BARRA ANIMADA


Translate

SEJA BEM VINDO


BARRA 2


Mensagem


A Frequência Fotônica Pleiadiana e a Nova Era do Fóton


segunda-feira, 3 de agosto de 2015

O que Sabemos não é tudo que Existe - Parte 225 HOUSTON, TEMOS UM PROBLEMA!



"Aqueles que se familiarizam com as correntes da servidão logo se tornarão as suas vítimas" (Abraham Lincoln)








Não há mesmo como negar que os aliens nos espreitam por todos os lados, até mesmo onde menos se espera; e quanto mais o tempo passa, mais surpreendentes verdades e revelações vêm à tona. Durante a aproximação para o primeiro pouso na Lua, em 20 de julho de 1969, é fato notório que Armstrong teve que abandonar às pressas o local primeiramente designado para a alunissagem do módulo Eagle, devido à presença de diversas naves alienígenas na borda da cratera escolhida! Quando começou, via rádio, desesperadamente a reportar esse inusitado problema às instalações da NASA, em Houston, o encarregado do controle declarou estado de emergência, colocando para fora do recinto todo o pessoal não necessário às atividades - inclusive, é claro, notadamente os repórteres de diversos órgãos jornalísticos do mundo todo. Todas as portas foram cerradas e o que se passou lá dentro tornou-se totalmente desconhecido.... Mas somente até agora! Naquele momento, com a presença das naves alienígenas lá por baixo no solo lunar, o computador do Eagle disparou no seu painel de controle um alarme de número 1202, inteiramente desconhecido nos manuais de operação de bordo e até mesmo nos da própria NASA! Pouco depois, surgiu um outro alerta, igualmente estranho e desconhecido, cujo número piscante registrava no painel 1201. Sem saber o que fazer, a NASA teve que tomar uma difícil decisão: abortar a missão ou continuar? Como tudo no módulo aparentava estar funcionando bem, foi autorizada a escolha de um outro local para o pouso, desde que, é claro, também não estivesse "ocupado". Quase aconteceu, então, uma tragédia, pois o combustível restante no Eagle somente permitia mais 30 segundos de vôo. A salvação foi a região lunar conhecida como "Mar da Tranqüilidade", onde finalmente a alunissagem foi efetuada com sucesso. Estranhos alarmes 1202 e 1201..... Até hoje a NASA deve estar tentando saber que tipo de interferência teria feito o computador do Eagle disparar esses alarmes desconhecidos quando sobrevoava os inúmeros UFOs postados logo abaixo de si! (FOTO: NASA, Missão Apollo 11, tomada no dia do primeiro pouso na Lua)


"Houston, temos um problema", essa foi uma das mais clássicas transmissões via rádio passado ao Centro de Controle da NASA, em Houston, pelos astronautas de uma outra missão espacial, precisamente a Apollo-13, cujo módulo de transportes apresentou defeitos em pleno vôo. E por que não poderíamos nos servir dessa clássica frase como preâmbulo para que possamos abordar o famoso Caso Roswell, até hoje um enigma que continua desafiando os pesquisadores de todo o planeta? A queda de um UFO no deserto do Novo México, no distante ano de 1947, foi objeto de uma NOTA OFICIAL expedida pelo próprio comandante da Base Aérea local, o Coronel William Blanchard, dando efetivamente conta da captura de uma nave alienígena acidentada. Tanto que os jornais logo estamparam o inusitado fato nas suas manchetes! Porém, tratou-se de uma atitude temerária, uma vez que autoridades governamentais e de segurança dos EUA prontamente intervieram no caso, abafando tudo e logicamente negando o assunto.


O então Major Jesse Marcel, membro daquela unidade militar, foi um dos primeiros a atingir o local do acidente, chegando mesmo a recolher alguns estranhos destroços, levando-os posteriormente para sua própria casa de modo a mostrá-los ao seu filho menor de idade. Logicamente, a censura e a intervenção oficial logo se espalhou e todos os moradores locais (inclusive o Major Marcel) tiveram os seus "souvenirs" alienígenas devidamente confiscados. A versão oficial foi de que se tratou de uma histeria coletiva motivada pela simples queda de "balão meteorológico". Essa clássica foto nos mostra o Major Jesse Marcel que, assim como uma espécie de castigo, sofreu a humilhação de (mesmo a contragosto e sob protesto) exibir para a Imprensa os restos " plantados" de um balão meteorológico, tudo de modo a abafar e oficialmente desacreditar o espinhoso assunto de uma vez por todas.


