BARRA ANIMADA


Translate

SEJA BEM VINDO


BARRA 2


Mensagem


A Frequência Fotônica Pleiadiana e a Nova Era do Fóton


domingo, 6 de setembro de 2015

Deep Web: A Internet Proibida para 99,99% da População




CONTEÚDO NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE IDADE. 

DEEP WEB: O QUE A INTERNET CONVENCIONAL NÃO MOSTRA. VOCÊ SABE O QUE É A DEEP WEB? PREPARE-SE... POIS NÃO À LEIS, TUDO QUE ACONTECE É REAL. VOCÊ SABIA QUE DE TODA A INTERNET QUE VOCÊ USA, NA VERDADE SÃO SÓ 4 OU 5% DE TUDO QUE EXISTE? 


A DEEP WEB É O LADO OCULTO E OBSCURO DA INTERNET, QUE CORRESPONDE 96/95% DE TODA A REDE. LÁ VOCÊ ENCONTRA DE TUDO, SITES ASSASSINOS, CANIBALISMO, PEDOFILIA, QUANDO PESSOAS DESAPARECEM E NINGUÉM AS ENCONTRAM, MATAR PARA ROUBAREM OS ÓRGÃOS, E POR AÍ VAI.. VEJAM A MATÉRIA.







Hoje já temos noções de como funciona a hierarquia Illuminati, com simbolismo de uma pirâmide, onde aquele que esta no topo é o oculto, que manda de fato no mundo. Pois na Deep Web, é o contrário, aqueles que estão embaixo e muito mais profundo, são os que estão mais ocultos.
O seu símbolo é um icebergs, onde o que esta na parte de cima é bem menor do que esta abaixo.

Afinal, o que é Deep Web?
De uns tempos para cá, mais especificamente após as revelações de Edward Snowden e o escândalo da NSA (para quem não sabe, Google Is Your Friend) vêm se tornando clichê falarmos de Deep Web/Dark Net, de encriptação e também de VPNs.
Destes tópicos, que acabam por se unir em determinado ponto, o mais intrigante é a Deep Web:




























































Quais informações ela poderia conter? Sobre o que se trata? Existe algo mais?
A verdade está lá fora mas irei abordá-la neste post ;]


A internet não é o que você pensa.
Ao navegar pela internet, se desejamos localizar determinado conteúdo, o que fazemos é acessar algum buscador como o Google e procurar o assunto ou conteúdo que nos interessa. Entretanto, existe uma quantia, na verdade a maior parte da internet que não é ‘buscável’ e simplesmente não existe nos registros dos buscadores, esta internet oculta, chamamos de Deep Web ou DarkNet, que representa hoje 96% da internet existente.
Por que a internet não está aonde deveria?
Com a evolução da internet e da legislação a seu respeito, tornou-se interessante “esconder” conteúdo, mas seria esse conteúdo interessante ou sinistro? Alguns dizem que sim, seria isto verdade?

Sim e não ao mesmo tempo.

Na DeepWeb encontramos sites sinistros como o SILK ROAD que é basicamente um mercado negro para drogas dos tipos mais variados, encontramos o C’tulhu um grupo de extermínio extremamente qualificado que promete “apagar” qualquer um apenas pagando a quantia certa, encontramos sites de experimentos malucos como o The Human Experiment que expõe seres humanos à condições extremas de sobrevivência: sem comida, sem água, enclausurado, sem algum membro e experiências macabras, a ‘rede social’ 4chan possui uma de suas vertentes também na DeepWeb, onde se fala de assuntos mais ‘complicados’, existem sites adultos que só não estão na Surface Web pois tem algum tipo de conteúdo ilegal como pedofilia, estupro, masoquismo absurdo, etc, existem sites de ceitas satânicas e controversas, existem sites de governos fechados como a China, onde se compartilham informações que nesses países são proibidas, etc.

Entretanto, além desse conteúdo sinistro, que é minoria, também existe o tráfego lixo, coisas que seus autores não desejam que sejam acessíveis por serem indesejáveis, geralmente os webmasters mais experientes selecionam seu conteúdo mais relevante e os enviam em um resumo aos buscadores para que sejam indexados apenas os conteúdos chamativos e bons, como toda boa propaganda, o próprio CafeNerd esconde alguns conteúdos dos buscadores, por não serem relevantes. Infelizmente (ou felizmente) isto é o que mais tem na DeepWeb, ou seja, praticamente lixo, grande parte do que existe na DeepWeb é Lixo.

