BARRA ANIMADA


Translate

SEJA BEM VINDO


BARRA 2


Mensagem


A Frequência Fotônica Pleiadiana e a Nova Era do Fóton


sexta-feira, 31 de julho de 2015

O que Sabemos não é tudo que Existe - Parte 220 ARCHAEOLOGICAL EXCALIBUR



"A data do período em que o Egito foi tomado como possessão pela raça que costumamos chamar de Egípcios é desconhecida. 

Nenhum dos pesquisadores que se basearam nos historiadores, filólogos, antropólogos e arqueólogos conseguiu, até o presente, nos dar qualquer informação que pudesse ser razoável para se chegar a uma decisão sobre quando esse evento teve lugar. E como nada sabemos do período do advento desses invasores, da mesma forma nada sabemos sobre o povo aborígene o qual, assumimos, que lá foram encontrados vivendo quando eles chegaram" (E. A. Wallis Budge - The Mummy)




Excalibur, segundo as antigas lendas, a espada mágica forjada pelos deuses e cravada na rocha - apta a desvendar mistérios, segredos e profundas revelações para aqueles que a conseguissem retirar - tem, de fato, uma analogia com o Realismo Fantástico, uma vez que, figurativamente, podemos especular que aqui mesmo na Terra os antigos deuses cravaram uma "espada mágica" repleta dos seus segredos e dos seus mistérios, apta a ser devidamente retirada por todos aqueles que, assim como eu ou você, os poucos dotados de olhos para ver e ouvidos para ouvir, ousada e destemidamente queiramos desvendá-los. Tomemos então a sua bainha, mergulhemos em sua magia:


Em exibição no Museu do Cairo, a face pouco divulgada da peça arqueológica de número 32169 mostrada na foto é a famosa "Paleta de Narmer", um dos poucos artefatos pertencentes à distante época que antecedeu à Primeira Dinastia Egípcia - o chamado Período Pré-Dinástico que se perde na noite dos tempos. Oficialmente, isto é, segundo a Arqueologia tradicional, as pirâmides somente teriam sido erguidas a partir da Quinta Dinastia, portanto muito tempo depois do reinado desse misterioso soberano chamado Narmer. Mas terá sido isso mesmo? Até que ponto seria confiável tudo aquilo que lemos nos livros e que nos ensinam? Será justamente na Paleta de Narmer que podemos encontrar algo bastante revelador que certamente colocará por terra todas essas afirmações oficiais.....


..... Pois, além de vermos estranhas criaturas dotadas de reduzida estatura e grandes crânios (oficialmente rotuladas pela Arqueologia clássica como "retratadas em menor escala de modo a realçar o status do soberano") ......


..... Aquilo que nos interessa está exatamente situado na extremidade superior esquerda da Paleta de Narmer! Estamos nos referindo justamente a ISTO: uma nítida pirâmide aparentemente circundada por um UFO - ou então uma máquina voadora qualquer - chegando do céu!!! O que prova que muito antes do estabelecimento da Civilização Egípcia as pirâmides já existiam e, por conseguinte, já eram conhecidas!


E também da época que antecede à Primeira Dinastia, isto é, nos primórdios da Civilização Egípcia, temos esse relevo que nos mostra outras cenas bastante reveladoras: no canto superior direito, outra pirâmide.... E dotada de asas. E logo abaixo, outra cena que nos mostra uma embarcação em meio ao oceano - possivelmente se referindo aos sobreviventes da perdida ATLÂNTIDA os quais, conforme nos relata a Tradição, chegaram às terras do Egito dando início à sua prodigiosa cultura! A mesma Tradição também nos diz que os fundadores da Atlântida NÃO ERAM TERRESTRES!


A existência da perdida Atlântida é algo que, diante das evidências sempre crescentes, cada vez mais se torna uma realidade. Na imagem acima, vemos o gráfico obtido pelos sonares dos navios Challenger e Dolphin em uma região do Atlântico compreendida entre Bermuda e a Ilha da Madeira. São visíveis gigantescas estruturas que lembram torres!


O fundo do Oceano Atlântico está mesmo repleto de desconhecidas ruínas, todas evidentemente produzidas em um passado muito remoto por seres inteligentes, originários de uma perdida civilização altamente tecnológica. Estruturas colossais, outrora imponentes, que sobressaíam na superfície por uma vasta região, dormem agora seu intocado sono nas profundezas por força de uma grande catástrofe que as submergiu há muitos milhares de anos atrás. E esse evento não é meramente uma simples lenda: um afundamento na área do Atlântico realmente ocorreu há muitos milênios atrás!


