BARRA ANIMADA


Translate

SEJA BEM VINDO


BARRA 2


Mensagem


A Frequência Fotônica Pleiadiana e a Nova Era do Fóton


segunda-feira, 8 de junho de 2015

Europa pede de volta ouro depositado nos EUA …


CONFIANÇA NOS EUA DIMINUI NA EUROPA: 

 “Os governos em toda a Europa estão nervosos sobre a situação econômica, a situação financeira e a situação monetária global.

Eles estão preocupados com os elevados níveis de dívida (especialmente com a dívida dos EUA) em todo o mundo e há preocupações de que poderia haver uma outra crise financeira, isso não é por causa da zona do euro, mas há grandes problemas de dívida enorme no Japão, no Reino Unido, bem como nos EUA”, declarou  Mark O’Byrne executivo da corretora líder mundial de compra e venda de ouro, a Gold Core Mark.


O diretor Mark O’Byrne, o executivo e de pesquisa da corretora líder mundial de compra e venda de ouro Gold Core Mark,  afirmou que, como é crescente o receio do enorme nível da dívida dos EUA, Japão e Reino Unido, os governos europeus estão repatriando seu ouro dos Estados Unidos.
Rússia, Moscou, 28 de novembro (Sputnik), por Daria Chernyshova
Na medida em que cresce o medo com os enormes níveis de dívida nos Estados Unidos, do Japão e do Reino Unido, os governos dos países europeus estão repatriando seu ouro físico dos Estados Unidos, o que poderia levar a preços mais elevados do ouro e um dólar mais fraco, o diretor-executivo e de pesquisa da corretora líder em negócios com ouro do mundo, a Gold Core Mark disse à Sputnik.
“Os governos em toda a Europa estão nervosos sobre a situação econômica, a situação financeira e a situação monetária global. Eles estão preocupados com os elevados níveis de dívida em todo o mundo e há preocupações de que poderia haver uma outra crise financeira, isso não é por causa da zona do euro, mas há grandes problemas de dívida enorme no Japão, no Reino Unido, bem como nos EUA, declarou”  Mark O’Byrne à Sputnik nesta sexta-feira.

A Holanda movimentou 122 toneladas de ouro no valor de US$ 5 bilhões que estavam depositadas em New York, além de demandas similares estão sendo feitos pela França, Suíça e mais cedo pela Alemanha.
“Alguns governos estão nervosos sobre isso e eles estão repatriando seu ouro de volta para seus países, porque há a preocupação de que, em caso de uma crise cambial ou uma crise monetária ou crise financeira, eles não seriam capazes de acessar suas reservas de ouro”, disse O’Byrne.
Em vários países europeus as pessoas estão apelando aos políticos para transferir para casa as reservas de ouro do país. Este domingo, próximo dia 30 de novembro, a Suíça vai realizar o referendo “Save Our Swiss Gold“, que se for aprovado forçaria o Banco Nacional da Suíça para converter um quinto dos seus ativos em ouro e repatriar todos as suas reservas existentes no exterior, a maior parte nos EUA.

Muitas das reservas de ouro da Europa são mantidas nos Estados Unidos devido a razões históricas. Após a Segunda Guerra Mundial, a Europa pensou que era mais seguro manter o seu ouro nos Estados Unidos, mas isso já foi há mais de 70 anos, e os tempos hoje são outros..
Pois hoje a América (EUA) é o país maior devedor do mundo, e de fato está à beira da falência. Por isso, os países europeus acreditam que é mais prudente manter seu ouro em casa, disse Mark O’Byrne à Sputnik.

Ao mesmo tempo o regresso ouro irá ter consequências para o preço do metal precioso, bem como para o valor do dólar. O corretor explicou que uma vez que o mercado de ouro é muito pequeno e os governos de todo o mundo estão imprimindo trilhões de dólares, há um ritmo inigualável de impressão de dinheiro, enquanto a quantidade de ouro físico, na verdade, continua a ser muito pequena e estável.
“Então, se todos os países e as pessoas começarem a tomar o seu ouro de volta dos EUA, sendo o mercado muito apertado, potencialmente isso pode levar a uma grande elevação, muito acentuada, dos preços do ouro e assim precipitar uma queda no valor do dólar. E com o tempo, isso potencialmente levará a que as pessoas (n.t. comuns, porque investidores, grandes empresas e a maioria dos países não acreditam mais no dólar) percam a fé no dólar como moeda de reserva global”, concluiu Mark O’Byrne. 

Total de visualizações de página

Página FaceBook