As testemunhas locais igualmente foram coagidas a negar tudo aquilo que viram, inclusive o dono do rancho no qual o UFO se espatifou no solo, o qual chegou mesmo a ser detido e longamente ameaçado e interrogado por membros do Governo. Curiosamente, algum tempo depois, isto é, após oficialmente "se arrepender" e negar tudo, assim como estampou a manchete de jornal acima, a "fortuna" como que por encanto lhe sorriu, uma vez que muito repentinamente abandonou o uso da sua velha caminhonete "caindo aos pedaços", em troca de um reluzente (e além de tudo caro) modelo do último tipo.....! E então, agora, diante de DUAS surpreendentes evidências que recentemente vieram à tona, poderemos fazer uso de uma nossa frase, a mesma do pedido de socorro dos antigos astronautas, porém com uma pequena mas sutil modificação: - HOUSTON, VOCÊ TEM AGORA DOIS PROBLEMAS:


Este é o PRIMEIRO PROBLEMA que deve estar dando muitas dores de cabeça a certos setores, provando que felizmente nem todo temem ameaças ou sequer se vendem!"ROSWELL, REALMENTE ACONTECEU, por Jesse Marcel Júnior. O livro de Marcel revela seu envolvimento naquilo que realmente aconteceu em julho de 1947 quando ele examinou os destroços de uma nave estelar avariada. Um dos últimos sobreviventes e o único indivíduo do qual o nosso Governo tem conhecimento de ter analisado esses destroços, Marcel sente que é necessário que o conhecimento desse fato nunca seja perdido e seja registrado neste livro" . Como, de fato, deve ser mesmo uma leitura imperdível!,,,,


..... Claro, pois o então menino Jesse Marcel Júnior teve nas próprias mãos inúmeros destroços do UFO, incluindo peças gravadas com estranhos hieróglifos e placas de um metal indestrutível, desconhecido na Terra, o qual retomava o tamanho original mesmo quando dobrado e amassado, isso surpreendentemente sem sofrer quaisquer danos! E esse seu livro recentemente lançado tornar-se-á mesmo uma "bomba", um "jato de água fria" lançado sobre o vergonhoso encobrimento oficial que se fez presente por mais de 50 anos, além, é claro, de revelar toda uma verdade que, enquanto encoberta, maculou a honra e a credibilidade do seu pai, o qual levou para o túmulo toda a revolta que guardava no seu coração pelo fato de ter sido obrigado a silenciar a respeito de um assunto do qual foi protagonista e, principalmente, de extrema relevância para toda a humanidade. É claro que diante de revelações como essas, mesmo com todo o tempo decorrido, ainda tentam por todos os meios desmoralizar os fatos, trabalhando no sentido de oficialmente negar tudo, fazendo assim o Caso Roswell parecer como uma deslavada mentira e um mero fruto do sensacionalismo. Porém, como jamais se pode negar aquilo que não pode ser negado, e nada pode mesmo ficar oculto por durante muito tempo.....


...... Permita que lhe apresentemos a a imagem do Coronel Philip J. Corso (1915-1998), e com ele O SEGUNDO PROBLEMA que certamente vai atormentar "Houston" (e em muito!): Oficial norte-americano altamente graduado e com uma brilhante folha de serviços, Consultor Científico do Presidente Eisenhower e membro do Conselho de Segurança Nacional em 1950, o qual não só confirmou que os UFOs REALMENTE EXISTEM, como também que uma nave alienígena e os corpos dos seus tripulantes foram resgatados em Roswell no ano de 1947. E ainda revelou ter participado de programas e atividades de ENGENHARIA REVERSA de modo a utilizar a tecnologia alienígena para fins de desenvolvimentos militares e industriais nos EUA!


"O DIA DEPOIS DE ROSWELL, um antigo oficial do Pentágono revela o chocante acobertamento do Governo dos EUA acerca dos UFOs. Coronel da Reserva Philip Corso. Se você é cético, as revelações de Corso o farão reconsiderar a sua posição" - diz a capa deste livro. Pouco antes da sua morte, Corso decidiu revelar ao mundo tudo aquilo que realmente esteve por trás do famoso Caso Roswell. E exatamente este livro de sua autoria expõe toda a verdade, colocando finalmente por terra toda uma vergonhosa política de acobertamento que se fez presente por mais de cinqüenta anos!


