BARRA ANIMADA


Translate

SEJA BEM VINDO


BARRA 2


Mensagem


A Frequência Fotônica Pleiadiana e a Nova Era do Fóton


terça-feira, 20 de setembro de 2016

Como Ajudar o Corpo a Produzir a Melatonina naturalmente




Se você sofre de insônia ocasional ou se você trava uma batalha noturna com ela, você já deve ter provavelmente procurado por alguma solução natural disponível hoje em dia. 

Pode até ter experimentado algum suplemento de melatonina, e como muitas outras pessoas, deve ter obtido resultados decepcionantes.






Embora as pesquisas tenham mostrado que a melatonina produzida naturalmente pelo corpo ajuda a regular o sono, a melatonina sintética se mostrou ser bem menos eficaz. Uma das coisas que tem sido praticamente ignorada, são os alimentos capazes de aumentar a produção natural da melatonina no corpo humano.
A melatonina é um hormônio produzido pela glândula pineal. Ela não se limita apenas em controlar seu ciclo circadiano (dormir e acordar), mas é também responsável por regular outros hormônios. Ela desempenha um papel importante em regular os hormônios reprodutivos femininos, incluindo a menstruação e a menopausa.
Enquanto os jovens têm um nível mais alto de melatonina, a produção desse hormônio diminui conforme vamos envelhecendo. Alguns cientistas acreditam que esse é o motivo pelo qual alguns adultos mais velhos lutam para poder ter uma quantidade de horas recomendada de sono ou até mesmo vão para a cama mais cedo e acordam antes do nascer do sol.

Estimulando a produção de melatonina naturalmente

Muitos fatores podem diminuir a produção natural de melatonina. Isso pode incluir mudanças de horários, dissincronose, fuso horário, mudança de turno e até mesmo má visão. E, como dito antes, à medida que vamos envelhecendo.
Suplementos de melatonina são feitos em laboratórios com ingredientes sintéticos ou com urina de vaca. Embora os suplementos tenham pequenas vantagens, principalmente para pessoas que sofrem de insônia ocasional, eles nem sempre oferecem resultados duradouros ou significativos para aqueles que brigam com o sono todas as noites.
Existem vários alimentos que podem aumentar a produção de melatonina, eliminando a necessidade de um suplemento. De acordo com a GreenMedInfo, os pesquisadores da Universidade de Khon Kaen da Tailândiadescobriram que algumas frutas tropicais têm efeitos significativos na produção de melatonina. Os cientistas testaram uma grande variedade de frutos e então mediram a quantidade de melatonina presente em todo o corpo pelo exame de 6-sulfatoximelatonina (aMT6s).
Os pesquisadores descobriram que o abacaxi, banana e laranja foram capazes de aumentar a presença de melatonina de modo significativo.  Abacaxis aumentaram a presença de aMT6s em mais de 266% enquanto as bananas aumentaram os níveis em mais de 180%. Laranjas aumentaram os níveis de melatonina por cerca de 47%.
Enquanto os suplementos são muitas vezes considerados como uma alternativa natural aos medicamentos prescritos, eles são feitos para imitar aquilo que encontramos naturalmente nos alimentos. Em outras palavras, eles também são um substituto pobre no lugar de uma boa alimentação e, alguns fabricantes de suplementos (embora não todos), estão no mercado para fazer dinheiro, não com intenções nobres de melhorar a saúde coletiva.

Visão geral de alguns alimentos que aumentam a produção de melatonina:

  • Abacaxis
  • Bananas
  • Laranjas
  • Cerejas
  • Aveia
  • Milho doce
  • Arroz
  • Tomates
  • Azeite
  • Nozes
  • Uvas
  • Cevada
  • Cebola

7 Alimentos que te ajudarão a combater a insónia


Dormir, além de ser uma actividade extremamente "prazerosa", é essencial para o bom funcionamento do organismo, afinal, o corpo inteiro precisa descansar alguma hora. Entretanto, algumas pessoas realmente possuem verdadeiros problemas em conseguir exercê-la de forma satisfatória. Então, não durmas agora e confere a lista. 