Como acessar essas redes?




Algumas dessas redes não indexadas exigem que você saiba o ip ou nome de host exato para acessá-las, enquanto outras tem mecanismos de segurança mais avançados, entre eles proxy ou VPN e até mesmo o TOR que é um tipo de rede que funciona na internet porém usa um mecanismo diferente da internet, passando o pacote de forma criptografada por diversos “nós” ocultos.

No TOR é possível encontrarmos algumas páginas escondidas e para isso utilizamos alguns sites específicos:
TORDIR
THE HIDDEN WIKI




Estes são os mais conhecidos no “mundo aberto” porém, obviamente não os únicos.
Moeda Corrente
Os tipos de atividades mais populares da DarkNet/Deep Web não são tão como podemos dizer “politicamente corretos” e deste modo, uma operação financeira poderia facilmente ser rastreada e um comprador de drogas, órgãos ou qualquer outra coisa ilícita que lá existe seria preso, assim como o vendedor.
Para evitar estes problemas criou-se uma moeda virtual, o Bitcoin, aonde você entrega este dinheiro para o Bitcoin e tem algumas moedas virtuais para utilizar em sua estadia pela Deep Web, este dinheiro tem sua própria cotação relativa à lei da oferta e procura e acredita-se (ou acreditava-se) que com o passar do tempo, viria a ser muito caro.

Mariana’s Web

Fazendo referência às fossas Marianas, o lugar mais profundo já encontrado na Terra, existe também a Mariana’s Web, é uma espécie de DeepWeb dentro da DeepWeb, ou seja, além das tecnologias diferentes para se acessar a DeepWeb acrescentamos aqui mais encriptação, login e senha, VPN, proxies, etc, as mais variadas tecnologias. Dizem que existe um mercado negro gigantesco cujos produtos principais são: Órgãos.

Dizem também que por lá que se encontram os estudos do Dr Nikola Tesla, que aparentemente revelam a descoberta de uma fonte praticamente ilimitada de energia e que ‘as partes interessadas’ não querem que você saiba, mas tudo isso é teoria, eu particularmente desconheço.
Fatos notáveis

O Wikileaks começou na DeepWeb e se tornou público só algum tempo depois quando alguns meios de comunicação começaram a vazar certas informações da DeepWeb.
Dizem que o The Pirate Bay possuia uma vertente também na DeepWeb em certo tempo.

O Boom da Deep Web

A DeepWeb explodiu graças a mídia devido às revelações de Edward Snowden sobre a NSA e seus BackDoors o que causou nos governos mundiais e também na população o desconforto de serem “invadidos” diariamente e não terem privacidade em absolutamente nada. Imagine que a Cisco e a Juniper estão nesta jogada.

Novas tecnologias para comunicações

O medo de ter sua privacidade invadida levou grande parte dos usuários a encontrarem soluções mais seguras para suas atividades no dia-a-dia, seja utilizando navegação segura (HTTPs), seja utilizando redes diferentes como o TOR e as MeshNets ou utilizando proxies.
Devido a este medo, alguns serviços antes quase “ocultos” vieram a tona, alguns deles são:
MEGA – Criado pelo fundador do MegaUpload, Kim DotCom, trata-se de um servidor para armazenamento criptografado de arquivos cujas chaves apenas os uploaders possuem.
DuckDuckGo - Um serviço de buscas semelhante ao Google criptografado que promete anonimidade para quem o utiliza.
Está em desenvolvimento para Android e iOS o mensageiro instantâneo Heml.is, desenvolvido por Peter Sunde um dos fundadores do ThePirateBay.

A Grande Censura
Além dos sites da rede TOR serem programados em uma linguagem específica, o modo de arquitetura da Rede TOR pede que seja hospedado em uma empresa de hosting específica. A maior delas era a Freedom Hosting, que hospedava mais de um terço de toda a rede TOR, entretanto em 01/08/2013 foi preso Eric Eoin Marques suposto “dono” da Freedom Hosting e com ele parte da rede TOR ficou inacessível.