Nele, Corso tacitamente diz que o objeto caído em Roswell definitivamente não se tratava de um "balão meteorológico", mas, sim de UMA NAVE ALIENÍGENA TRIPULADA. E revela que após esse acidente cinco caminhões sob forte escolta militar conduziram os destroços do UFO para a base de Fort Riley, situada em Kansas. Como então era oficial de inteligência daquela base, e assim com livre acesso a todos os setores, esteve diante de certas caixas dotadas de reduzidas dimensões, as quais definiu como parecidas com "caixões de crianças", no interior de uma das quais efetivamente VIU um dos corpos dos alienígenas mortos no acidente de Roswell, bem como revela que, alguns anos depois, examinou diversos documentos secretos do Pentágono relativos ao caso, atestando assim a sua completa veracidade!


E segundo revela Corso, eis a reprodução daquilo que efetivamente viu em uma das caixas: um estranho corpo! Era uma criatura que media cerca de 4 pés (1,20 metro), crânio enorme, olhos grandes, tipologia humanóide, dotada de aspecto bizarro, com braçosmãos com apenas quatro dedos, além de finas pernas e pés, ostentando ainda uma espécie de grande capacete que brilhava como se fosse um bulbo incandescente!


Obviamente, e assim como todos os antigos relatos o confirmam, tratava-se de uma entidade alienígena da tipologia gray, a perniciosa e além de tudo muito perigosa raça que desde muito assola o nosso planeta com intenções ainda não inteiramente detectadas. E segundo Corso, a autópsia dos cadáveres desses aliens resgatados em Roswell foi secretamente efetuada no Walter Reed Hospital situado em Washington DC.....


..... E ainda, demonstrou que assim era o formato do Disco acidentado de Roswell, o qual, também revela no seu livro, estar atualmente preservado e guardado em uma instalação militar ultra-secreta - algo que definiu como uma espécie de "Museu de tecnologia alienígena", situado na Base Aérea de Norton, na Califórnia!


Mas, em 1961, Corso revelou que foi transferido para o Departamento de Pesquisas e Desenvolvimentos do Pentágono, trabalhando diretamente sob as ordens do General Arthur Trudeau, em instalações ultra secretas com o sutilíssimo nome de "Divisão de Tecnologia Estrangeira", quando, temendo-se uma INVASÃO alienígena ao nosso planeta, lhe foi confiada a missão de examinar e desenvolver a tecnologia constante de alguns artefatos recolhidos em Roswell. E por durante dois anos a tecnologia copiada do interior da nave alienígena de Roswell sofreu operações de Engenharia Reversa resultando na obtenção dos nossos atuais VISORES NOTURNOS, ROUPAS À PROVA DE BALAS, CHIPS DE CIRCUITOS INTEGRADOS, TECNOLOGIA DE FIBRAS ÓTICAS E LASERS!!! Corso teve nas mãos artefatos alienígenas que descreveu como: "um tecido metálico hiper resistente que recobria a pele dos aliens mortos como uma espécie de casulo; um tubo que emitia raios avermelhados de alta potência; uma espécie de capacete eletrônico, tipo coroa, que envolvia a cabeça de um dos aliens mortos e que possivelmente servia para COMANDAR A NAVE através de controle mental, mas que somente funcionava em conjunto com os cérebros deles; um pequeno chip calcinado; um cabo altamente flexível que transmitia luz e, ainda, uma lente que permitia enxergar perfeitamente na escuridão"! Corso e a equipe que reuniu para essa finalidade (inclusive com notáveis cientistas como Von Braun, alguns outros remanescentes do nazismo e até mesmo Oppenheimer) chegaram à espantosa conclusão que a tecnologia presente na nave, ainda muito além da nossa compreensão, produzia uma onda desconhecida ao seu redor que a tornava UMA VERDADEIRA MÁQUINA DO TEMPO, já que a sua locomoção envolvia interações com aquilo que os cientistas definem como "Continuum espaço/tempo"!....


..... Assim, descobriu-se que o disco acidentado de Roswell por isso mesmo podia "saltar" as grandes distâncias do espaço sideral, desaparecedno em um ponto e depois surgindo em outro! Acima, ainda das anotações do Coronel Corso, o esquema das poderosas interações da nave com os campos magnéticos.