1. Ovos






Ovos fazem bem a saúde, então esqueçe essa polémica de que os ovos só engordam e fazem mal ao fígado – é só comer moderadamente. Nos ovos encontramos um aminoácido chamado triptofano, que só existe em alguns alimentos. Faz uma salada de vegetais cozidos, juntamente com ovo cozido e come algumas horas antes de dormir. Importante: nunca comas logo antes de dormir. Tenta ficar as duas horas antes de te deitares sem ingerir alimentos sólidos. 

2. Uvas




As uvas são ricas em melatonina, hormona que ajuda na regulação do ciclo do sono. Por isso, durante o dia ou após o jantar, seria interessante que se ingerisses um punhado médio de uvas para ajudar a suprir o organismo com essa substância. 

3. Chá de ervas





Bebe sempre chá de ervas. O chá de camomila, por exemplo, é muito utilizado por herbalistas para o tratamento da insónia e do nervosismo. Mas atenção: o chá preto e o verde contêm cafeína, devendo ser evitados; da mesma forma, deve ser evitado o chá mate, por ser um conhecido estimulante. Tenta beber uma xícara de chá de camomila ou menta logo antes de dormir. 

4. Cerejas





Cerejas são conhecidas por invocarem a sonolência. Da mesma forma que a uva, as cerejas possuem melatonina, ajudando a regular o ciclo do sono. Coma porções de cereja fresca durante o dia ou beba seu suco. 

5. Nozes





As nozes são responsáveis pelo aumento de serotonina, a chamado “hormona da felicidade”, pois ela provoca um bem estar temporário nos nossos corpos. As nozes também possuem triptofano e magnésio. Então come nozes e sementes durante o dia ou um punhado pequeno à noite. Ah, e quando falamos em nozes, estamos a falar no sentido amplo, ou seja, de castanhas, pistácios, amêndoas, pinhão, amendoim, entre outras. 

6. Banana






As bananas são ricas em potássio, mineral importante para determinar a profundidade do seu sono; além disso, possuem triptofano e magnésio, que também proporcionam um efeito sedativo. Por isso, come mais bananas. 

7. Mel





Duas colheres de mel com leite quente ou chá de ervas uma hora antes de dormir, além de delicioso, ajuda a relaxar e a preparar o corpo para o sono. O mel possui a capacidade de diminuir o estado de alerta do organismo e a acalmar.



Considerações Para Melhor Aproveitar a Melatonina nos Alimentos

Alterar o alimento pode afetar a produção, disponibilidade ou absorção de melatonina no organismo. Por exemplo, o cozimento em altas temperaturas ou a fermentação pode afetar a quantidade de melatonina que pode ser obtida a partir dos alimentos. Idealmente, o alimento deve ser consumido fresco e não transformado para se obter o valor máximo de nutrientes.
Para além do consumo dos alimentos adequados, não se esqueça que outros fatores podem estar a prejudicar o seu sono. Trabalhar por turnos, dormir com luz, fazer uma refeição até 3 horas antes de dormir ou tomar exitantes como o café por exemplo podem dificultar na hora de dormir.

http://naturalsociety.com/8-foods-naturally-increase-melatonin-sleep/

http://remediosnaturais.info/hormonio/como-aumentar-a-producao-de-melatonina-com-alimentos-para-dormir-melhor/


http://www.vamoslaportugal.com/noticias/8-alimentos-que-te-ajudarao-a-combater-a-insonia

Estudos Recentes Provam que a "Melatonina" faz Muito Mais do que Ajudar a Dormir




A melatonina é uma substância natural semelhante a um hormônio e é produzida na glândula pineal, localizada em nosso cérebro. Sua produção se dá através de ciclos, de acordo com um ritmo de luz e escuridão que conhecemos pelo nome de ritmo circadiano. Nossa produção se dá de noite e tem seu pico entre as 2 e 3 horas da manhã sendo que logo ao amanhecer essa quantidade é mínima...

A melatonina é sem dúvida a molécula chave que controla o relógio biológico dos animais e humanos.

