BARRA ANIMADA


Translate

SEJA BEM VINDO


BARRA 2


Mensagem


A Frequência Fotônica Pleiadiana e a Nova Era do Fóton


quinta-feira, 24 de setembro de 2015

O que Sabemos não é tudo que Existe - Parte 194 OS SEGREDOS DA DEUSA VERDE



"Tua lembrança emerge da noite em que estou. O rio junta ao mar seu lamento obstinado. Abandonado como porto na alvorada. Sobre o meu coração chovem frias corolas. 


Oh sentinela de escombros, feroz cova de náufragos! Em ti se acumularam as guerras e os vôos. De ti alçaram asas os pássaros do canto. Ah, tudo devoraste como a fria distância. Como o mar, como o tempo. Tudo em ti foi naufrágio" (Pablo Neruda - Poemas de Amor)




Segredos da Serpente, Segredos profundíssimos guardados no seio de uma Deusa muito verde, uma dama muito esquiva! Nessa região da Amazônia Peruana, próxima da fronteira com o Brasil e onde serpenteia o imenso curso do Rio Madre de Diós, foram descobertas as misteriosas ruínas Pré-Incas, admitidas como sendo o famoso Eldorado, ou Paititi - porém, e até ocorrer essa sensacional descoberta, admitidas pelos meios ortodoxos como mera e simplesmente "lendas". (FOTO: © Google Earth)


Pois, assim como já vimos na página anterior, toda essa região já estava mesmo sinalizada através dos misteriosos petroglifos de Pusharo, gravados nas rochas como também esculpidos em montanhas, indicando a direção correta para, mais além e em meio às densas selvas, ser finalmente encontrada a tão sonhada Paititi.


E também como já sabemos, para mais adiante de Paititi, as antigas fotos do satélite Landsat-6 já tinham detectado uma série de pirâmides alinhadas em meio às altas montanhas da Amâzonia!


.... Pirâmides tão antigas quanto a noite dos tempos, já totalmente encobertas pela vegetação hostil e situadas em um local inacessível, esperando apenas e tão-somente que sejam um dia desbravadas, revelando, assim e finalmente, os seus intrigantes mistérios, mistérios que por durante tanto tempo estiveram ciosamente preservados por uma sagrada deusa guardiã, uma sentinela muito verde!....


.... Mistérios que muito principalmente dizem respeito às lendárias "Três cidades perdidas dos deuses" - AKHAIM, AKHANIS, AKHAKOR - por sua vez situadas em plena Amazônia Brasileira. Uma, nas proximidades da fronteira com Peru - AKAKOR, ou ainda AKHKOR; outra por sua vez nas proximidades da fronteira coma Venezuela - AKAIM, ou ainda AKHAIM; e finalmente AKANIS, ou AKHANIS - esta em uma região mais central da Selva Amazônica, e em busca da qual desapareceu para sempre no distante ano de 1925 o Coronel Inglês Percy Harrison Fawcett, em busca da tal cidade que chamava de "Z" e a qual acreditava se tratar de um antigo bastião, remanescente do perdido CONTINENTE ATLANTE e, segundo ele, possivelmente AINDA HABITADO!....


Faz sentido? Quem sabe, quem sabe! Uma vez que por SOBRE uma certa área da inexplorada e gigantesca Floresta Amazônica Brasileira, existe uma grande e enigmática "zona de sombra" - tal como uma ZONA DE CAMUFLAGEM MUITO ESTRANHA E DESCONHECIDA - dentro da qual o rastreamento dos radares não funciona, ou então fornece informações erradas aos controladores de tráfego áereo, e ainda interrompe o funcionamento dos instrumentos de orientação e navegação das aeronaves.... Como também - e vejam só - mostra nos escopos dos radares a freqüente existência daquilo que oficialmente chamam de "blips (ou "aeronaves") fantasmas", ou seja, um sutil eufemismo para não dizer a palavra tabu e proibida: "OVNI" - máquinas desconhecidas estas que, por sinal, agem muito intensamente lá por aquelas bandas!


E a Serra do Roncador, situada no Brasil Central, local este onde teria sido um dos últimos sítios percorridos por Fawcett antes do seu misterioso desaparecimento, é mesmo um ponto de partida em direção aos confins das densas selvas da Amazônia, sendo também ainda mais notável pelo fato de....