O Futuro

A internet foi criada para ser uma pequena rede militar e cresceu praticamente sem controle até os dias de hoje, nessa rápida expansão juntamos todas as pessoas, empresas e governos em uma única rede a qual “abre leque” para uma vasta gama de crimes virtuais. As possibilidades praticamente infinitas de obtenção de informações através da web influenciaram muitas pessoas a se tornarem verdadeiros especialistas em invasão online, alguns destes profissionais estão em governos que com “as chaves da internet” têm também “a chave do mundo”.
No meu modo de vista é praticamente insustentável aceitarmos a internet como um meio seguro de comunicação, confiando às vezes informações cruciais à nossa própria vida nela.
É necessário um novo desenho, um novo paradigma e melhor, uma nova cultura digital, talvez até uma nova rede, para que possamos confiar na nuvem e continuar evoluindo neste sentido. As DarkNets são um projeto de solução e podem sim se solidificarem e substituírem a navegação da forma que conhecemos, hoje temos-na como uma alternativa para que continuemos fazendo da internet um local livre.
A Internet está cheia de sites como o Facebook, Google, e Instagram, mas eles são apenas a superfície. Há um outro mundo lá fora: a Deep Web.

É um lugar onde a informação on-line está protegida por senhas, presas atrás de paywalls, ou requerem softwares especiais para acesso – e é enorme. Segundo algumas estimativas, é 500 vezes maior do que a Web que a maioria das pessoas usa a cada dia. No entanto, está quase completamente fora de vista.
Grande parte do material não-indexado da Deep Web encontra-se em bancos de dados mundanos como o LexisNexis ou envolvem rolos do Escritório de Patentes dos Estados Unidos. Mas como uma boneca russa Matryoshka, a Deep Web contém um mundo ainda mais escondido, uma comunidade menor, mas significativa, onde os atores maliciosos se unem em um propósito comum para o mal. Bem-vindo a Deep Web, um vasto subterrâneo digital onde hackers, gangsters, terroristas e pedófilos agem livremete. O que se segue é apenas uma amostragem superficial dos serviços disponíveis a partir de dentro dos recessos mais sombrios da Internet – o lado mais perverso da humanidade.

1. Drogas

Drogas ilícitas de todos os tipos individuais ou em lote estão disponíveis no underground digital. A Rota da Seda, uma superloja de drogas, atualmente fechada, fez 200 milhões de dólares em 28 meses.

2. Falsificação de dinheiro

Dinheiro falsificado varia muito em qualidade e custo, mas euros, libras e ienes estão todos disponíveis. Com seiscentos dólares, você recebe 2.500 dólares em notas falsificadas, que prometem passar em testes típicos e de ultravioleta.


3. Documentos forjados


Passaportes, carteiras de motorista, documentos de identidade, diplomas universitários, documentos de imigração, e até mesmo cartões de identificação diplomáticos estão disponíveis em mercados ilícitos. Uma carteira de motorista dos EUA custa cerca de US$ 200, enquanto os passaportes dos EUA ou Reino Unido são vendidos por alguns milhares de dólares.

4. Armas de fogo, munições e explosivos 

Armas como pistolas e explosivos C4 são muito procurados na Deep Web. Vendedores enviam seus produtos em embalagens especialmente protegidas para evitar raios-x.


5. Assassinos de aluguel


Outra prática assustadoramente absurda são os assassinos de aluguel, que aceitam bitcoins como forma de pagamento.

6. Órgãos humanos


Nos cantos mais escuros da Deep Web está um mercado negro vibrante e horrível. Rins podem ser vendidos por US$ 200.000, corações por US$ 120.000, fígados por US$ 150.000, e um par de olhos por US$ 1.500.

7. Sequestros


8. Mutilações e esquartejamentos de pessoas e animais


9. Sequestros de mulheres e de crianças para fins de escravização para prostituição



10. Criação de bonecas humanas, onde mulheres e crianças tem seus membro mutilados como braços e pernas.


Veja alguns vídeos sobre o assunto: 






BONECAS SEXUAIS HUMANAS.

