BARRA ANIMADA


Translate

SEJA BEM VINDO


BARRA 2


Mensagem


A Frequência Fotônica Pleiadiana e a Nova Era do Fóton


sábado, 11 de julho de 2015

O que Sabemos não é tudo que Existe - Parte 182 NOSSA SENHORA DO BIZARRO!



"Tu me perguntarás se a estátua em que tantas unhas e mãos, braços escuros fui gastando, te reserva uma sílaba da cratera, um aroma antigo, preservado por um signo de lava? 
Não é assim, as estátuas são o que fomos, somos nós, nosso rosto que olhava as ondas, nossa matéria às vezes interrompida, às vezes continuada na pedra semelhante a nós.... Então arranharás a terra até que nasça a firmeza, até que caia a sombra na estrutura como sobre uma abelha colossal que devora o seu próprio mel perdido no tempo infinito" (Pablo Neruda - Canto Geral)



Embora postumamente, pedimos licença aos notáveis escritores e precursores do Realismo Fantástico, Pauwels e Bergier, autores de "O Despertar dos Mágicos", para respeitosamente usarmos o título dessa nossa página: NOSSA SENHORA DO BIZARRO! É, de fato, uma exclamação bem pertinente e atual devido às inúmeras coisas estranhas e extremamente bizarras que nos cercam. Até mesmo esse antigo mural em mosaicos nos mostra a doce imagem de Nossa Senhora, ao que parece protegida por dois anjos de uma horrenda criatura, vista na parte superior. Trata-se de problema muito antigo - e exatamente um dos muitos assuntos que iremos abordar logo a seguir:


Ponto para as mulheres! Eis o que uma das nossas estimadas visitantes descobriu ao percorrer as imagens de satélite do Google Earth e gentilmente nos enviou: à direita, vemos um estacionamento na Austrália, lotado de automóveis, certo? Certo! E já no lado esquerdo.... UM AUTOMÓVEL LEVITANDO! E não se tratava do reflexo do Sol incidindo sobre um automóvel estacionado no local, local que aliás era inapropriado para isso. Podemos ver pela sua posição e pela projeção da sua sombra que ele está mesmo no ar! Que, raios, teria sido isso? Pela trajetória diagonal do veículo, podemos deduzir que ele estava estacionado juntamente com os demais, no lado direito, e de alguma forma estava sendo sugado e transportado pelo ar.... ou então voando por MEIOS PRÓPRIOS! E ao que se saiba, os sempre eficientes larápios de automóveis não chegaram a um nível de sofisticação tecnológica tão grande assim. Acostumados que estamos com inúmeras coisas inusitadas e muitos mistérios, podemos pensar em mil coisas, não? Quem sabe uma nave extraterrestre disfarçada; viajantes do tempo em um veículo camuflado; ou então o QUÊ mais? Claro que não devemos duvidar de nada. Por mais estranho que as coisas pareçam, tudo, tudo mesmo é possível! (FOTO: © DigitalGlobe/Google)


E para a nossa total satisfação e orgulho, os nosso estimados visitantes estão se tornando excelentes caçadores de mistérios e assim se tornando nossos grandes auxiliares. Um outro visitante, observando essa imagem de satélite tomada por sobre o Vulcão Santa Helena, nos EUA, descobriu algo por sua vez bastante intrigante. Observe bem na parte inferior da sua cratera. O quê pode ali distinguir?.....


.... Se você conseguiu distinguir um estranho rosto, parabéns porque acertou em cheio! Observe-o na ampliação acima.


E não venham os céticos nos dizer que se trata de mera coincidência, uma vez que toda a lateral do Vulcão Santa Helena apresenta os vestígios já bastante desgastados de velhos monumentos pétreos - além, é claro, de antiqüíssimos petroglifos espalhados por todos os lados. Quem os fez? Mistério!


Na foto, um grupo de amigos peruanos posa para a posteridade sem saber que está sendo observado por algo bem sinistro e bastante bem camuflado que o espreita no topo de uma alta árvore, bem à direita da imagem. Vamos ver de que se trata?.......


