BARRA ANIMADA


Translate

SEJA BEM VINDO


BARRA 2


Mensagem


A Frequência Fotônica Pleiadiana e a Nova Era do Fóton


sexta-feira, 24 de julho de 2015

O que Sabemos não é tudo que Existe - Parte 206 DE UM OUTRO TEMPO E ESPAÇO


"Os arqueólogos têm alergia à água" (Dr. J. Manson Valentine, Oceanógrafo, Arqueólogo submarino e descobridor da muralha de Bimini em 1968)




Felizmente nem todos os arqueólogos têm alergia à água! A existência da Atlântida tem sido objeto de muita controvérsia através dos tempos. De um lado, cientistas e pesquisadores sérios empenhados na busca daquela que seria a mais sensacional revelação arqueológica de todos os tempos e, de outro, os céticos que preferem encarar o assunto como uma mera lenda que se difundiu através dos tempos a partir dos relatos do filósofo grego Platão, cujo avô em viagem ao Egito obteve tal revelação dos seus mais elevados sacerdotes. Contudo, por todo o nosso planeta, as tradições dos mais antigos povos e também as das mais diversas culturas relatam uma grande tragédia que há vários milênios submergiu todo um continente destruindo uma fantástica civilização muito evoluída tecnologicamente. Não há nada demais em se afirmar isso, uma vez que a antigüidade do nosso planeta, sem dúvida, pode ter permitido a existência de várias culturas que desapareceram através dos tempos, muitas delas talvez até mesmo muito mais avançadas do que a nossa em termos de tecnologia.


Segundo a minuciosa descrição de Platão nas suas obras Timeu e Crítias, assim era a conformação das cidades atlantes, situadas em uma imensa ilha e dotadas de uma estrutura circular rodeada por uma vasta rede de canais. Platão nos deu ainda uma pista bem mais importante: o Império Atlante dominava toda a ilha e TAMBÉM VÁRIAS OUTRAS, bem como parte do continente. Isso confirma que a região das Bahamas e adjacências (em suma, toda a área do famoso Triângulo das Bermudas) eram de certo modo interligadas à parte mais ocidental do continente atlante.


Já não há mais como negar que o fundo do Atlântico guarda ciosamente no seu seio as ruínas de uma antiqüíssima civilização perdida. Hoje, o chamado "Muro de Bimini" tem sido objeto de pesquisas mais aprofundadas, as quais cada vez mais indicam e atestam a sua natureza artificial - obra, portanto, realizada por seres inteligentes.


Possivelmente parte de uma antiga e extensa muralha que há muitos milênios esteve na superfície, a simétrica superposição perfeitamente ajustada dos enormes e colossais blocos de pedra em Bimini evidentemente implicou na utilização de uma tecnologia muito além da nossa imaginação.


E para contrariar aqueles que comodamente insistem de dentro dos seus gabinetes refrigerados em afirmar que as pedras de Bimini são "meras formações naturais", vários restos de antigas e enormes colunas (foto) têm sido encontrados nas suas proximidades.


Sim, restos e mais restos de enormes colunas! E não há como negar essa gritante evidência: em tempos muito remotos aqui existiu uma civilização!


A pequena imagem do mergulhador quase que desaparece e se torna insignificante diante da magnitude dessa colossa estrutura - chamada por muitos de "Estrada, ou Muro de Bimini". Não há como atribuir isso a um mero trabalho da Natureza! As pedras foram cortadas, transportadas e perfeitamente ajustadas quando na superfície, isso em eras desconhecidas e nebulosas do nosso mais remoto passado!


E, por sua vez, além de muralhas de pedras, a ilustração acima nos mostra apenas uma parte daquilo que foi detectado pelos sonares da Advanced Digital Communications (ADC) na região do Atlântico, já nas proximidades de Cuba. Uma arquitetura imponente e simplesmente chocante! (IMAGEM: Dean Clarke, atlantisite.com)


E bem mais longe dali, aqui se situa o relevo rastreado por satélite do chamado Dorsal do Atlântico - uma vasta área submersa situada no Atlântico Norte, entre os continentes da África e da América do norte. Justamente aí teria se situado a Atlântida. Essa região, de fato, sofreu uma ruptura com o seu conseqüente afundamento há cerca de 12 mil anos. Assim, pois, tudo coincide com a antiga Tradição da queda da Atlântida!