.... Justamente as suas rochas ostentarem os formatos de misteriosos personagens de um passado distante, como também o local ostentar esse muito curioso nome pelo fato de as pedras "roncarem" quando certas naves voadoras muito luminosas e estranhas penetram ou saem dos interiores das suas altas montanhas!!! (FOTO: Paulo Anibal)


Nada demais nisso. Toda a América do Sul transpira mistérios! Marcos de uma avançada cultura Pré-Inca que, através de um caminho lógico desde o Atlântico, teria vindo de longe através das Selvas da Amazônia! Machu Picchu, uma outra "cidade perdida dos deuses", apogeu da Civilização Inca, ou, melhor dizendo, Pré-Inca.... Ruínas que estiveram escondidas em meio aos picos das altas montanhas e que todos duvidavam da sua existência - sendo também consideradas como uma simples "lenda", mas somente até o ano de 1911 quando o intrépido explorador Hiram Bingham, firmemente acreditando na sua existência, dedicou vários anos da sua vida na sua busca até conseguir encontrá-la, contando para isso com o trabalho de 500 homens para, depois de árduos esforços, libertá-la das densas selvas que a encobriam.....


.... A velha e misteriosa Machu Picchu na qual um atônito turista fotografou em setembro de 2005 algo muito estranho circulando em meio às suas portentosas ruínas.....


.... Isso mesmo! Um nítido UFO que fazia as suas evoluções no céu! Um retorno dos "deuses" distantes às suas antigas origens? Quem sabe? O fato é que os antigos Incas não conheciam ferramentas de ferro e tampouco detinham os meios necessários para elevar os gigantescos blocos rochosos com que Machu Picchu foi edificada a tão grande altitude. Muito evidentemente, contaram com algum tipo de "ajuda"!


Aliás, os Incas deviam mesmo ter visto, e terem até estado muito familiarizados com certas tecnologias e até máquinas voadoras cruzando os céus nos seus remotos tempos! Os museus sul americanos estão repletos de certos objetos elaborados em ouro, originários daquela antiga cultura e que claramente nos demonstram isso! Os céticos especialistas dizem que são apenas "meros objetos de culto". Algo podendo ser que, em parte, tenham alguma razão: - objetos de um culto reverente, SIM, diríamos, mas aos seus antigos "deuses" que podiam se locomover através dos céus!


Como devem, TAMBÉM, em se falando de tecnologias, esses antigos povos terem tido estreitos contatos com motores, ou coisas parecidas - conforme nos demonstra essa reprodução de uma antiga peça de arte Inca!


E como foram, ainda, os detentores de uma altíssima tecnologia de preservação de corpos, sem dúvida muito superior àquela empregada pelos hábeis mumificadores do Antigo Egito! Na foto acima, um perplexo cientista examina a múmia (?) de uma menina inca (atualmente exposta no Museu de Salta) que foi encontrada nos Andes, a uma grande altitude, cuidadosamente encerrada em um santuário secreto, em uma espécie de Cápsula do Tempo - como se fantasticamente estivesse apenas dormindo e viajando em direção ao futuro! Células de certa forma vivas, latentes, DNA perfeitamente preservado..... Aliás, quem sabe não seria mesmo isso, uma vez que as Tradições nos dizem que certas fórmulas secretas podiam mesmo fazer isso, tudo de modo a levar certas importantes mensagens para a posteridade, para uma humanidade do futuro! Resta, então, apenas dispormos da tecnologia perdida e necessária, saber como de certa forma "revivê-la"!


Tikal, Guatemala, América Central - não menos portentosas ruínas que refletem todo o apogeu da Civilização Maia! O desaparecimento dessa civilização é, até hoje, um dos maiores enigmas da História, já que essa cultura simplesmente "implodiu"! Ou seja, não há indícios de que ela tenha migrado, partido para outros locais, mas, sim, literalmente "fechou-se" em certas cidadelas bem delimitadas, como por exemplo em Tikal, e simplesmente "sumiu do mapa", sem deixar rastros - abandonado à implacável selva todos os seus imponentes templos, pirâmides e palácios! Era uma cultura tão antiga e vasta que se estendeu desde o Yucatán (México) , até Copán (Honduras) e Palenque - E tão antiga que até mesmo os conquistadores espanhóis, quando chegaram aos povos Astecas, estes desconheciam totalmente a sua existência! Misteriosamente, essa cultura não deixou cemitérios ou descendentes, tampouco sofreu epidemias, invasões externas ou sequer envolvera-se em guerras! Como, então, teria desaparecido?