Êpa, ora vejam só quem estava lá! Não nos é estranho, não é mesmo? Lembremos que certa vez um jornal publicou a notícia de que uma criatura dessas atacou um fotógrafo dentro de uma caverna e o matou, não sem antes que a vítima pudesse fotografá-la, sendo o filme que a mostrava posteriormente revelado pela atônita polícia. Mais recentemente, porém, surgiram com outra notícia alegando que se tratava de uma fraude e esse "boneco" seria objeto de uma exposição do bizarro nos EUA e tudo teria sido de uma fraude. Aliás, chegamos a mostrar essa contestação aqui no nosso Site, em uma página anterior. Mas o quê dizer, então, dessa outra imagem, tomada no Peru? Não estamos entendendo mais nada! Se não for uma montagem (o que, aliás, não parece), estaremos diante de algo verdadeiramente assustador e bastante sério.


Já não duvidamos de nada. A nossa longa experiência no campo do Fantástico e do Inexplicável nos prova que a escuridão da noite é mesmo repleta de coisas estranhas que rastejam, voam e sobretudo espreitam.


Aliás, trata-se de um problema muito antigo mesmo! Aqui você vê uma curiosa estátua situada na velha Catedral de Notre Dame, Paris. Muito sugestivo, não? Pois é! Uma horripilante criatura dotada de aparência meio-humana almoça uma vítima. Talvez seja uma antiga alusão ao famoso "Chupacabras", uma coisa sinistra e vinda sabe-se lá de onde que age no nosso mundo há bastante tempo.


E não se trata de mera lenda. Os muito estranhos esqueletos de desconhecidos predadores que caçam rebanhos (e também seres humanos de vez em quando) continuam a surgir em todos os pontos do planeta! Evidentemente, não estão catalogados em quaisquer tratados de Biologia.


E da mesma forma não se pode de maneira alguma classificar tais desconhecidos predadores como animais irracionais uma vez que se utilizam de sofisticado instrumental cirúrgico, como também de avançados equipamentos de sucção (ainda inexistentes na Terra), com os quais extraem todos os órgãos internos bem como a totalidade do sangue das suas vítimas! Detalhe crucial: não existem rastros e nem quaisquer marcas visíveis nos locais desses ataques - como se as vítimas tivessem caído do céu!


Aliás, algumas delas nos provam que caíram mesmo do céu! Esse infeliz e pesado alce teve sua queda interrompida pelos postes de iluminação em uma área rural dos EUA.


E para piorar as coisas, temos também certas criaturas muito bizarras que dotadas de uma tipologia, digamos, primata porém altamente inteligentes e com reações humanas, circulam pelas nossas florestas. Na foto, uma dessas coisas - chamada nos EUA de Sasquatch - parece que conseguiu o seu jantar: um inocente cachorrinho.


E aqui, uma outra dessas coisas gigantescas circulava pela neve, sem muito se importar com a presença de um lobo logo adiante de si. E quem sabe o feroz ancestral dos nossos dóceis Huskies Siberianos não se tornou também um excelente petisco? É claro que - pelo sim, pelo não - quem fotografou essa inusitada cena logo deve ter tratado de dar o fora dali o mais rapidamente possível antes que "sobrasse" também alguma coisa para si.


Na imagem acima, extraída de um filme autêntico, vemos um parente dos Sasquatch - o famoso Bigfoot - ou literalmente, "Pé Grande" - um notório freqüentador das florestas norte-americanas, mas não com exclusividade, uma vez que é também avistado em outros diversos países. Pode ser que ambos pertençam à mesma estranha família e somente as suas denominações mudem de acordo com a região em que habitam ou surjam.


Essa ilustração, baseada em fotos, nos mostra a fisionomia dos Sasquatchs e dos Bigfeet. Quase humanas! E não há qualquer semelhança com os gorilas, bem como com quaisquer outros tipos de primatas, exceto pela espessa pelagem. Seu tamanho é imenso, as reações são inteligentes e muito bem coordenadas, emitem uma espécie de linguagem própria e são.... SOCIALMENTE ORGANIZADOS! A densa pelagem os protegeria das regiões frias e da neve.