Pois é! Embora alguns digam "não existe", que "é tudo uma simples lenda", as agências espaciais insistem mais do que nunca em bisbilhotar com os sempre eficientes olhos dos seus satélites essa estranha região. Como se pode notar na foto acima, a aproximação das lentes do satélite parece mostrar a existência de inúmeras ruínas..... Isso em meio à vastidão do Oceano Atlântico e longe de qualquer outra terra habitada!


A foto nos mostra uma edificação piramidal de Yucatán, México. Segundo a Tradição, a Pirâmide era uma das "marcas" da perdida Atlântida, já que naquele continente existiam dezenas delas, sendo a principal a Pirâmide Suprema, encimada por um poderoso cristal que captava e irradiava energia universal. Especula-se que esse poderoso cristal, mesmo depois de decorridos milhares de anos, de quando em vez entre em operação, sendo as suas irradiações as responsáveis diretas pelos estranhos fenômenos que ocorrem no famigerado Triângulo das Bermudas, tais como aberrações eletromagnéticas, nevoeiros esverdeados e, é claro, os incontáveis desaparecimentos de aeronaves, navios e seres humano, os quais inadvertidamente seriam transportados para outras dimensões do tempo ou talvez do espaço. Todas as pirâmides do mundo, portanto, representariam uma herança atlante - tal como uma emulação, uma lembrança, possivelmente edificadas pelos sobreviventes da sua submersão. Aliás, é bom lembrar que a pirâmide, a esfinge, como também o tridente são símbolos essencialmente atlantes.


Compare-se, por exemplo, o estilo bastante idêntico da pirâmide submersa que jaz muito distante nas profundezas do Atlântico, detectada pelo sonar do navio do Capitão Don Henry, com o estilo arquitetônico das pirâmides existentes na América central, estas "oficialmente" atribuídas aos maias.


Talvez obras de uma, ou VÁRIAS perdidas culturas que a habitaram em tempos remotíssimos, a nossa pequena Terra está repleta de outras antigas mensagens, elaboradas há muitos milhares de anos atrás e quase todas voltadas diretamente para o céu. Com a recente tecnologia dos satélites, cada vez mais essas mensagens surgem, provando assim essa grande verdade. Na foto acima, tomada por um satélite da ESA (Agência Espacial Européia) sobre a África do Sul, podemos ver, bem na área verde, todo o relevo montanhoso de uma imensa região moldado sob um inusitado formato que retrata um estranho animal, ou quem sabe uma bizarra criatura! (FOTO: especial cortesia do nosso estimado visitante Mariano Bressanin)


Observe com atenção o correspondente detalhe. Lembra um curioso tipo de esfinge! Observe o perfil do seu rosto, situado bem na parte superior.....


..... E eis a ampliação do detalhe para sua melhor visualização. A parte cinza parece conter um outro perfil, como que ambos se beijando. Como todos os demais inusitados monumentos pétreos espalhados por todo o planeta, você concordaria conosco que é tudo muito perfeito demais para se tratar de um mero acaso? 

"Os Discos Voadores existem; são tripulados por uma raça que deixou a Terra há 20 mil anos e está de volta às origens"
(Albert Einstein - um dos maiores cientistas de todos os tempos)


O notável cientista Albert Einstein certamente deixou escapar um segredo muito bem guardado pelas grandes potências e ao qual de certa forma teve acesso. E, obviamente, um homem desse quilate jamais poderia estar pilheriando quando afirmou uma coisa dessas. Tudo, então, se encaixa, pois segundo a Antiga e Milenar Tradição Rosacruz, o portentoso e evoluído continente da Atlântida fora fundado por seres de UMA OUTRA GALÁXIA. Os primeiros chefes da Atlântida NÃO ERAM TERRESTRES! E revela que muitos deles abandonaram o planeta antes da catástrofe final gerada (o que também coincide com os relatos de Platão) pelo emprego abusivo e ambicioso das poderosas forças de que o perdido continente dispunha!


NADA, absolutamente NADA, sabemos sobre o remoto passado do nosso planeta, de modo que a pesquisa em busca de civilizações perdidas e até mesmo de antigas colonizações alienígenas do nosso mundo nunca será desprovida de qualquer relevância. As provas de que a nossa civilização não foi a primeira a habitar este planeta, quer queiram ou não os conformistas e os céticos, celeremente se avolumam - dessa forma não podendo ser desprezadas, ou então de maneira simplista, ser descartadas, se honestamente quisermos encarar o assunto e encontrar a verdade. O que você vê acima são alguns dos estranhos artefatos encontrados no ano de 1860 a cerca de 10 milhas ao sul de Newark, Ohio, EUA. Todas essas valiosas peças arqueológicas estavam recobertas de inscrições e símbolos, provando assim que, muito mais remotamente do que se supunha, desconhecidas culturas dotadas de elevada organização social povoaram as Américas - muito possivelmente formadas pelo sobreviventes da catástrofe atlante.