E igualmente na Guatemala, existem estranhas estátuas confeccionadas em rochas basálticas altamente magnéticas, originárias de uma cultura desconhecida, que não a cultura Maia. Curiosamente, o intenso magnetismo dessas esculturas somente está presente na altura dos olhos e na região do peito dessas bizarras estátuas, as quais, e por sinal, retratam misteriosos e desconhecidos personagens.


Aqui, mais um outro exemplar soterrado dos misteriosos gigantes magnéticos da Guatemala! O quê exatamente demarcam, o quê exatamente significariam?


Já as esferas rochosas da Costa Rica igualmente representam um enorme mistério advindo de um passado terrestre muito remoto e esquecido. Encontradas em profusão - cerca de 300 delas - em meio às densas selvas, tiveram uma finalidade desconhecida. Não se sabe quem exatamente as produziu e mediante quais técnicas - técnicas as quais, por sinal, atingem uma precisão de elaboração estimada em mais de 96 por cento! Como foram trabalhados blocos rochosos pesando várias toneladas (o maior deles pesando 16 toneladas!) perfeitamente torneados em esferas exatas, dotadas de grandes diâmetros, não se sabe - e talvez jamais se saiba. Ainda mais pelo fato de não existirem ruínas de antigas cidades na área, parecem ter vindo do "nada"! Curiosamente, todas essas esferas foram dispostas em padrões geométricos e direcionadas ao Norte do planeta. Primeiramente, foram descobertas em 1930 por trabalhadores da United Fruit Company que desbravavam as densas selvas para palntação de bananeiras, sendo depois somente removidas através do emprego de pesadas máquinas! Hoje, elas enfeitam residências, hospitais, escolas, palácios, praças e órgãos governamentais, como testemunhas mudas, porém intensamente expressivas, do trabalho altamente tecnológico de uma perdida civilização do passado!


E talvez uma das respostas a todos esses mistérios possa ser encontrada em meio às descobertas de curiosas ossadas, assim como essa recentemente descoberta também na Guatemala. Através do seu inusitado formato, podemos claramente discernir a figura de um ser humanóide, totalmente divergente dos padrões humanos conhecidos! Note-se, principalmente, o formato do seu alongado crânio.....


....Bizarro, simplesmente bizarro!


Mas, tal e qual essa outra ossada, também descoberta em meio às ruínas sul americanas, igualmente nos mostrando a muito nítida imagem de uma criatura alienígena! O que, sem dúvida alguma (e de modo definitivo), vem provar que essas antigas culturas tiveram mesmo estreitos contatos com seres e as mais avançadas tecnologias advindos de outros mundos!...


.... E nada melhor para se tirar a prova do que rotacionarmos e ampliarmos seu detalhe. Repare só: - o rosto, apenas quatro dedos e ainda uma omoplata bastante diferente das nossas. Isso decididamente não é humano!


Alguma dúvida quanto a isso? Comprove, então, no correspondente negativo.


Estranhos seres e avançadas tecnologias presentes no nosso mais distante passado? SIM, não há mesmo como negar! E como também nesse particular, os famosos Crânios de Cristal representam um outro exemplo bastante típico de coisas que da mesma forma não são humanas! Artefatos perfeitíssimos e dotados de uma alta e além de tudo estonteante tecnologia, possuem no seu interior espantosas imagens tridimensionais colocadas dentro de outras imagens; emitem uma estranha energia - pode-se dizer que de certa forma estão "vivas" e vibrando em freqüências absolutamente desconhecidas, decididamente não humanas! Segundo as Tradições são TREZE delas, cada uma representando uma HUMANIDADE CÓSMICA, estando todas atualmente NA TERRA e sendo portadoras de uma mensagem para a NOSSA humanidade - a qual seria exatamente a Décima-Terceira! Nove desses crânios já foram devidamente descobertos em meio às ruínas Maias, faltando, portanto, TRÊS deles para que finalmente sejam reunidos e entrem em operação. Lembremos que são exatamente TRÊS as misteriosas cidades pedidas na vastidão das Selvas Amazônicas Brasileiras, nas quais - dizem os índios - os antigos "deuses" deixaram objetos que "já começavam a cantar".


Tudo muito sutil Também os Astecas estiveram envolvidos com desconhecidas tecnologias. Nesse Códice, vemos aquilo que lembra um guerreiro enfrentando uma estranha máquina - uma máquina que teoricamente jamais teria existido no seu tempo!