"Não se deve acreditar que o tempo decorrido regressa ao nada: o tempo é uno e eterno, o passado, o presente e o futuro não passam de aspectos diferentes - gravuras diferentes se se preferir - de um registro contínuo e invariável da existência perpétua"
(Eric Temple Bell - Le Flot du Temps))


E além das fotos que provam a existência dessas bizarras criaturas, temos também alguns depoimentos. Albert Ostman, à direita, foi em 1924 o involuntário protagonista de uma estranha experiência envolvendo tais seres. Acampando em um local da Columbia Britânica, apesar dos insistentes avisos dos índios com relação à existência por lá dos "cabeludos homens grandes", foi subitamente arrebatado e violentamente enrolado na sua própria barraca de dormir juntamente com todos os seus equipamentos e, logo depois, transportado na escuridão da noite por poderosas mãos desconhecidas. Após uma longa marcha, quando finalmente pôde se liberar deparou-se com algo aterrorizante: estava prisioneiro de uma família de Sasquatchs: um ser "masculino", outro "feminino" e dois "filhos" - todos eles altos, enormes, cabeludos como gorilas, mas estranhamente "humanos"! Ostman, sem saber exatamente o quê aquelas bizarras criaturas queriam com ele, ficou aprisionado por durante seis dias, quando então num golpe de sorte apoderou-se do seu rifle e saiu correndo, fazendo disparos a esmo de modo a assustar as criaturas, logrando assim escapar com êxito e, muito certamente, perdendo para sempre a sua vontade de acampar nas florestas.


Há, também, algumas outras evidências físicas. Nessa imagem, uma pegada do Sasquatch medindo 11 polegadas - o equivalente a 28 centímetros!


Tudo muito auto-explicativo: acima, os moldes tomados em gesso de uma pegada do Bigfoot em comparação com uma pegada humana.


Existem, porém, outras coisas bem estranhas além dos tradicionais Bigfeet e Sasquatchs a circularem e caçarem no nosso mundo! Observe bem a curiosa criatura flagrada nessa foto.....


...... E a reveja, devidamente ampliada e também no negativo. Que, diabos, seria mesmo isso?


E o quê dizer dessa outra criatura, bípede e igualmente desconhecida, captada em um vídeo? Não há mesmo o que discutir: se os Bigfeet, os Sasquatchs, e também outras tantas coisas bizarras que surgem por aí não são humanas, se não são primatas.... O QUÊ SERIAM ENTÃO?


Na verdade, ninguém sabe! O assunto, porém, é de tal seriedade que recentemente (2005) realizou-se no Texas, EUA, um congresso especificamente para tratar sobre o aparecimento dessas bizarras criaturas no território norte-americano. E dentre tantas outras coisas estranhas que por lá costumam aparecer, logicamente os Bigfeet e os Sasquatchs foram, por assim dizer, o "prato principal" do evento.


Coisas estranhas, SIM! Uma "pedra lunar", trazida pelos astronautas e em poder da NASA. E que "pedra lunar" mais marota é mesmo essa, não? Observe-a bem. Não se parece com um estranho crânio fossilizado? Pois é! Talvez seja por isso mesmo que essa foto não foi amplamente divulgada, mas a NASA a expõe "assim como quem não quer nada", uma vez que, afinal de contas, sabe que a grande maioria - cega, surda e muda - não é mesmo capaz de enxergar o óbvio. (FOTO? NASA)


E por falar em enxergar o óbvio, as Pedras de Ica, encontradas na localidade do mesmo nome, no Peru, novamente voltam à cena. Em meio a um arquivo pétreo com mais de 100 mil exemplares gravados, datados talvez de milhões de anos atrás, algumas surpresas continuam a surgir. Uma antiga e desconhecida civilização dotada de alta tecnologia viveu no nosso planeta e desapareceu! E assim como as intrigantes imagens nos mostram, ela realizava cirurgias altamente elaboradas, tais como transplantes e trepanações. Além disso possuía telescópios, podia voar e talvez ganhar o espaço sideral. E essa imagem gravada na pedra inequivocamente nos mostra que esses curiosos seres possuíam grandes templos e praticavam a Religião Solar.


E a prova que essa desconhecida civilização era contemporânea dos grandes monstros pré-históricos se faz cada vez mais presente, uma vez que esses extintos animais que ela retratou com absoluta fidelidade viveram na Terra há muitos milhões de anos atrás!


E até mesmo esses animais monstruosos eram subjugados e domesticados, assim como nos mostra essa outra gravação na pedra!


E (o mais impressionante e revelador ainda), estes desenhos nos provam uma estreita ligação da perdida civilização de Ica com as fantásticas imagens gravadas no distante solo do Planalto de Nazca, também no Peru e até hoje um enorme mistério! Aqui, podemos ver alguns dos desenhos SOMENTE existentes em Nazca retratados nessa outra pedra gravada!


