BARRA ANIMADA


Translate

SEJA BEM VINDO


BARRA 2


Mensagem


A Frequência Fotônica Pleiadiana e a Nova Era do Fóton


sexta-feira, 3 de novembro de 2017

A Nobreza Negra: Híbridos






Ocultismo: Segredos dos 

antigos híbrido reptilianos 

monarcas que se escondem 

por traz do poder e da 

sociedade, pessoas cujo 

seus descendentes continuam dominando

o mundo e que estão seguindo sua 

agenda desumana perante a humanidade.












Ainda hoje essas pessoas exigem reverências, obrigam que as pessoas comuns se curvem ou fiquem de joelhos diante da suas "presenças autoritárias", como se elas fossem mais que humanas, elas gostam de se sentir superiores porque carregam consigo o sangue, a genética alienígena reptiliana.



Essas entidades negativas estão dentro de todos os âmbitos de poder, criaram seitas de magias negras e religiões onde sacrificam animais, crianças e pessoas adultas, para se fortalecerem energeticamente, se alimentando da energia vital ou do chi dos seres subjugado, através do medo e do sangue imperam sobre seus escravos crentes e ignorantes.



Elas se utilizam de rituais macabros onde sacrificam crianças, dentro desse rito bebem o sangue e devoram a carne, mas antes disso, faz suas vítimas sentirem medo, porque o medo libera substâncias do cérebro para corrente sanguínea, em todo esse processo também abrem portais onde invocam entidades dos quais descendem.

ESSE DOCUMENTÁRIO TRÁS A PERVERSIDADE, A MALDADE
DO SISTEMA MONÁRQUICO. DOS HÍBRIDOS REPTILIANOS E MALDITOS DAS NOBREZAS: ASSASSINOS COROADOS

Resultado de imagem para metade humano metade reptiliano

A nobreza sempre se intitulou como tendo sangue nobre para reinar, diziam que possuíam sangue azul, esse título na época não era bem compreendido, hoje sabemos que isso se refere ao código genético ou DNA.


Essas pessoas se proclamavam no direito do governar porque tinha sangue nobre, entendemos atualmente que isso se referem a misturas de genes ou hibridização de espécies, sendo assim, essas pessoas que governam não são completamente humanas, são uma raça híbrida criadas separadas do homem comum, tanto é verdade que elas não se misturam com outros, a não ser com aqueles que carregam o código genéticos equivalente.


Esses híbridos reptilianos que se encontram em status de poder ao redor do mundo, são desprovidos de quaisquer sentimentos positivos perante a humanidade, eles não sentem nenhum tipo de compaixão perante aos humanos, tanto que, em suas guerras nem crianças, idosos e mulheres grávidas escapavam de suas tiranias e massacres, isso não mudou muito hoje, atualmente a estratégia é outra, muito mais sofisticada,  através de vários meios tecnológicos  e químico, mas na antiguidade tudo era mais aparente e óbvio, porque existia muito menos gente no planeta.

Tudo que essas entidade almejam hoje é reduzir o número populacional do planeta, para assim tem mais controle sobre ele, a tirania era muito mais sangrenta na antiguidade, seus mestres reptilianos andavam mais abertamente e a escravidão era muito maior, a idade média era o paraíso para essas entidades obsessoras, era de fato,  a idade das trevas.



Esses “aristocratas” (a nobreza NEGRA)decidiram, quando a Rainha Vitória faleceu, que, de modo a adquirirem controle de mundo, seria necessário que os seus aristocratas “fizessem negócios” com os que não são aristocratas, mas que são líderes extremamente poderosos de empresas a nível global. E desta forma as portas para o poder total se abririam para “os comuns”, como a rainha da Inglaterra gosta de chamá-los.  Pelo Dr. John Coleman