Na imagem acima, mais uma visão das intrigantes ruínas encontradas nas selvas amazônicas brasileiras, denominadas pelos arqueólogos como "O Stonehenge da Amazônia". Tal sensacional descoberta foi efetuada no Estado do Amapá, causando espanto principalmente pelo fato de que, segundo até agora se acreditava, nas selvas do Amazonas nunca teria existido qualquer sociedade organizada. São exatamente 121 esculturas em pedras sob os mais diferentes e exóticos formatos, dispostas em círculo e orientadas segundo os mais rigorosos padrões astronômicos e matemáticos, daí a sua comparação com a distante Stonehenge, na Inglaterra. Os cálculos preliminares indicam a sua idade em cerca 3 mil anos ANTES DE CRISTO, ou seja, cerca de 5 MIL ANOS, talvez mais! (FOTO: AFP)


E você, por acaso já ouviu falar de Samaipata? Pois então vamos agora lhe apresentar a esse misterioso local situado na região central da Bolívia, o qual em tempos muito remotos foi habitado por uma misteriosa civilização pré-incaica. Samaipata é apenas mais um dos estonteantes enigmas arqueológicos do planeta, situado a 1950 metros acima do nível do mar em uma região montanhosa e remota. Esse sítio foi primeiramente descoberto pelos conquistadores espanhóis que batizaram-no de "El Fuerte", muito embora não existam evidências de que ali tenha existido em qualquer época algum tipo de fortificação. Todavia, o que mais impressiona em Samaipata é precisamente a existência de enormes relevos estampados na rocha bruta, representando jaguares, cobras, figuras zoomórficas estranhas, como também muitas outras de naturezas complexamente geométricas.


A visão de Samaitapa também impressiona pelo fato de sua intrigante estrutura ter sido trabalhada na rocha bruta e no topo de uma alta montanha, formando todo o conjunto curiosos contornos quando vistos do céu. Bem no topo existe um enorme círculo composto por 12 assentos rochosos e. dentro dele, outros três assentos centrais voltados para aqueles. Pensam os arqueólogos que ali tenha se situado um centro religioso e deliberativo.


Seja lá o que tenha sido que gravou a rocha profundamente em Samaitapa, certamente denota que uma tecnologia além do seu tempo fora ali empregada - sabe-se lá por quem e com qual finalidade. E já houve até quem sugerisse ter se tratado de um local para pouso de naves espaciais ou até mesmo para lançamentos delas - o que parecem sugerir esses estranhos sulcos paralelos, estampados justamente no ângulo de elevação da rocha.


Coisas bizarras e inusitadas, aliás, é mesmo o que não falta neste nosso misterioso planeta. Na foto, um policial da província chinesa de Gansu examina parte dos 121 curiosos (e além de tudo enormes) crânios mumificados encontrados em um sítio arqueológico daquele local, os quais, por sinal, pessoas não identificadas tentaram furtar. Sem muito esforço, dá para notar que pertenceram a misteriosos habitantes de uma desconhecida civilização do nosso mais remoto passado. Aliás, as evidências de fato apontam que existiram VÁRIAS dessas civilizações. E além desses muito bizarros crânios acima mostrados, repare, por exemplo, naquele mais curioso exemplar que vem a ser o quarto da esquerda para a direita. (FOTO: Chinadaily)


Tudo isso que lhe mostramos de certa forma nos remete à presença de naves espaciais na antigüidade. E por que não, se ainda hoje elas continuam a percorrer os nossos céus? 03 de agosto de 2006: um enorme objeto extremamente luminoso cruza os céus do Texas, EUA, causando pânico nas atônitas testemunhas. Mais tarde classificada de modo simplista como "uma bola de fogo" (?), o que se vê na foto é, na verdade, nada menos do que um UFO dotado de grandes proporções que se exibia sem menor cerimônia nos céus da cidade. E os céticos não podem alegar que essa foto teria sido forjada, pelo simples fato de que ela foi tomada pela câmera instalada em uma viatura da própria polícia local!