E por falar em Nazca, já sabemos que na direção dela um enorme TRIDENTE gravado na rocha, precisamente na Baía de pisco, aponta para o distante planalto onde se situam as suas intrigantes figuras. Na ilustração acima, vemos uma alegoria do Deus Poseidon, um "Senhor dos Oceanos", segundo a Mitologia. O TRIDENTE, sempre associado a esse deus, era TAMBÉM o simbolo da CAPITAL DA PERDIDA ATLÂNTIDA - capital esta que, por sinal, também se chamava POSEIDON.....


..... E mais um ponto para outro dos nossos estimados visitantes que, vasculhando com o Google Earth a região do Atlântico Norte - lá pelos lados do famoso Triângulo da Bermuda - descobriu que as poderosas lentes do satélite conseguiram captar até mesmo o fundo do oceano...... E que lá existe um imenso TRIDENTE submerso! Claro pois, segundo a Tradição, era justamente ali que se situava a Atlântida - e muito possivelmente a sua capital POSEIDON.... Cujo símbolo era justamente ESTE!!! (FOTO: Google Earth)


E agora veja essa pedra encontrada na Inglaterra e datada de muitos milhões de anos, a qual tem desafiado os cientistas e os arqueólogos. Ela foi encontrada por arqueólogos em Northumberland, próximo à fronteira com a Escócia, em um sítio não revelado "por razões de segurança". Ali foram encontrados cerca de 950 exemplares dessa arte "pré-histórica", tudo em meio a uma certa "inusitada combinação de linhas e círculos" que, segundo os cientistas, é impossível dizer o que significam. O Dr. Aron Mazel, da Universidade de Newcastle, declarou: "Essa face estilizada me lembra os trabalhos de Picasso que foram inspirados na arte totêmica africana, mas um historiador pode pensar diferente. Trata-se de algo tão inusitado que não temos idéia do que seja". Por sua vez, o Museu Britânico, juntamente com os representantes da Universidade de Newcastle, reconhecendo a sua incapacidade de explicar essa estranha "manifestação de arte" existente em profusão naquele intrigante local, lançaram o seguinte apelo: "Quaisquer sugestões seriam bem-vindas por parte de pessoas que possam oferecer uma bem informado "insight" sobre quem executou tais trabalhos e o que eles representam". (FOTO: Aron Mazel)


Califórnia, EUA - descobertos na região de Tulare intrigantes orifícios em velhas sequóias - árvores milenares e talvez as maiores e mais antigas do planeta - o que tem sido objeto de estudos por parte de uma grande equipe de cientistas. É, no mínimo, muito estranho. Por que exatamente pesquisar inusitados orifícios, por sinal muito simétricos, enormes e nitidamente artificiais, existentes em milenares árvores? Certamente, podemos assegurar, não foi nenhum pica-pau que fez isso. (FOTO: Kelly Long)


Deserto de Hisma, aqui encontramos mais uma evidência de que as antigas civilizações possuíam uma fantástica tecnologia capaz de extrair e movimentar gigantescos blocos rochosos. Como se pode notar, aqui pesados blocos foram arrancados da rocha bruta. Os céticos poderão argumentar que ferramentas antigas poderiam cortar a rocha. Sim, até poderiam mas SÓ lateralmente. COMO, então, poderiam cortar o fundo delas para extraí-las em uma única peça, em formato de bloco? Simplesmente não há respostas!


Há evidências e mais evidências de que muitas outras civilizações nos precederam, civilizações que não constam nos nossos livros de História, ou que eles "fingem que não vêem". Recentemente, na Bolívia, precisamente na misteriosa Tiahuanaco, considerada a "Stonehenge das Américas", arqueólogos da Universidade Penssylvania Museum (que lá trabalham há 10 anos), trouxeram à luz as ruínas de uma fantástica cidade subterrânea - ANTERIOR EM MUITO À CIVILIZAÇÃO INCAICA (foto). Não se sabe a qual civilização teria pertencido, ou quem exatamente a edificou. Essas ruínas estavam soterradas há milênios em meio às outra intrigantes ruínas da superfície, por sua vez também expostas há milênios. O passado sobre um passado mais remoto ainda, milênios sobre milênios! É tudo mesmo um mistério estonteante. Nossa Senhora do Bizarro, velai por nós! (FOTO: University of Pennsylvania Museum)







Total de visualizações de página

Página FaceBook