E tudo confirma plenamente isso. Recentemente, em Malta, as ruínas de um enorme templo submerso foram encontradas por mergulhadores. E já que a Atlântida é encarada com ceticismo e considerada como simples lenda pelos ortodoxos lamentavelmente ninguém se dá ao trabalho de explorar oficialmente esses vestígios.


Da mesma forma que quase toda a superfície do planeta, mesmo naqueles lugares mais inusitados, está repleta de curiosos sinais e de um simbolismo inteiramente desconhecido! Na foto, vemos em Ocean Beach, San Francisco, EUA, curiosos sinais gravados no solo. Não se sabe a sua idade, origem, procedência, ou mesmo como teriam sido gravados, apenas que são muito antigos!


E também quase todas as selvas do planeta acham-se igualmente repletas de misteriosas ruínas originárias de uma perdida civilização muito anterior à dos Incas e de outras culturas conhecidas. Uma tecnologia fantástica permitia cortar, trabalhar e transportar imensos blocos rochosos a espantosas altitudes. Aqui, nas selvas peruanas, as portentosas ruínas denominadas Gran Vilaya, descobertas em uma altitude cerca de 3 mil metros na Década de 80 pelo explorador Gene Savoy, se espalham por cerca de 120 milhas quadradas.....


...... Todas elas repletas de muito curiosas imagens esculpidas que nos mostram as faces de estranhas criaturas, pelo que, na falta de uma denominação melhor e mais apropriada, resolveram chamar sua perdida cultura de Chachapoya. Essa misteriosa cultura ocupou uma vasta região do Peru, estabelecendo-se em Kuleap, Karajia, Leimebamba e até mesmo penetrando na atual Floresta Amazônica Brasileira - ou, quem sabe, dela tendo se originado!.....


...... E a semelhança dessas esculturas com os Moai da Ilha de Páscoa torna-se simplesmente chocante, o que provaria que essa estranha raça praticava a navegação e assim, cruzando continentes, espalhou-se pelo mundo!.....

..... 
Lembremos que, em contraposição aos atlantes cuja civilização se situava no Oceano Atlântico, também existiu um grande continente em meio ao Pacífico, habitado por uma avançada cultura e igualmente tragado pelo mar, o qual se chamava Lemúria, ou MU.


E os resquícios de uma fantástica tecnologia largamente empregada nessa desconhecida antigüidade terrestre também se fazem presentes em quase todos os quadrantes do planeta. A famosa "Máquina de Antikythera", encontrada por mergulhadores gregos quando pescavam esponjas ao Sul da Grécia, revelou ser um complexo sistema de engrenagens destinadas a compor nada menos que uma espécie de "computador"!


Acredita- se que o artefato de Antikyhera, cuja reprodução vemos acima, podia realizar complexos cálculos de astronomia e também determinar a posição dos planetas com uma incrivel precisão - uma precisão, diga-se de passagem, somente hoje obtida pelos nossos mais modernos computadores! Não se sabe a sua real origem, bem como a sua antigüidade, mas sabe-se que poderia ter sido copiado a partir de um artefato muito mais antigo e oriundo de uma perdida civilização tecnológica! De qualquer forma, trata-se de algo absolutamente inusitado pois há mais de 2 mil anos atrás (oficialmente acredita-se que seja essa a sua datação) as engrenagens não existiam. Muito menos as máquinas de precisão necessárias para fabricá-las!


Fantástica e surpreendente tecnologia que inclusive permitia a essas civilizações esculpir montanhas inteiras sob as formas que mais bem desejassem! Aqui, o Morro do Pão de Açúcar, Baía de Guanabara, na Cidade do Rio de Janeiro, onde uma colossal esfinge do tipo leonino avança para o mar. Não bastassem os perfeitos detalhes dos seus olhos e nariz, bem como todos os demais detalhes da sua imponente face, quando a maré está baixa podemos claramente distinguir as garras da suas patas (foto). Mergulhadores afirmam que nessa região existem estranhas inscrições submersas esculpidas na base da montanha.....


..... E não esqueçamos também que na sua lateral o impressionante relevo do simbolismo de um pássaro que lembra uma imensa Íbis se eleva no liso paredão por quase 700 metros de altitude. E que ainda, bem lá no topo, temos esculpido na rocha um estranho rosto que recebeu o nome de "O Rosto do Faráo"! Quando o Brasil foi oficialmente descoberto pelos Portugueses no ano de 1500, somente índios selvagens habitavam o seu território e essas coisas já existiam desde muitos milênios antes. E nem mesmo eles sabiam a sua origem, a não ser as suas velhas tradições passadas de gerações em gerações que falavam sobre seres chegados em máquinas voadoras. Faz sentido!