E de uma espécie de lente colocada sobre o olho do cadáver alienígena, uma tipo de coletor de luz, verificou-se que ela permitia visão sob quaisquer condições externas!


E além de tudo, o Coronel Corso não hesitou em revelar os nomes dos laboratórios envolvidos no desenvolvimento dessa tecnologia! Em Fort Belvoir, por exemplo, levando-se em conta de que os relatórios secretos indicavam que no interior da nave acidentada de Roswell através das suas escotilhas era igualmente possível se obter a luz amplificada, os atuais equipamentos militares de visão noturna foram desenvolvidos. Os Laboratórios Bell, por sua vez, desenvolveram os Circuitos Integrados e a tecnologia de Fibras Óticas, a qual finalmente veio a resolver o problema da curvatura da luz para transmissão de dados. Como também através dessas pesquisas em outros laboratórios militares e/ou a serviço do Governo Americano - e mediante as mesmas atividades de Engenharia Reversa - foram desenvolvidos os Raios Lasers e o polímero Kevlar, este atualmente utilizado nos atuais coletes à prova de balas, como também em diversos outros tipos de blindagens.


E mais: igualmente confirmou aquilo que se suspeitava há muito tempo: o Stealth, o temível avião (assim como os UFOs invisível ao radares), bem como toda a sua estrutura eletrônica e aerodinâmica, foram totalmente desenvolvidas a partir da tecnologia alienígena presente na nave acidentada de Roswell! E, da nossa parte, poderíamos até acrescentar que, desenvolvido secretamente pela Lockheed Corporation mediante estrita supervisão da Força Aérea Americana, sob o sutil e muito sugestivo codinome de "Lost Diamond", ou "Diamante Perdido" talvez numa velada alusão ao UFO acidentado de Roswell, o Stealth era de fato tão secreto que nem mesmo a maioria dos funcionários daquela empresa de construção aeronáutica sabia do que se passava em um dos seus hangares de segurança máxima, ali estabelecido para uso e restrito de uma equipe muito especial e com a estranha denominação de "Skunk Works", ou "Trabalhos de Gambá".


Estranho? Sim. Mas também é importante saber que a Engenharia Reversa efetuada sobre a tecnologia alienígena parece que AINDA continua de vento em popa! E que, TAL COMO O CAPACETE DO ALIEN DE ROSWELL conforme descrito pelo Coronel Corso, atualmente os pilotos de caças dos EUA usam capacetes conjugados com os equipamentos eletrônicos ligados aos seus caças que lhes permitem mover a aeronave DE ACORDO com a movimentação das suas cabeças, como também apenas olharem para um alvo selecionado e assim dispararem as suas armas com extrema precisão! Mera coincidência? JAMAIS!


Engenharia Alienígena Reversa é, pois, um fator que ainda parece estar sendo altamente explorado. Essa recente notícia nos mostra o desenvolvimento de algo muito semelhante àquilo que certos tripulantes dos UFOs, conforme relatado por diversas testemunhas, utilizam para afugentar os curiosos que se aproximam em demasia das suas naves! (FONTE: Jornal O DIA, Rio de Janeiro, edição de 26 de janeiro de 2007)


Sim, estamos cercados por SINAIS que não podem ser ignorados, como também rodeados por correntes de servidão passíveis de, voltando-se contra nós mesmos, um dia qualquer nos destruir. A sábia Lei de Lavoisier diz que nada se perde, tudo se transforma. E assim, mesmo que sequer saibamos, ou então possamos sonhar, muitas coisas que hoje utilizamos de modo corriqueiro no nosso dia-a-dia fazem parte da herança de uma ambígua tecnologia alienígena! Sabe-se que no UFO acidentado de Roswell foram também encontrados estranhos e reduzidos "discos" cuja finalidade, descobriu-se, era armazenar grandes quantidades de dados. É claro que não podemos e nem devemos subestimar a capacidade e a inteligência dos nossos Técnicos, Engenheiros e Cientistas de pesquisas que trabalham para o Bem, tendo em vista os relevantes serviços que prestam à humanidade. Mas também é claro que uma "mãozinha", venha ela de onde vier, sempre será oportuna e muito bem-vinda. Contudo, foi justamente a partir da época mencionada por Corso que surgiram como que por encanto os CD-ROM, abrindo imensas possibilidades e sendo cada vez mais desenvolvidos, chegando aos atuais DVD's que permitem guardar imagens e sons e cujas possibilidades de desenvolvimento igualmente se tornam cada vez mais crescentes e, por conseguinte, infinitas.