Trechos do livro “Conspirators’ Hierarchy: The Story of the Committee of 300“, pelo Dr. John Coleman (America West Publishers, Carson City, Nevada: 1992 – 4ª edição). Leia também “Diplomacy by Deception” e “One World Order: Socialist Dictatorship”, do mesmo autor. Estes livros estão à venda no siteAmazon.com
Prefácio pelo Dr. John Coleman:
Na minha carreira como funcionário do Serviço Secreto da Inglaterra (MI-6), em muitas ocasiões tive acesso a documentos altamente confidenciais, mas foi trabalhando como um cientista político em Angola, no Oeste da África, que tive acesso a uma série de documentos confidenciais ultra-secretos extraordinariamente explícitos. O que eu vi me deixou irado e ressentido e me lançou numa direção irreversível, com o objetivo primordial de desmascarar o poder que controla e manipula os governos inglês e americano. – Doutor John Coleman, em novembro de 1991.
Uma visão panorâmica e histórica
Certamente que alguns indivíduos estão cientes de que as pessoas que governam o nosso país (EUA) não são as que verdadeiramente controlam os assuntos políticos e econômicos, domésticos e exteriores. Isto levou muitos a buscarem a verdade na imprensa alternativa, os autores de boletins informativos que, como eu, procuraram descobrir, mas nem sempre com êxito, por que os Estados Unidos estão com esta doença terminal.
O que nós descobrimos foi que as pessoas vivem em densas trevas, e a maioria delas não se preocupa nem se interessa em descobrir para onde o seu país (a civilização e o planeta) está indo, acreditando firmemente que ele sempre estará ali para ajudá-las.
É assim que a maioria da população foi manipulada a (NÃO) reagir, e com essa atitude as pessoas se tornam marionetes nas mãos do governo secreto.Freqüentemente ouvimos falar que “eles” estão fazendo isto, aquilo e aquilo outro. “Eles” fazem qualquer coisa e passam impunes. “Eles” aumentam os impostos, mandam nossos filhos para morrerem em guerras que não beneficiam nosso país. “Eles” parecem inatingíveis, invisíveis para nós, e é frustrantemente nebuloso quando se trata de tomar uma ação contra “eles”. Parece que ninguém consegue identificar claramente quem são “eles”. É uma situação que já dura há séculos. No decorrer deste livro, vamos identificar esses “eles” tão misteriosos, e, depois disso, fica por conta das pessoas resolverem a sua situação.
O Comitê dos 300 é uma sociedade altamente secreta, composta da classe governante intocável, que inclui a rainha da Inglaterra (Elisabeth), a rainha da Holanda (Beatrix) e asfamílias reais da Europa. Esses “aristocratas” (a nobreza negra reptiliana da Europa) decidiram, quando a Rainha Vitória faleceu, que, de modo a adquirirem controle de mundo, seria necessário que os seus aristocratas “fizessem negócios” com os que não são aristocratas, mas que são líderes extremamente poderosos de empresas a nível global. E desta forma as portas para o poder total se abririam para “os comuns”, como a rainha da Inglaterra gosta de chamá-los.
Desde a época que trabalhei no serviço secreto dos EUA eu sei que chefes de Estado em outros países se referem a este órgão onipotente como “Os MAGOS”. Stalin criou a sua própria frase para descrevê-los:“As Forças Tenebrosas”, e o presidente Eisenhower, que jamais conseguiu passar do nível “hofjuden” (Judeu da Corte), se referiu a isso numa declaração que de maneira alguma define exatamente o que são. Ele disse que se tratava do “complexo industrial militar“.
Quem são os conspiradores que servem ao poderoso e onipotente, Comitê dos 300Os nossos cidadãos mais bem informados estão cientes de que existe uma conspiração e que a conspiração trabalha sob diversos nomes como por exemplo ILLUMINATIs, Maçons, Mesa Redonda (Round Table), Grupo Milner, etc. O problema é que é bem difícil obter informação verdadeiramente concreta sobre as atividades dos membros do governo invisível/oculto.
Para se ter uma ideia da amplitude e do nível universal que esta conspiração alcança, seria adequado a esta altura definir as metas decididas pelo Comitê dos 300 para a conquista e controle iminente do nosso planeta. É preciso ter uma compreensão bem clara de por que a energia nuclear é tão odiada no mundo todo, e por que é que o movimento pseudo-ecológico, fundado e financiado pelo Clube de Roma, foi convocado para travar guerra contra a energia nuclear.
Com a energia nuclear que gera a eletricidade de uma forma barata e abundante, os países do Terceiro Mundo aos poucos ficariam independentes do auxílio exterior dos Estados Unidos e começariam a firmar a sua soberania. A geração de eletricidade através da energia nuclear é uma das chaves para tirar os países do Terceiro Mundo da sua condição retrógada, uma condição que o Comitê dos 300 ordenou que permanecesse.
