BARRA ANIMADA


Translate

SEJA BEM VINDO


BARRA 2


Mensagem


A Frequência Fotônica Pleiadiana e a Nova Era do Fóton


quinta-feira, 6 de agosto de 2015

O que Sabemos não é tudo que Existe - Parte 231 TUDO ALTAMENTE CONVERGENTE!



"A lâmpada do corpo é o olho. Se, pois, teu olho for singelo, todo o teu corpo será luminoso; mas, se teu olho for iníquo, todo o teu corpo será escuro. 

Se, na realidade, a luz que está em ti é a escuridão, quão grande é essa escuridão" (Jesus Cristo, em Mateus, Cap. 6, Vs. 22)






Imensamente sábias as palavras daquele que foi O Maior de Todos os Mestres! De fato, todo o "olho" que enxerga mais longe deveria compartilhar as suas visões com os seus semelhantes. Lamentavelmente, porém, não é isso o que costumeiramente acontece, pois aqueles que detêm o poder de enxergar mais longe preferem trabalhar na escuridão do engano e nas sombras das mentiras. Assim sendo, muitas coisas relevantes são ocultadas da humanidade. Esta, por exemplo, é uma imagem do nosso (?) enigmático satélite, a Lua - talvez, e além de Marte, um dos mais misteriosos corpos celestes do nosso pequeno Sistema Solar.


Dizemos isso porque desde as primeiras explorações efetuadas por sobre a sua arenosa e desolada superfície, as surpreendentes imagens mostradas pelas câmeras dos módulos espaciais têm mostrado a insistente presença de estranhas ruínas - ou quem sabe, ainda operantes e ativas instalações pertencentes a uma misteriosa raça alienígena!


Apesar de claramente evidentes, os órgãos espaciais das nossas grandes potências insistem em esconder e negar essa realidade, muito embora SAIBAM que "alguém" chegou primeiro na Lua e que muito possivelmente essa raça alienígena ainda esteja por lá efetuando trabalhos que possivelmente sejam destinados às atividades de mineração!


O certo é que seja lá qual for essa misteriosa raça alienígena, ela está bem estabelecida e dispõe de instalações que lembram BASES, espalhadas por quase toda a superfície lunar.


Curiosamente, e apesar de negarem, esses órgãos espaciais fotografam e exploram com grande interesse certas edificações não convencionais que ostensivamente sobressaem na aridez do solo da Lua. Há por lá, inegavelmente, torres, obeliscos, pirâmides, antenas e muitas outras coisas bem interessantes por lá. Sem contar, é claro, a também muito ostensiva e insistente presença de naves alienígenas que constantemente o sobrevoam, além da presença de estranhas máquinas se locomovendo na sua superfície!


E para esconder do grande público essa chocante realidade, os nossos órgãos espaciais não hesitam mesmo em usar artifícios de edição de imagem para obliterar e mascarar certas coisas muito embaraçosas espalhadas pelo solo do nosso satélite. Coisas que poderiam revolucionar todo o conhecimento humano, além de causar uma completa revolução mental, cultural e religiosa no seio da nossa humanidade.


Como, por exemplo, essa outra imagem na qual dois imensos obeliscos lunares foram literalmente manipulados de modo a se confundirem com a paisagem, escondendo assim dos olhos menos atentos a sua existência. Logicamente, entra aí um outro poderoso fator: exploração espacial implica em tecnologia. E a realização de obras e de instalações em outros corpos celestes implica em uma outra nuance da tecnologia ainda mais evoluída. Evidentemente, o fato de reconhecer que existem outras raças pensantes no Universo, talvez muitos milhares de anos à sua própria frente, o tornaria enfraquecido diante de toda a população mundial, a qual passaria a questionar se você, de fato, é tão poderoso quanto propala. Além disso, os interesses religiosos também falam mais alto nesse particular. Não convém revelar ao público o que o público não deve saber.


Porém, por mais que os pontífices da contraverdade se esforcem, nada pode mesmo ficar oculto por durante muito tempo! Nas fotos da NASA, da esquerda para a direita, Neil Armstrong e Buzz Aldrin, como se sabe os primeiros homens a caminharem na superfície da Lua durante a Missão Apollo-11, levada a efeito na memorável data de 21 de julho de 1969.