Alguma dúvida? Basta apenas e tão-somente comparar alguns destroços da nave acidentado de Roswell com os nossos modernos chips; com os populares CD's; e com as placas-mãe que transformaram velhos e obsoletos computadores à válvulas que antes ocupavam prédios inteiros, em pequenas unidades que cabem agora em cima da sua própria mesa de trabalho!


Poucos ousaram revelar tais segredos. E muito naturalmente - como, aliás, seria de se esperar e costumeiramente acontece com todos aqueles que resolvem quebrar a barreira de silêncio imposta ao muito embaraçoso assunto "UFOs" - a grande e muito bem montada "Central de Contraverdades" logo tratou de tentar desmoralizar as sensacionais revelações do Coronel Corso - aqui visto na foto em uma ocasião já bem próxima da sua morte, ocorrida por ataque cardíaco em 16 de julho de 1998, aos 83 anos de idade. Os muito suspeitos negadores, obviamente agentes de contra-informações, logo disseram que essas revelações constituíam um demérito à capacidade dos nossos cientistas e que tudo aquilo que constava das suas denúncias nada teria de "extraterrestre" e fora desenvolvido aqui mesmo na Terra. E através de um total desrespeito à memória de Corso, chegaram a afirmar que todas as suas revelações não passavam de "Ficção Científica". Difícil mesmo de se engolir! Em primeiro lugar, as revelações de Corso COINCIDEM PLENAMENTE com a época em que tais dispositivos muito avançados efetivamente começaram a surgir de maneira muito repentina no mundo. Em segundo lugar, a longa folha de brilhantes serviços do Coronel Corso demonstra que ele não era um mero farsante ou mesmo um pilheriador: em 1942 ocupou cargo de Inteligência no Exército Americano na Europa. Teve atuação na Guerra da Coréia, ainda em serviços de Inteligência e sob as ordens do General Douglas MacArthur. E além de condecorado com 19 medalhas, conforme já sabemos, ocupou cargo de altíssima confiança como Consultor Científico do Presidente Eisenhower e membro do Conselho de Segurança Nacional. Além disso, deteve o poder autônomo de acionar todo o arsenal nuclear americano em caso de guerra!


Não; não é "ficção científica" como querem os detratores! E uma vez que pouco a pouco a verdade emerge e sempre vem à tona, acima você vê parte de um filme supostamente tomado por autoridades militares norte-americanas em 1947, no qual foi registrado o transporte dos corpos dos alienígenas mortos em Roswell!


Neste outro frame daquele velho filme podemos ver o corpo de um deles devidamente acondicionado em uma caixa.... Exatamente conforme descrito pelo Coronel Corso que mais tarde veria quatro deles em Fort Riley!


Todo escritor terá aquele que será o seu último livro, exatamente aquele que seria demasiadamente perigoso divulgar e que poucos se atreveriam a publicar. O coronel Corso não fugiu à regra. Pouco antes de morrer, em 1998, sabe-se que deixou um manuscrito (ainda não revelado) com alguns dos seus amigos mais íntimos e que somente deveria ser divulgado após a sua passagem. Esse manuscrito revela coisas ainda mais impressionantes, o que seu livro deixou de publicar, como por exemplo: os fracassos de diferentes missões espaciais, tanto dos EUA quanto da extinta URSS, ocorreram por força de uma presença alienígena desconhecida! Esses seres já efetuaram ataques contra a Terra de modo a neutralizar nossa tecnologia bélica! Da mesma forma que acompanharam as missões Apollo da NASA à Lua. Existem bases de outras inteligências na Lua e em Marte! Suas naves, assim como os militares norte-americanos descobriram, são, de fato, manejadas através de controle mental! Agora responda: - VOCÊ, Prezado Visitante desta página, acredita que um homem desses poderia estar brincando quando, pouco antes da sua morte, corajosamente resolveu revelar ao mundo tudo aquilo que fora obrigado a esconder por durante quase toda a sua vida?







Total de visualizações de página

Página FaceBook