Nada demais nisso! Essas coisas furtivas e misteriosas circulam mesmo pelos nossos céus, ignorando e abertamente desafiando todas as fronteiras e barreiras - além de tudo desprezando, sem qualquer cerimônia, as defesas aéreas e os rígidos sistemas de vigilância de todos os países do mundo. Essa foto de um UFO nos foi gentilmente enviada por uma das nossas estimadas visitantes, Suely Macedo, e foi tomada por uma amiga sua quando fotografava paisagens em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brasil. (FOTO: Valquiria Aparecida V. Fogia)


Absolutamente não estamos sós no imenso Universo que nos cerca. A Terra tem sido visitada desde milhões de anos por outros seres advindos de várias regiões do Espaço Sideral. E aqui, provando que essas visitas ainda continuam, mais uma imagem de um alien, talvez uma variante da tipologia gray, captada em um vídeo originário dos EUA que mostrava a evolução de um UFO nas proximidades. Partindo da nave, a tal criatura parecia que literalmente flutuava antes de tocar o solo.


E aqui, o correspondente negativo nos mostra a bizarra figura do tripulante do UFO. Faz lembrar a configuração de um inseto! Aliás, algumas autópsias realizadas em alguns corpos dessa raça resgatados em UFOs acidentados revelaram que as suas constituições orgânicas são mesmo extraordinariamente semelhantes às dos insetos. E, como tal extraordinariamente perigosos, TAMBÉM SE ALIMENTAM DAS DEMAIS CRIATURAS VIVAS - obviamente vindos ao nosso mundo (ou ao nosso tempo) exclusivamente para caçar e se alimentarem!


E um outro frame do mesmo vídeo nos mostra, já no solo, a furtiva movimentação da bizarra criatura.


E o seu negativo nos revela uma espécie de mudança de forma da tal criatura.


Mas, ao que parece, nem todos os tripulantes dos UFOs são pertencentes à perigosa e hostil tipologia humanóide gray. Há uma espécie de tripulantes a qual muito se assemelha aos humanos, suspeitando-se que esses sejam VIAJANTES DO TEMPO, do nosso próprio futuro, vindos ao passado para observar os acontecimentos mais marcantes da História - ou até mesmo dando uma "maõzinha" de vez em quando, modificando-a dentro de certos limites. A antiga gravura acima nos mostra o General Geoge Washington, o líder da independência norte-americana, quando em desespero e prestes a desistir sofrera pesadas derrotas perdendo milhares de homens nas lutas das suas tropas contra o poderoso Exército Inglês. Esse estranho acontecimento se deu em Valley Forge, no distante ano de 1777. Washington assim relatou às pessoas mais próximas, tendo sido inclusive tal inusitado fato objeto de uma extensa reportagem em um antigo jornal americano:


- "Essa tarde. estava sentado na mesa absorvido ao preparar um despacho quando algo pareceu me perturbar. Olhando para mim, do alto (do ambiente da tenda), surgiu uma mulher dotada de singular beleza. Tão atônito estava que dei ordens a ela para não me perturbar. Isso foi alguns momentos antes que pudesse encontrar palavras para inquirir a razão da sua presença. Repeti essa pergunta uma segunda uma terceira e até uma quarta vez, porém não recebi resposta da misteriosa visitante, exceto por um breve levantar do seus olhos. Uma nova influência, potente, irresistível tomou conta de mim. Tudo o que pude fazer foi ficar estático, subjugado pela desconhecida visitante. Gradualmente, a atmosfera circundante pareceu estar preenchida por sensações e luminosidade. Tudo ao meu redor parecia estar rarefeito, a misteriosa visitante parecia se tornar mais volátil, porém ainda mais distinta aos meus olhos do que antes..... então escutei uma voz que me dizia: -"Filho da República, olhe e veja", ao mesmo tempo em que a visitante estendia o seu braço....". O que se segue a partir daí de acordo com o seu longo relato, é que subitamente uma espécie de tela surgiu no ambiente, tal como se fosse um um holograma, mostrando ao atônito General cenas do próprio futuro dos EUA, que abrangeram nada menos que 170 anos FUTUROS, tais como a sua Independência; a Guerra Civil; as Primeira e Segunda Guerras Mundiais - inclusive com a demonstração de suas ferozes batalhas; soldados marchando em estranhos uniformes; populações dizimadas; máquinas voadoras percorrendo os céus; bombardeios; tanques e outros artefatos bélicos ainda incompreensíveis para ele. Esse episódio que serviu para dar uma esperança de vitória e súbita força ao brilhante General, foi interpretado pela História e pela Tradição Americana como tendo sido a visita e a visão de um "Anjo". Mas terá sido isso mesmo, no estrito sentido do termo? Ou quem sabe, e muito mais provavelmente, a breve e fugaz visita de um VIAJANTE DO TEMPO cumprindo uma determinada missão no seu passado?






Total de visualizações de página

Página FaceBook