Sim! Lembremos que foi um "projeto secreto" do Governo Americano que encontrou aquelas 5 máquinas pré-históricas em um local "NÃO REVELADO"..... Quem sabe não teria sido em Los Tayos mesmo? E se não o foi, só resta o misterioso, gigantesco (e idêntico) complexo de túneis ARTIFICIAIS montanhosos escavados há milênios no Grand Canyon, no Arizona, EUA.


Zoltan Czellar disse na primeira página do seu Fax à National Geographic que Juan Moricz não permitiu a entrada de Erich Von Däniken na Cueva de Los Tayos e tampouco permitiu que alguma coisa fosse levada de lá ou sequer fosse fotografada. Däniken porém, partiu em busca de algo mais fácil de encontrar e situado no mesmo país. Deve-se ao Padre italiano Carlo Crespi, que foi pároco da da cidade equatoriana de Cuenca, a divulgação de uma das mais sensacionais descobertas arqueológicas representada pelos achados em 1962,e portanto algum tempo antes de Juan Moricz, de um esconderijo subterrâneo deixado por essa mesma desconhecida e antiqüíssima civilização (por sinal, muito anterior às culturas pré-colombianas conhecidas) a qual elaborou centenas de placas metálicas - não só em metais comuns, tais como o latão, cobre e zinco - como também no mais puros exemplares de OURO E PRATA! Não se sabe se a verdadeira origem das tais placas era Tayos ou um outro complexo arqueológico similar, mas o certo é que os os índios presentearam o Padre Crespi com centenas desses artefatos. Além do inestimável valor material desses achados, neles existem as gravuras de inúmeros animais desconhecidos, monstros pré-históricos, serpentes e pássaros bizarros, como também um estranho simbolismo não-identificado. Padre Crespi reuniu tudo em um museu que - como seria de se esperar e pelo fato de ter sido muito "embaraçoso", frontalmente contrariando a História tradicional - foi misteriosa e criminosamente incendiado, perdendo assim a maior parte do seu valioso acervo. (FOTO: Erich Von Däniken)


Um museu "indigesto" e embaraçoso até em demasia, até mesmo porque as imagens gravadas nas suas centenas de intrigantes placas mostravam certas figuras que decididamente não combinavam com tudo aquilo que tradicionalmente se conhecia em relação às antigas culturas da América do Sul.


Contudo, além dos inusitados detalhes da pirâmide, dos misteriosos personagens e dos elefantes na América do Sul (?!) algo inusitado uma vez que os ancestrais dos elefantes somente viveram nas Américas em um período que antecedeu os 12 mil anos - ou quem sabe mais - o que de maneira gritante chama a atenção nessas peças arqueológicas são exatamente as desconhecidas inscrições nelas postadas. Um alfabeto INTEIRAMENTE DESCONHECIDO!


Além disso, há também na chamada "Biblioteca Metálica" uma profusão placas contendo outros misteriosos sinais e ideogramas possivelmente também associados a uma desconhecida espécie de escrita! E os sábios dizem que as civilizações pré-colombianas não conheciam a escrita! Até que podemos concordar com isso, pois TUDO nos atesta que essas gritantes evidências dizem respeito à existência de uma cultura, portanto, MUITO mais antiga e EVOLUÍDA, a qual em épocas remotíssimas esteve, de fato e indubitavelmente, presente em TODA a América do Sul! (FOTO: Erich Von Däniken)


E aqui uma foto inédita que também nos foi gentilmente remetida por Debora Goldstern, mostrando algo surpreendente: talvez o mais surpreendente achado do Padre Crespi na sua "Biblioteca Metálica" do Equador. Um personagem da misteriosa cultura que ali esteve estabelecida..... E sendo dotado de um tipo físico completamente distinto das antigas culturas pré-colombianas que muito mais tarde viriam a se estabelecer na área! Note-se os estranhos símbolos constantes na sua cinta.


De fato, a misteriosa cultura que nos legou a Biblioteca Metálica de Tayos era uma raça totalmente desconhecida. E além do mais utilizava-se de um avançado sistema de escrita hieroglífíca - conforme se pode notar pelo painel de caracteres, bem ao lado da personagem retratada!


O que, para nós, não representa surpresa alguma, uma vez que por todas as partes do planeta encontram-se os misteriosos sinais deixados por perdidas civilizações, das quais nem sequer suspeitamos a existência e que, de maneira altamente inteligente, sabiam que o ouro e as rochas são os veículos ideais para neles se deixar registros históricos e mensagens pois, desafiando o tempo, perduram eternamente!


Sim, incrivelmente SIM! Toda a América do Sul foi, em tempos remotíssimos e perdidos, o habitat de uma prodigiosa cultura que se espalhou pelo seu imenso território. Peru, Bolívia, Equador, Argentina, Chile, Venezuela e Brasil estampam as marcas indeléveis de uma glória passada e no entanto lamentavelmente esquecida. Há pirâmides tão antigas quanto a noite dos tempos, perdidas na imensidão da Floresta Amazônica Brasileira (foto), ainda intocada e virgem desde milhões de anos atrás! Há entradas misteriosas para um mundo subterrâneo, talvez ainda habitado pelos remanescentes de uma estranha raça do passado - como por exemplo na Serra do Roncador, Mato Grosso, Brasil, (foto da direita) com as suas intrigantes esfinges montanhosas, onde em 1925 desapareceu para sempre o Coronel Inglês Percy Fawcett em busca desse tal mundo subterrâneo e dos supostos vestígios ATLANTES que tinha certeza absoluta existirem.


Fawcett, aliás, estava de posse de um misterioso ídolo, ostentando inscrições em um alfabeto desconhecido, que além de parecer estar dotado de uma misteriosa carga elétrica, fornecia a exata localização para uma das entradas do reino subterrâneo atlante, situada lá por aqueles lados das impenetráveis selvas brasileiras (reprodução acima). Tudo isso, além de muitas outras coisas mais, prova que o nosso pequeno mundo é realmente um mundo de mistérios e que, portanto, ainda nos resta muito a descobrir. Tudo aquilo que muitos hoje enfaticamente negam poderá vir a ser a espantosa verdade do amanhã. É apenas e tão-somente uma simples questão de tempo! Honestamente, não devemos jamais duvidar daquilo que hoje em dia alguns céticos consideram como inverossímil e inacreditável. Assim, fazemos nossas as palavras de Zoltan Czellar no seu velho Fax dirigido à National Geographic Society: Inacreditável? De fato, não. O mundo ainda esconde muitos segredos que virão á luz nas futuras gerações.






Total de visualizações de página

Página FaceBook