BARRA ANIMADA


Translate

SEJA BEM VINDO


BARRA 2


Mensagem


A Frequência Fotônica Pleiadiana e a Nova Era do Fóton


sexta-feira, 17 de julho de 2015

O que Sabemos não é tudo que Existe - Parte 192 AS SILENCIOSAS MENSAGENS DOS DEUSES



"O que foi é, e o que será e o que foi feito é o que se fará. Não há nada de novo sob o Sol. Se alguma coisa se disser: 
"Vê, isto é novo", esta coisa já existiu nos séculos que nos precederam" (Eclesiastes - Cap. 1, Vs. 9/10)




Floresta Amazônica Brasileira, palco de uma sensacional descoberta arqueológica efetuada no ano 2005 mas somente divulgada em maio de 2006. Na região abrangida pelo Estado do Amapá, próximo a Calçoene, 127 blocos de granito distribuídos por uma vasta região, representam aquilo que os arqueólogos consideram como "O Stonehenge da Amazônia", possivelmente um colossal observatório astronômico do passado remoto - e com uma idade estimada em 2 mil anos, ou talvez muito mais. Os perplexos arqueólogos justificadamente consideram que somente uma sociedade dotada de uma cultura complexa, além de altamente organizada, seria capaz e produzir tais feitos e, principalmente, que essa descoberta serve para enterrar de vez a crença de que a Amazônia jamais abrigara sociedades desenvolvidas. Como também afirmam que as recentes descobertas efetuadas na Floresta Amazônica cada vez mais revelam os indícios de culturas organizadas, algumas com mais de 5 MIL anos de idade! Já a arqueóloga Mariana Petry Cabral, do Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá, IEPA, acredita que essas ruínas possam ter pertencido a uma espécie de templo, aliado a um observatório astronômico. A disposição dos monólitos marca com extrema exatidão o solstício de inverno e, ao final do ano, a luz do Sol passa exatamente pelo meio de um deles. E tal como em Stonehenge, o mistério continua. Nesse caso da Amazônia, os arqueólogos da mesma forma não sabem qual povo erigiu esse intrigante complexo e muito menos QUAL a tecnologia empregada para cortar, mover, transportar e dispor as enormes rochas graníticas que o compõe. Na foto, vemos a imensa escultura de um estranho animal, também existente naquele local. (Fonte e FOTO: Jornal O GLOBO, Rio de Janeiro)


Aqui, mais alguns detalhes dos enormes blocos rochosos - todos postados em círculos no alto de um morro - que fazem parte do intrigante complexo de ruínas do Amapá. Os arqueólogos concordam que esses enormes blocos de pedra, pesando várias toneladas e ostentando alturas que ultrapassam os 3 metros, foram obras de uma civilização que detinha elevados conhecimentos de Engenharia capaz de erigir edificações sofisticadas, além de possuir um conhecimento muito especializado sobre fenômenos celestes!


Sem dúvida alguma, a misteriosa e impenetrável Floresta Amazônica esconde estonteantes segredos. Segredos que dizem respeito à existência de uma (ou talvez mais de uma) avançada civilização desconhecida que há milhares, ou quem sabe milhões de anos atrás, a povoou, deixando as suas marcas em meio à vastidão verde, hostil e misteriosa daquelas selvas. Há sinais por todos os lados, vestígios que cada vez mais se tornam absolutamente inequívocos. Será, porém, a moderna tecnologia espacial que começará a desbravá-los:


Uma vez que nessa incomensurável vastidão verde e hostil, existem lugares tão impenetráveis os quais o homem branco jamais sonhou em atingir e onde nem mesmo os índios se atrevem a ir! Na foto acima, o satélite da ESA (Agência Espacial Européia) nos mostra na Floresta Amazônica Brasileira uma imensa área cortada pelo Rio Negro. Aqui há inúmeras surpresas. Observe essa imagem com bastante atenção..... (FOTO: © ESA, por especial cortesia do nosso estimado visitante Mariano)


Onde na extremidade superior esquerda, existem estranhas edificações que lembram PIRÂMIDES!.... (sobre FOTO: © ESA)


E na região central, um imenso e muito evidente monumento em forma de rosto!...... (sobre FOTO: © ESA)


..... Que, por sinal, não é o único! Veja, um outro logo abaixo dele, como também um curioso perfil bem abaixo da região cortada pelo Rio Negro. Tudo, evidentemente, feito para ser visto a partir do céu! (sobre FOTO: © ESA)


.... E na extremidade direita, vemos uma espécie de monumento que pode ser confundido com uma montanha - por sinal inteiramente distoante da paisagem circundante e que parece ter sido artificialmente construído! Pode se tratar de uma antiga e além de tudo colossal fortaleza! Note-se a muralha na sua parte superior, bem como as suas grandes torres circulares. (sobre FOTO: © ESA)


As fotos tomadas pro satélites não mentem! Existem mesmo estranhas estruturas espalhadas pela vastidão da Floresta Amazônica intocada há milhões de anos! QUEM exatamente as teria erigido? Mistério! Veja, por exemplo, esse outro estranho complexo na extremidade inferior direita dessa imagem - tomada em uma outra área.....