Sim, TUDO faz sentido nesse intrigante contexto! As sempre imponentes pirâmides, por exemplo, espalhadas pelos mais diversos recantos do planeta, são outras provas da extraordinária tecnologia dessas perdidas civilizações. E até mesmo na China elas existem em profusão. Na foto proibida, vemos uma delas, situada naquele país em uma área interditada pelas autoridades - talvez não somente pela dificuldade em explicar as suas existências, como também pelo fato de ESSA em particular apresentar um estranho rosto esculpido na sua região central, que por sinal foge inteiramente aos tradicionais padrões chineses!


Tudo mesmo foge aos tradicionais padrões conhecidos! E as mais recentes imagens da superfície terrestre tomadas pela moderna tecnologia dos satélites nos fazem quedar de verdadeiro assombro e perplexidade. Há sinais estranhos, imagens sureais e maravilhosas voltadas para o espaço sideral, coisas tão antigas que se perdem na nebulosa noite dos tempos. Quem teria feito isso - COMO, QUANDO E POR QUE? (FOTO: © DigitalGlobe/Google)


Nas vastidões desérticas do nosso globo há sinais que lembram e fortemente sugerem a existência de antigas ruínas, outrora imponentes cidades habitadas por avançadas civilizações desconhecidas, as quais a Ciência tradicional insiste sempre em negar. Mas como se pode negar as evidências? Aqui, nos altiplanos peruanos e através de uma imagem que nos lembra o distante solo de Marte, um dos nossos estimados visitantes localizou uma delas. (FOTO: © Europa Technologies/DigitalGoble/Google)


Todas as pistas convergem! Francisco Orellana, explorador e conquistador espanhol, que ano distante ano de 1512 juntamente com a sua expedição subiu desde a foz e rio acima o Amazonas. Seus intrigantes relatos davam conta do avistamento nas margens do rio de vastas populações como também de intrigantes estruturas arquitetônicas. Além do encontro com as misteriosas mulheres guerreiras, estranhamente os seus soldados não se atreveram a enfrentar aquele misterioso povo que habitara a região. Por que teria sido, já que aqueles exploradores estavam à procura de riquezas e ávidos por conquistas territoriais?


Que existem estranhas ruínas perdidas em meio à selva hostil e impenetrável da Amazônia Brasileira, não temos a menor dúvida. As imagens tomadas por satélites não mentem. E as lendas quanto a isso são inúmeras. Como também as mais recentes evidências permitem atestar que não se tratam mesmo de meras lendas. Na foto você vê um corte do solo, típico da Floresta Amazônica - um tipo de solo amarelo e vermelho, pobre em nutrientes e matéria orgânica, considerado inapropriado para a agricultura tradicional.....


...... Mas, você por acaso já ouviu falar sobre "Terra Preta"? Em uma vasta área da Floresta Amazônica Brasileira, exatamente por onde Francisco Orellana passou ao largo com os seus soldados, foi ARTIFICIALMENTE colocada por sobre o solo, em uma faixa bem delimitada e com extensão de vários quilômetros, a estranha camada de uma terra escura, a qual subsiste ate hoje, extremamente fértil permitindo de maneira extraordinária a agricultura de subsistência! Os americanos até mesmo já andam bisbilhotando a área, a qual sutilmente denominam de "Black Earth" ("TERRA Preta", em referência ao planeta, quando o correto seria "Black Soil", ou "Solo Preto"). Mas, o que teria de tão especial esse estranho tipo de terra? Simplesmente porque ele não existem EM NENHUM OUTRO LUGAR DESTE PLANETA e a sua composição é inteiramente desconhecida, resistindo assim a todas as análises efetuadas! "Os livros tradicionais me dizem que ela não deveria estra lá, isso é justificativa bastante para se explorar o que tem ali", declarou Johannes Lehmann, da Cornell University, Professor especializado em química e geologia de solos. Além disso, os perplexos cientistas atestaram que essa misteriosa "Terra Preta, a qual apresenta ainda vestígios arqueológicos com MAIS de 2 mil anos de idade, segundo eles "DE UMA AVANÇADA CIVILIZAÇÃO DA QUAL NÃO SE SUSPEITAVA"somente poderia ter sido ARTIFICIALMENTE produzida do mesmo modo pelo qual HOJE poderíamos industrialmente fazer, ao contrário porém das nossas uma vez que, além da sua composição desconhecida, essa terra jamais se degrada podendo ser utilizada por outros tantos milhares de anos, sempre se renovando através de uma misteriosa simbiose e outras desconhecidas trocas com a Natureza circundante! E se essa terra não é terrestre, ou se assim o é, tendo sido artificialmente criada em tempos remotos e desconhecidos através de uma fantástica tecnologia, DE ONDE teria vindo então?







Total de visualizações de página

Página FaceBook