O local desse pouso foi o Mar da Tranqüilidade, visto na foto na região inferior. Foi uma área alternativamente escolhida, uma vez que a região onde deveria ser originalmente efetuado o pouso estava "ocupado" na borda da cratera por inúmeros UFOS, o que levou Armstrong, o Comandante da Missão, a optar pela alternativa do Mar da Tranqüilidade - o que, SOMENTE AGORA SE SABE, não foi uma mera casualidade pois certas fotos anteriormente tomadas pelos antigos módulos exploratórios sobre aquele local já indicavam que por lá havia uma certa coisa muito, MUITO INTERESSANTE!


Onde, aliás, através de uma visão mais aproximada, poderemos constatar que há, de fato, coisas bem estranhas por lá. Uma delas, todavia, bem mais notável:


EXATAMENTE ISTO! E precisamente o que você agora vai ver são os frames de um filme tomado em 21 de julho de 1969 pelos astronautas Armstrong e Aldrin no Mar da Tranqüilidade. Trata-se de um dos maiores e mais bem guardados segredos da NASA, uma película altamente censurada e PROIBIDA que somente agora transpirou, a qual, certamente, se constitui em um dos mais chocantes e mais reveladores episódios de toda a exploração espacial.


Aqui, Armstrong começa a explorar a entrada da estranha edificação.


Já lá dentro, começam a surgir as primeiras surpresas!


Não resta a menor dúvida: trata-se de uma edificação erigida por SERES INTELIGENTES!


Aqui, detalhes da estrutura interna do enorme complexo arquitetônico lunar!


Onde podem ser claramente vistas as suas estranhas, e além de tudo enormes, colunas de sustentação!


Nessa outra imagem, mais detalhes arquitetônicos do misterioso complexo lunar.


Mais enormes colunas de sustentação! Certamente um "prato cheio" para o céticos, os quais certamente logo dirão que isso se assemelha em muito com os padrões da Engenharia terrestre e, como sempre acontece, irão rotular tal filme como "montagem". Evidentemente, em qualquer obra de Engenharia - seja lá de que origem e natureza for - qualquer tipo de estrutura forçosamente implicará na necessidade de sustentação. E a coluna é o elemento indispensável para tal finalidade - tanto aqui quanto em Marte, na Lua, ou em qualquer corpo celeste habitado por criaturas inteligentes.


Além disso, um grande complexo de túneis e longos corredores guarnecia toda aquela estrutura, denotando assim um fantástico trabalho no qual uma grande tecnologia fora empregada!


Aqui, um detalhe das inúmeras passagens de comunicação entre os grandes salões.


Mais detalhes da complexidade dessa estrutura. Ao fundo, vemos o astronauta perto daquilo que parece ser uma escadaria.


Uma visão mais aproximada daquele exótico ambiente.


Um detalhe que evidentemente chamou a atenção de Armstrong....


..... E aqui, uma visão mais aproximada da tal elevação que lembra uma escada.


Nessa imagem, vemos a sobreposição de enormes lages. E pelo reduzido tamanho da altura do teto - o que chamamos na nossa Engenharia de "pé-direito" - podemos depreender que esse complexo era gerido por seres dotados de pequena estatura!


Mais detalhes laterais daquela curiosa estrutura.


Ao fundo, uma outra escada que conduzia a um nível superior do enorme complexo.


Nessa outra imagem, vemos janelas laterais que guarneciam todo a extensão do exterior da edificação.


Nessa cena, Armstrong coleta materiais para análises. Não se sabe exatamente o que foi recolhido pois, claro, o sigilo total tomou conta de tudo.


O espantoso filme, que tem a duração de 14 minutos, igualmente termina com a imagem de Armstrong recolhendo esses materiais espalhados pelo enigmático complexo. Logo após os dois astronautas trataram de sair do local.


Porém, na sua parte final, a película igualmente nos mostra uma espécie de levantamento esquemático daquela estranha estrutura, dotada de uma imensa porta principal.....


Sua extensão foi avaliada em 60 metros de comprimento, por muros laterais dotados de 9 metros de altura! Em síntese, uma estrutura de grande porte.


Além disso, essa estranha estrutura, aparentemente em ruínas, era toda cercada por visores - ou janelas - laterais, simetricamente postadas em toda a sua extensão.