..... E eis o seu correspondente negativo. Note-se, logo acima das estruturas retangulares e bem no canto da imagem, algo que parece ser uma pirâmide!


E por falar em pirâmides desconhecidas nas selvas amazônicas, sempre vale relembrar essa outra antiga foto de satélite tomada sobre uma região inatingível e denominada Paratoari, que mostra um enorme complexo com nada menos que oito delas (na foto, ao centro), já bem próximo da fronteira do Brasil com o Peru!


E o eficiente satélite da ESA também nos mostra na vastidão inóspita do Deserto da Líbia os misteriosos orifícios circulares espalhados por uma grande área - possivelmente uma das inúmeras bases alienígenas estabelecidas no nosso mundo! (FOTO: © ESA, por especial cortesia do nosso estimado visitante Mariano)


Alguma notável semelhança com aqueles misteriosos orifícios fotografados no solo de MARTE, conforme mostrados na foto acima? SIM; claro que sim. Parece mesmo que tem tudo a ver!


E também naquele mesmo deserto da Líbia, existem outras estranhas edifcações desconhecidas (centro): (FOTO: © ESA)


..... Aqui mostradas com maior aproximação da imagem. Note-se o que parece ser duas pirâmides, ambas dotadas de coloração esverdeada. (sobre FOTO: © ESA)


E por falar em intrigantes coisas "verdes", já no desolado deserto próximo ao Egito o satélite da ESA nos mostra essas estranhas edificações escalonadas que em muito se assemelham a imensos degraus que conduzem ao subsolo - ou então, quem sabe, às desconhecidas ruínas de uma perdida civilização. (FOTO: © ESA)


Há profundos mistérios, por trás desde os mais simples ao mais portentosos monumentos deixados pelos povos do nosso remoto passado! Todos eles envolvem um alto conhecimento tecnológico, ainda hoje fora do nosso alcance mesmo com todos os nossos tão decantados progressos do século XXI. Conhecimentos que vão desde as suas localizações muito específicas (na verdade "específicas" em demasia, assim como veremos logo a seguir), como também e muito principalmente no que tange à tecnologia empregada para construí-los. Na imagem acima, o esquema do fantástico complexo do interior da Grande Pirâmide de Gizé, Egito.

"Os poucos milênios que imaginamos que marcam a história do homem sobre a Terra são determinados pelos vários objetos descobertos pelos arqueólogos, datados pelo radiocarbono, o potássio-argônio ou outras técnicas, e confirmados pelos testemunhos comtemporâneos, se alguns existem; sobre as vastas eras de evolução humana pregada pelos paleontologistas nada se sabe. Os cientistas hoje admitem que as civilizações de outros planetas não são síncronas com a nossa. É possível qu em idades passadas alguns astronautas que andassem explorando a nossa beira da galáxia tenham desembarcado na Terra e, obedientes à Lei Cósmica, tenham ensinado ao homem primitivo os rudimentos da cultura; talvez tenham governado como reis, partindo depois para semearem as sementes da civilização em outras partes. Essa hipótese não é absolutamente ficção científica, pois nos séculos vindouros é intenção dos cosmonautas futuros espalhar as duvidosas bênçãos da Terra por todas as estrelas visíveis"
(W. Raymond Drake - Deuses e Astronautas no Antigo Oriente)


"Ley Lines e as Energias da Terra", "Ley Lines e o Grandioso Mistério das Paisagens" - dizem os títulos desses livros. E você: por acaso, já ouviu falar sobre "Ley Lines"? Saiba, então, que elas existem mesmo! Descobertas em 1921 por Alfred Watkins, basicamente são uma série de linhas que se cruzam e entrecruzam através de todo o globo terrestre, formando em alguns pontos da crosta terrestre certos vórtices altamente energéticos - inúmeros deles, aliás, já devidamente mensurados e identificados!