Essa idéia é, no mínimo, perturbadora ao extremo! Se o tráfico humano para realizar trabalho escravo ou sexual já é repugnante, o que dizer da idéia de transformar seres humanos em bonecas sexuais? Pois é, isso é mais uma das coisas grotescas que você pode encontrar na DeepWeb se for navegar por lá com más intenções.

Nenhum órgão governamental conseguiu localizar a origem dos Dolls Makers. As informações são escassas e toda transações monetárias são via Bitcoins, tudo muito sigiloso, não deixando qualquer rastro. Sabe-se porém que não são um ou dois grupos e sim, dezenas deles oferecendo o serviço na DeepWeb.

As bonecas sexuais humanas são geralmente crianças entre 8 à 10 anos, compradas de famílias miseráveis ( tal como você verá no primeiro item dessa lista) em países aonde a pobreza extrema atinge a maioria da população. Por centenas de dólares essas crianças são adquiridas pelos “Dolls Makers”. Em seguida, acreditá-se que são levadas à centros cirúrgicos clandestinos e transformadas em bonecas vivas que não apresentem resistência às perversões sexuais dos seus donos. 

Seus membros, braços e pernas, são amputados e substituídos por próteses de silicone. As cordas vocais são retiradas e os dentes arrancados e trocados por imitações de borracha. Todo procedimento dura de duas à três semanas e só é iniciado após a “boneca” ter sido encomendada. O preço varia entre 40 mil dólares à 700 mil dólares, dependendo das exigências feitas. A boneca ainda viria com uma espécie de manual de instruções, dizendo como alimentá-la e realizar as demais necessidades básicas humanas para a sobrevivência, já que dependeria do dono para tudo a partir daí. A estimativa de vida seria reduzida há um ano após o inicio dos procedimentos cirúrgicos.

11. Canibalismo 


EXISTEM CENAS MUITO MAIS HORRÍVEIS QUE ESSA, MAS JÁ TEMOS COMO TER UMA IDEIA DESSE ASSUNTO, E PREFERIMOS NÃO MOSTRA-LAS.

12. Caso de contatos de seres extraterrestres e seres dimensionais









13. Aparições de fantasmas ou seres de outras dimensões


14. Bruxarias, Feitiçarias e Satanismos


 15. Bizarrices 


16. Assassinatos


A Deep Web tem muitas mais outras coisas, que muitas pessoas desconhecem, tudo que você nem imagina. É de fato uma área muito perigosa para se explorar. Há maldades inimagináveis que acontecem sem o seu conhecimento.

Coisas que fazem os crimes on-line funcionarem:
1. Moeda criptografada
O dinheiro digital, como o bitcoin e o dogecoin, e o sistema de pagamento Liberty Reserve, fornecem um sistema conveniente para os usuários gastarem dinheiro on-line, mantendo suas identidades do mundo real escondidas.
2. Serviços de hospedagem à prova de balas
Alguns serviços de hospedagem em lugares como a Rússia ou Ucrânia acolhem todo o conteúdo, e não fazem nenhuma tentativa para descobrir as verdadeiras identidades de seus clientes, aceitam pagamentos anônimos em bitcoins, e rotineiramente ignoram os pedidos de intimação de aplicação da lei.
3. Cloud Computing
Ao hospedar seu malware criminoso com empresas de renome, os hackers estão muito menos propensos a ter o seu tráfego bloqueado por sistemas de segurança. Um estudo recente sugere que 16% dos canais de distribuição de malware e ataques cibernéticos do mundo se originam no cloud da Amazon.
4. Crimeware
Criminosos menos qualificados podem comprar todas as ferramentas de que precisam para identificar vulnerabilidades do sistema, cometer roubo de identidade, comprometer servidores, e roubar dados.
5. Hackers para aluguel
Sindicatos de cibercrime organizaram sistemas de terceirização de hackers. O Grupo Lynx, da China, possui até 100 ciberladrões profissionais, alguns dos quais são conhecidos por terem penetrado nos sistemas do Google e Adobe.
Há várias formas de entrar na Deep Web. Entre as mais simples estão software anônimos que podem ser baixados pela Internet normal. Alguns sites comuns explicam detalhadamente como entrar no mundo da Deep Web.




Total de visualizações de página

Página FaceBook