Podia até ser que tal inusitada instalação lunar estivesse mesmo em ruínas. Porém, uma das partes mais intrigantes desse filme é justamente representada pelo astronauta Aldrin, que operava câmera, na ocasião em que teve a sua atenção despertada para uma dessas janelas laterais daquele complexo, quando até mesmo usou o recurso de zoomda máquina para captar a imagem dessa bizarra figura que parecia, ao que tudo indica do exterior, espreitar a cena! Tudo se encaixa. Lembremos, por oportuno, que muitos anos depois do primeiro pouso no nosso satélite, Armstrong, quando perguntado por um jornalista sobre a razão de a NASA ter interrompido as suas missões à Lua, simplesmente limitou-se a reponder: - "Fomos postos para fora de lá"!


Faz sentido, não somente pela ostensiva presença dos UFOs na Lua, como também pela grande quantidade de instalações alienígenas lá estabelecidas. E a conclusão a que os cientistas da NASA teriam chegado é que esse complexo destinava-se a uma espécie de HANGAR. E a análise do material nele empregado revelou que fora elaborado com materiais e elementos presentes no PRÓPRIO SOLO LUNAR! Enfim, um imponente e além de tudo fantástico trabalho da mais pura Engenharia. Mas QUAL Engenharia, e QUEM exatamente a praticara?


Porém, a óbvia e principal conclusão - que, por sinal, qualquer criança do Jardim de Infância poderia igualmente chegar sem maiores esforços - foi que se tratava de uma "OBRA DE ENGENHARIA EFETUADA POR SERES NÃO HUMANOS", "possivelmente há MUITOS MILHARES DE ANOS ATRÁS", em razão dos desgastes apresentados na sua estrutura, como também dos resultados das análises efetuadas nos diversos materiais lá recolhidos!!!


Há muitos milhares de anos atrás? Sem dúvida! Agora, SIM, começamos a entender a razão do ex-astronauta Neil Armstrong, precisamente em 1976, isto é, muitos anos depois do primeiro pouso na Lua, ter feito uma estranha visita ao complexo de grutas de Los Tayos (fotos), situado a 800 metros de altitude na Cordilheira do Condor, precisamente na Amazônia Equatoriana junto à fronteira com o Peru, nas coordenadas 77º 47' 34" Oeste 1º 56' 00 Sul, onde uma antiga e desconhecida civilização deixou as marcas da sua passagem nos interiores de profundas cavernas misteriosamente escavadas na rocha bruta. Armstrong Fazia parte de uma expedição composta por centenas de cientistas e militares estrangeiros que por durante um mês e meio - e dotados dos mais avançados equipamentos - sob o estranho pretexto de efetuar pesquisas botânicas e geológicas vasculharam avidamente todo o imenso complexo estrutural daquelas grutas.


E por que exatamente Armstrong fazia parte daquela expedição? Algo que não se torna muito difícil de adivinhar: primeiramente porque o objetivo verdadeiro dessa missão estrangeira dizia respeito a algo que NÃO ERA DESTE PLANETA, e Armstrong fora, de certa forma, bem versado nisso uma vez que cansara de ver UFOs no espaço sideral e até na própria Lua. Em segundo lugar, Ele, precisamente em 21 de julho de 1969, como teve a oportunidade de ter visitado ALGO DE NATUREZA ARQUITETÔNICA MUITO SEMELHANTE EM PLENO SOLO DA LUA, evidentemente viera para constatar essas possíveis semelhanças!!! E (muito sutil), após passar três dias no interior do complexo de Los Tayos, enfaticamente declarou que "a experiência ali vivida havia superado tudo aquilo que vivera na Lua"!


Tudo altamente convergente! O complexo maravilhoso de Los Tayos é um bizarro local que tem sido desde muito explorado, como, por exemplo, nessa outra antiga expedição do cientista e arqueólogo Jean Moricz, realizada em 1969, o qual veio a falecer no ano de 1991 sem contudo revelar o segredo que guardava sobre Los Tayos justamente porque considerava que os tempos ainda não estavam de todo maduros para isso! Deve-se a Moricz a descoberta, exatamente nesse gigantesco complexo, de inúmeros e valiosos objetos de imenso valor cultural e histórico para a humanidade, representados por uma profusão de lâminas metálicas, gravadas com ideografias, desenhos e misteriosas inscrições, uma verdadeira biblioteca que continha os registros históricos de uma civilização muito antiga e desconhecida a qual, em tempos muito remotos - há cerca de 250 mil anos - esteve presente no nosso planeta, isso além de inúmeras portas seladas, estátuas zoomórficas e humanas! Uma civilização que muito possivelmente chegara do espaço sideral, ou então vivera na Terra, sendo de tal modo avançada que possuía meios para viajar pelos confins do Universo!








Total de visualizações de página

Página FaceBook