Recentemente, essa substancia ficou mais cobiçada pois o cientista Vladimir Dilman (São Peterburgo) e sua equipe acrescentaram gotas de melatonina na água de ratos e observou-se que esses animais viveram 25% a mais do que o esperado!!!.

No mesmo sentido, Walter Pierpaoli, outro pesquisador na Itália, ao implantar uma glândula pineal novinha em folha em cobaias velhas obteve cerca de 30% a mais de longevidade nesses animais.

Uma pesquisa da Universidade da Barcelona mostrou que em cobaias uma dose diária de melatonina + atividades físicas retardou a instalação do mal de Alzheimer, ao contrário de alguns calmantes benzodiazepínicos que podem acelerar a doença.





Aqui no Brasil, Mario Peres, da Universidade Federal de São Paulo, demonstrou a eficácia da melatonina contra enxaquecas.

Mas por que a melatonina estaria relacionada à longevidade?
Na verdade, a melatonina é muito eficiente no combate aos radicais livres, segundo o pesquisador Russel Reitel – autor do livro Your Body’s Nature Wonder Drug.

Se não bastasse isso, outras pesquisas já observaram um certo “poder” que ela tem em desacelerar tumor maligno e estimular a multiplicação de células de defesa!

Quando envelhecemos, assim como outras substâncias, a melatonina despenca, o que pode explicar a tão conhecida insônia na terceira idade.

A melatonina em forma de suplemento é um produto de síntese exatamente idêntico ao hormônio produzido naturalmente pela glândula pineal.

Conheça os múltiplos benefícios:


  1. Melhora a qualidade do sono;
  2. Melhora o sistema imunológico;
  3. Redução do envelhecimento das células;
  4. Redução da hipertensão arterial;
  5. Previne a depressão;
  6. Protege contra o câncer e contra os efeitos tóxicos da quimioterapia;
  7. Restaura o funcionamento da tireoide e aumenta a população de linfócitos;
  8. Alivia os sintomas das tensões pré-menstrual (a famosa TPM);
  9. Influência no emagrecimento;
  10. Poderoso antioxidante natural;
  11. Não cria dependência (não é remédio, é um suplemento hormonal bioidêntico).

         Como usar

Como usar



A dose recomendada costuma geralmente variar entre 2 e 10 mg. O melhor meio para conhecer a sua necessidade exata é o exame de saliva. Você deve consultar um profissional especializado, somente ele poderá examiná-lo e prescrever a dose correta. A melatonina deve sempre ser ingerida a noite, 1 hora antes de deitar ou de acordo com a prescrição médica.

Cuidados

Existem pessoas que não estão autorizadas a ingerir a suplementação do hormônio, já que ainda não há pesquisas específicas sobre esses casos, são elas:


  • Pessoas que sofrem com as elevadas taxas de colesterol e que consomem estatina;


  • Quem faz uso de medicamentos para controlar a pressão arterial;


  • Portadores de doença cardiovascular ou que estejam em tratamento;


  • Crianças com menos de 12 anos de idade;


  • Gestante ou que estejam tentando engravidar.


Mas então, por que no Brasil é proibido a sua comercialização?

Por ainda precisarmos de mais estudos comprobatórios de sua eficácia? Sim, pode ser – porém, a venda de calmantes benzodiazepínicos é crescente e claro, de extremo interesse das industria.

De modo contrário, enquanto no Brasil há um aumento no uso de benzodiazepínicos, nos países europeus como Alemanha e Inglaterra o consumo caiu 30% na última década.

Por fim, pesquisas demostram que ao usar a melatonina em pacientes com crises de ansiedade que fazem o uso de antidepressivos, é possível reduzir a frequência dessas crises bem como a quantidade no uso do antidepressivo. Ao reduzir então o antidepressivo, aqueles efeitos colaterais como boca seca e sonolência diurna por exemplo diminuem também.

Na Europa e nos EUA o poder da melatonina já foi reconhecido. Em terras europeias o hormônio é vendido como remédio e, nos Estados Unidos, como suplemento alimentar.

Por que no Brasil ela ainda é proibida? Deixo essa com vc!

Fonte: Dra. Paula Leal Endocrinologia













Total de visualizações de página

Página FaceBook