Watkins acreditava que esses curiosos alinhamentos não puderam acontecer por mero acaso, uma vez que o chamado homem pré-histórico (ou uma antiga civilização tecnológica, diríamos nós) deliberadamente identificou essas trilhas magnéticas como uma espécie de "rede" usando vários marcos nas paisagens para identificar tais vórtices. Curiosamente, nesses locais, de fato, SEMPRE encontramos um monumento, todos postados em zonas muito especiais e além de tudo muito antigas, servindo para demarcá-los.


E mais espantoso ainda: são as mesmas linhas magnéticas que os pássaros, os mamíferos e os insetos seguem nas suas migrações, como por exemplo, até mesmo os filhotes das tartarugas marinhas (foto) que 25 anos DEPOIS e seguindo essas linhas magnéticas retornam ao EXATO local onde nasceram para desovar! Sem esquecermos, é claro, dos UFOs que as seguem nos seus deslocamentos - daí o fato de essas misteriosas naves serem insistentemente detectadas sobre esses antigos sítios e velhos monumentos originários do nosso remoto passado! (FOTO: Projeto Tamar)


Apenas para darmos alguns exemplos as "Ley Lines" se entrecruzam em Nazca; Egito (Gizé); Ilha de Páscoa; Floresta Amazônica; Stonehenge; Angkor; Ollantaytambo; Machu Picchu; Sedona; Tassili; Petra; Chaco Canyon (foto); Pedra da Gávea e etc..... Seriam pontos, por assim dizer, "nevrálgicos" do nosso planeta onde aflorariam forças muito especiais - correntes energéticas altamente poderosas, tornando assim esses locais altamente sagrados e, portanto, respeitosamente reverenciados pelos antigos.


E em alguns lugares, os antigos até mesmo demarcavam essas linhas - também conhecidas como "As Linhas do Dragão" - assim como pode ser visto nessa região da Costa Rica que além disso ostenta um "mound"! Seria tudo isso uma mera coincidência? Claro que não; trata-se de CIÊNCIA PURA! Mas QUEM exatamente a teria transmitido?


Não sabemos! Contudo, a verdade é que esse espantoso conhecimento, teoricamente fora da sua época e do seu próprio tempo, é um profundo mistério. Os animais, como é natural, possuem uma alta sensibilidade instintiva e, portanto, não há nada demais com o fato de eles serem capazes de "interpretar" tais linhas magnéticas e, por intermédio delas, se orientarem. Mas o quê dizer dos seres humanos, até mesmo hoje escassamente dotados de sensibilidade instintiva? Como então teriam feito para interpretar os intrincados percursos dessas linhas? A resposta pode estar nessa intrigante e milenar pintura rupestre (negativo à direita), encontrada na Austrália e exatamente ONDE existe um desses vórtices magnéticos! O bizarro personagem retratado (que, por sinal, mais nos lembra um alien) parece estar usando um aparelho dotado de antenas, possivelmente um detector de campos magnéticos!!!


E eis um close da inusitada criatura e do seu estranho aparelho. Note-se o fino pescoço; o largo volume de seu crânio com ressaltos laterais; e também o longo braço. Tipicamente um alien!


Por todas as partes do nosso pequeno planeta, as evidências relativas à existência das fantásticas civilizações que nos precederam no mais remoto e desconhecido passado surgem e, dessa forma, jamais podem ser negadas. E contrariando tudo aquilo que nos ensinam, uma nova verdade, um novo e espantoso conhecimento, emerge a cada dia que se passa.


E não se sabe exatamente de onde veio isso, mas que essa foto é para lá de intrigante lá isso é. Ela supostamente nos mostraria um enorme maquinário dotado de estranho símbolos, que foi descoberto por perplexos operários durante as escavações de um túnel nos EUA, em 1900. Possivelmente uma câmara secreta deixada por uma perdida, muito evoluída e também muito antiga civilização do remoto passado terrestre! Como é óbvio, por se tratar de mais um assunto "maldito" e proibido, possivelmente a grande "central de contraverdade" que sempre bloqueia o conhecimento deve ter abafado o assunto ou então mandado dinamitar tudo, assim como fizera com o monumental complexo subterrâneo atlante, descoberto no Grand Canyon, também nos EUA.


Nos porões de certos museus, como também de certas instituições ditas científicas, repousam imensos segredos cuja divulgação se torna intensamente proibida (e tabu) pelo simples fato de contrariarem frontalmente tudo aquilo que está solidamente estabelecido como a mais sacrossanta verdade oficial. Acima, você vê restos ósseos de criaturas humanas imensas que habitaram o remoto passado do nosso planeta. Como oficialmente os gigantes são "uma mera fábula", foram todos parar nas gavetas. Mas, de que adianta esconderem? Felizmente, terá sempre alguém - naturalmente revoltado, ou quem sabe iluminado - para fotografar tais coisas sempre muito embaraçosas e proibidas, finalmente trazendo-as à luz.