Menos auxilio estrangeiro significa menos controle dos recursos naturais de um país por parte do FMI, e a ideia das nações em desenvolvimento assumirem o controle do seu destino foi anátema para o Clube de Roma e o Comitê dos 300, que o dirige. Nós já virmos oposição ao uso da energia nuclear nos Estados Unidos ser usada com êxito para bloquear desenvolvimento industrial em conformidade com os planos de “Desenvolvimento Zero Pós-industrial” do Clube de Roma. Depender da “ajuda” dos Estados Unidos na verdade mantém os países estrangeiros “ajudados” subjugados ao Conselho das Relações Exteriores (CFR – Council on Foreign Relations). o povo que deveria receber auxílio nesses países, recebe uma mínima parte do dinheiro, visto que normalmente ele acaba indo parar no bolso dos líderes corruptos do seu próprio governo que permitem que a matéria-prima do país seja consumida desenfreadamente pelo FMI e pelas grandes potencias do hemisfério norte.
Mugabe do Zimbabwe, a ex-Rodésia (pais cujo nome é uma homenagem a um dos grandes lacaios da Nova Ordem Mundial-Illuminati, Cecil Rhodes, daí o nome RODÉSIA), é um bom exemplo de como a matéria-prima, neste caso minério de cromo de alto nível é controlada através do auxílio estrangeiro.
Um dos livros de John Coleman
A LONRHO (mudou para LONMIN plc), o conglomerado gigantesco dirigido por Angus Ogilvie, um importante membro do Comitê dos 300, que trabalha para a sua prima Rainha Elisabeth II, tem agora controle total deste recurso tão valioso, enquanto que o povo do país afunda cada vez mais na pobreza e miséria, apesar de uma esmola de mais de 300 milhões de dólares por parte dos Estados Unidos.A LONRHO agora monopoliza o valioso cromo da Rodésia e cobra o preço que quer pelo mesmo, sendo que durante o governo de Smith isso não era permitido. O preço permaneceu a um nível razoável por 25 anos antes do regime de Mugabe subir ao poder. Apesar de ter havido problemas durante o governo de 14 anos de Ian Smith, desde que ele partiu o desemprego no país quadruplicou e a realidade é que o Zimbabwe se encontra num estado de caos e bancarrota.
Mugabe recebeu suficiente auxílio estrangeiro dos Estados Unidos (uns 300 milhões de dólares por ano) para dar-lhe condições de construir três hotéis na Cote d’Azur, Cap Ferat e Monte Carlo, enquanto que o povo de seu país sofre de doenças, desemprego, subnutrição e vive subjugado a um regime de ferro que não permite queixas. Compare isto com o governo de Smith, que jamais pediu nem recebeu um centavo sequer em forma de auxílio dos Estados Unidos. Vê-se então claramente que o auxílio do exterior é um meio poderoso de exercitar controle sobre os recursos naturais de países como o Zimbabwe, e na verdade em todos os países da África.
O Clube de Roma 
Como é que os conspiradores mantêm as suas garras sobre o mundo, e, mais especificamente, as mãos no pescoço dos Estados Unidos e da Grã-Bretanha? Uma das perguntas que mais se faz é: “Como é que uma entidade pode saber o tempo todo o que está acontecendo, e como é que exercita esse controle?” Neste livro tentarei responder a estas e outras perguntas. A única maneira de conseguirmos compreender a realidade do êxito adquirido pelos conspiradores é mencionando e falando de algumas sociedades secretas, organizações de fachada, órgãos governamentais, grandes bancos, companhias de seguros, grandes empresas multinacionais, a indústria petrolífera, a indústria farmacêutica e as centenas de milhares de entidades e fundações cujos altos administradores compõem o Comitê dos 300 – o órgão que na verdade controla o mundo e o tem feito há pelo menos 100 anos.
Visto que já existem dezenas de livros escritos sobre o Conselho das Relações Exteriores (CFR, segundo a sigla em Inglês) e os Trilaterais, vamos passar diretamente ao Clube de Roma e à Fundação Marshall da Alemanha. Foi uma revelação para algumas pessoas que o Clube de Roma e os seus patrocinadores usando o nome da Fundação Germânica Marshall, eram dois corpos altamente organizados da conspiração operando sob a fachada da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), e que a maioria dos executivos do Clube de Roma era proveniente da OTAN. O Clube de Roma formulou tudo o que a OTAN estipulou como diretrizes e, através das atividades do membro do Comitê dos 300, Lord Carrington, conseguiu dividir a OTAN em duas facções: um poder político (ala da esquerda) e a sua antiga aliança militar.
Hoje estamos entrando em uma nova era, a era da Luz, essas entidades estão perdendo força e poder a cada dia, porém muitas delas ainda insistem em resistir, mas a era de trevas está ficando para trás, uma nova era de luz se aproxima, novas energias estão entrando no sistema solar, oriundas do Sol Central Galático, uma nova vibração e frequência, onde esses seres não são compatíveis.

Assista os vídeos abaixo para melhor entender todo esse fato com o qual a humanidade tanto submeteu ao longo de sua história... 



















































Total de visualizações de página

Página FaceBook