Já na distante Ilha de Páscoa, Território pertencente ao Chile e situado em meio a vastidão do Oceano Pacífico, encontramos os trezentos Moais, estranhas e colossais estátuas retratando desconhecidas criaturas - "deuses" talvez muito apropriadamente chamadas pelos nativos de "Os Homens Pássaros" - numa clara alusão a criaturas advindas do céu e que por isso mesmo (e muito logicamente) podiam voar no nosso mais distante e perdido passado!


Por sua vez em Albuquerque, Novo México, América do Norte, EUA, hoje uma região desértica que há muitos milênios fora recoberta pelas matas, um curioso local já era mesmo temido e respeitado pelos índios e chamado de "O Precipício dos Estranhos Sinais". Ali, além de curiosas esculturas nas rochas, existem outros grandes mistérios:


Como, por exemplo, esse curioso sinal gravado nas rochas pelos ancestrais dos índios que reverenciavam este local, e ainda....


..... Um enorme bloco rochoso, pesando 80 toneladas e possivelmente tendo despencado de uma altura maior, repleto de curiosas inscrições, as quais representam uma espécie muito antiga de proto-escrita, tal como uma "língua-mater" da humanidade. Na falta de uma explicação melhor e mais razoável, os ditos especialistas logo as classificaram como sendo a "transcrição páleo-hebraica" dos..... "Dez Mandamentos"!!! Mas, caberia perguntar: - o quê exatamente fariam os "Dez Mandamentos Bíblicos" transcritos em uma alta montanha, e ainda mais longe do seu local de origem e numa região situada do outro lado do mundo, no atual Território Norte-americano? Tudo muito estranho, porém bastante lógico. Qual seria, então, a "chave" de todos esses mistérios que se espalham pelos mais variados quadrantes deste nosso pequeno planeta?


"Deuses" - os antigos, remotos e esquecidos "deuses" que, advindos de longe, quer tenham sido eles os habitantes das mais avançadas civilizações perdidas ou visitantes do espaço sideral, viveram ou estiveram um dia no nosso planeta! Talvez seja precisamente ESTA a maior, a mais relevante resposta para todas as dúvidas que hoje afligem os espíritos mais lúcidos e racionais da nossa humanidade! Muito embora certos setores se recusem a admitir, essa se torna uma evidência cada vez mais lógica, óbvia - por sua vez gritante, intensamente expressiva e cristalina. Os tempos são outros, já não mais podemos duvidar de nada. Houve uma época em que se acreditava a Terra como plana e, ainda, como sendo o centro absoluto e supremo de todo o Universo - o Ser Humano como a "obra-prima" e única de toda a Criação! Mais tarde, duvidava-se que o homem poderia voar e até mesmo chegar à Lua. Hoje, portanto, já constatamos que as frágeis crenças e os velhos dogmas do passado simplesmente desmoronaram - ruiram célere e fragorosamente diante das novas descobertas, frente ao alvorecer de uma nova Ciência e do avanço da tecnologia, como também do despertar de um renovado conhecimento humano - notadamente através do alcance e da consecução de uma nova mentalidade que, hoje, nesses tempos maravilhosos das grandes revelações, já desperta desde uma nova razão e desde uma nova compreensão, a qual se faz cada vez mais racional, muito mais ampla e sobretudo lógica! (FOTO: National Geographic)


Pois, no mais remoto e distante passado, houve um tempo em que nem sempre as selvas foram mesmo selvas, e nem sempre os mares foram mesmo mares. A Geografia da Terra sempre foi mutável. E quem sabe uma Deusa muito Verde resolveu um dia esconder dos homens ainda não devidamente prontos os seus inúmeros segredos? Chegaram, enfim, os tempos da Verdade - o tempo de se revelar os Tempos! Já que toda verdade, enfim, sempre emergirá do seu próprio Tempo - e no seu devido tempo! A Natureza, então, já começa a expor os seus segredos. A Deusa Verde já desnuda, enfim, os seus imaculados seios, revelando mistérios que ciosamente guardou consigo; por tanto tempo adormecidos, por tanto tempo esquecidos. Já não há mais como contê-la, é mesmo uma força irresistível! Pois, a escala de medida da Natureza não é absolutamente a mesma escala de medição dos homens, uma vez que o seu Tempo, o qual dramaticamente envolve a noção do passado, do presente e do futuro, se faz, de forma maravilhosa, o vislumbrar maior de toda a Verdade, porquanto Ela, e somente ELA, detém aquele que é o próprio e o Verdadeiro Tempo - O Tempo Maior e mais Sublime do Verdadeiro Deus!







Total de visualizações de página

Página FaceBook