E nesse particular, temos que voltar aos misteriosos relevos do Templo de Hator, em Denderah, Egito, repleto de milenares imagens que claramente nos mostram LÂMPADAS e também a utilização de uma forma desconhecida de ELETRICIDADE - a mesma que deve ter sido largamente empregada para pintar os belos murais egípcios na escuridão das inúmeras tumbas profundamente escavadas nas rochas - até hoje um colossal enigma que atordoa os arqueólogos! (FOTO: © Frank Doernenburg)


É algo muito perfeito em demasia para se tratar de uma mera abstração artística, não? Aí vemos o gerador, o cabo condutor da eletricidade, como também o encaixe do mesmo no bulbo.


Porém, não é só isso! Temos também as nítidas representações menores dessas lâmpadas nos intrigantes murais de Denderah, muito embora jamais divulguem isso! Pois é, são coisas como essas que escondem de você, Prezado Visitante. Esses curiosos "hieróglifos" não são conhecidos em quaisquer dicionários de Egiptologia. Em síntese, SÃO MESMO REPRESENTAÇÕES DE LÂMPADAS - e até que bastante semelhantes às nossas modernas lâmpadas! Note-se os bocais de encaixe rosqueados. E as serpentes, evidentemente, fazem uma alusão aos FILAMENTOS! (FOTO: © Frank Doernenburg)


Não é mesmo chocante? faça então as devidas comparações. Nada de novo sob o Sol!


E, como não custa relembrar o que já vimos em uma página anterior, a coisa funciona mesmo! O pesquisador e escritor Erich Von Däniken, juntamente com alguns cientistas, reproduziram fielmente aquilo que desde 3 mil anos atrás está gravado nos murais de Denderah e dessa forma conseguiram artificialmente produzir luminosidade, trazendo assim à vida uma fantástica tecnologia, teoricamente impossível de ter existido nos tempos dos Faraós - a menos que tivesse vindo "de fora" e, logicamente, tivesse sido fornecida por alguém. Mas, exatamente QUEM? Uma herança da perdida Atlântida, ou então uma tecnologia tipicamente alienígena?


A verdade sempre aflora. E daqui por diante já não mais adianta esconder certas coisas extremamente evidentes. Aqui vemos, por exemplo, uma recente foto tomada sobre a superfície de Marte, nas proximidades daquilo que a própria NASA chama de "Inca City" ("Cidade Inca"), mostrando as ruínas de antigas edificações - ou quem sabe cidades!.....


.... Aqui devidamente ampliadas. E será que você notou o perfeito TRIÂNGULO que está postado bem na parte inferior da imagem? Tudo, por conseguinte, nos prova, como também comprova, que não estamos sós no Universo que nos cerca. Muitas civilizações pretéritas, infinitamente mais antigas do que a nossa, nasceram, cresceram, viveram e morreram - tiveram o seu apogeu e queda. Outras migraram através dos diversos mundos habitáveis espalhados pela imensidão estrelada, neles estabelecendo as suas colônias, tendo até mesmo influenciado na gênese de alguns planetas, como, aliás, parece ter sido o caso da própria Terra.


Começamos então a entender a veneração que os antigos povos prestavam aos Antigos Astronautas, ou quem sabe aos colonizadores de avançadas civilizações perdidas e muito mais antigas, transformando-os em "deuses" dos seus panteões, notadamente em razão da avançadíssima tecnologia de que dispunham e que além de tudo demonstravam. Tudo é mesmo simbolismo e, nesse particular, TODO o bem elaborado simbolismo sempre se tornará altamente revelador. Basta, apenas e tão-somente, sempre (e devidamente) sabermos ler e intrepretar as entrelinhas!


E asim sendo, é bom também saber que os famosos Crop Circles não são artigos exclusivos dos campos ingleses. Esse aí da foto surgiu recentemente no território da Rússia, causando perplexidade aos cientistas locais! De alguma forma, além das mensagens mais antigas espalhadas pelos estranhos monumentos existentes em todo o mundo, algumas outras ainda nos chegam desde algures até mesmo nos dias de hoje. E a pergunta que forçosamente e um dia qualquer será finalmente respondida é: - Tanto as mensagens daqui de baixo, como as advindas lá de cima, originárias de ONDE? Expedidas por QUEM? QUAL o significado delas? Algo que somente o tempo poderá verdadeiramente nos responder!







Total de visualizações de página

Página FaceBook