BARRA ANIMADA


Translate

SEJA BEM VINDO


BARRA 2


Mensagem


A Frequência Fotônica Pleiadiana e a Nova Era do Fóton


quarta-feira, 10 de junho de 2015

O que Sabemos não é tudo que Existe - Parte 124- AS PORTAS PARA UM MUNDO PARALELO




"O resplendor de uma revelação é como um grande dia: tem necessidade de uma aurora. A civilização ocidental há três mil anos espera esta luz que anuncia o nascimento de um novo sol! 


A passagem da Era de Peixes para a Era de Aquário acompanha-se de terríveis convulsões, mas também de sublimes promessas. Cronos, O Senhor dos Ciclos, redistribui as cartas, e os trunfos marcados escapam das mãos dos trapaceiros" (Guy Tarade)



"Pássaros/insetos se movimentando através do campo focal das câmeras de vídeo não são UFOs". Claro que não - e até qualquer criança sabe disso. Mas.... Só faltava mesmo essa! O documento acima, de origem por nós desconhecida, é mais uma tentativa de desacreditar o fenômeno OVNI - e por sinal através de um argumento bastante pífio! Intitulado BLURFOS, um neologismo composto pelas palavras inglesas BLUR = borrão, mancha, nódoa, e UFOS = Unidentified Flying Objects, ele tenta nos convencer que as imagens dos chamados Discos Voadores nada mais seriam que...... IMAGENS BORRADAS DE PÁSSAROS EM MOVIMENTO!!! O que diz aí em cima, resumidamente, é que um pássaro se movimentando diante de uma câmera de vídeo, fora de foco e a curta distância, apareceria como uma grande mancha, borrada e distorcida, tal como um UFO! E da mesma forma, até um simples INSETO "voando rapidamente" (???) poderia assim ser confundido, "tornando-se um Disco Voador". Só pode mesmo se tratar de uma brincadeira, aliás de muito mau gosto - e além de tudo uma fracassada tentativa de subestimar a inteligência alheia.


Veja por exemplo este bizarro "pássaro", fotografado não a curta distância, porém bem afastado, e tire a suas próprias conclusões. Foto, por sinal, bem recente - tomada em 15 de janeiro de 2004, sobre uma linha férrea em Portugal.


E que tal este outro, perseguindo, aqui mesmo no Brasil, um avião da EMBRAER (Empresa fabricante de aviões) quando realizava um vôo de testes?


E ainda este que, em vertiginosa manobra ascendente, quase colidiu com um planador nos céus norte-americanos?


E agora, à curta distância, temos outro exemplar. E que "pássaro borrado" mais maroto seria mesmo este?


Outro bastante próximo e que vem definitivamente derrubar a absurda tese dos BLURFOS. Esta foto foi tomada em pleno espaço sideral, na região compreendida entre a Terra e o Sol, pelo módulo SOHO, lançado em parceria da NASA com a ESA - Agência Espacial Européia. E que tipo exatamente de"pássaros" voaria no vácuo interestelar, sem gravidade e sem oxigênio? Diante disso tudo, chegou a nossa vez de dizer com todas as letras: - BLURFOS não existem! Porém, quanto aos UFOs, e muito antes pelo contrário, jamais se poderia dizer o mesmo!


Daqui a pouco, os "explicadores do inexplicável" vão também afirmar que os famosos Crop Circles, os quais surgem repentinamente no solo do nosso planeta, nada mais seriam do que "excrementos de pássaros"! Era mesmo só o que estava faltando!


Da mesma forma que os negadores insistem em repudiar tudo aquilo que é redundantemente óbvio. Algo que por sinal não mais produz resultados eficazes. Ninguém aceita contra-verdades sem questionamentos, como ocorria outrora! E apesar "deles" - e para total desespero "deles" - o nosso planeta ainda nos traz surpresas tão inexplicáveis quanto os misteriosos UFOs. E antes que certas coisas possam ser convenientemente abafadas, por vezes a Imprensa honesta e descompromissada com a grande conspiração, sempre investigativa e alerta, chega na frente e documenta algumas coisas verdadeiramente fantásticas. Observe bem este desconhecido animal marinho, objeto da notícia acima cuja tradução foge aos nossos modestos conhecimentos. A foto, porém, por si só, é bastante explícita, dispensando, portanto, maiores comentários.


A não ser uma aproximação maior para que possamos melhor visualizá-la. E que "raios" de coisa seria mesmo essa?


Pergunta que também (e muito adequadamente, por sinal) se aplicaria ao famoso animal predador desconhecido, popularmente chamado de Chupacabras que, vindo sabe-se lá de onde, dizima os nosos rebanhos e também aniquila os seres humanos que cruzam os seus caminhos. Alguns deles morrem no nosso mundo (dizemos isso simplesmente porque NÃO EXISTE NA TERRA coisa semelhante) ou são abatidos por ruralistas - assim como esta impressionante carcaça da criatura mostrada nas fotos.


Nestes modernos tempos do Século XXI, dotados de outras mentalidades que não as ultrapassadas e dogmáticas do passado, não adianta mesmo esconder mais nada! O mar, como já vimos, tem muitas surpresas para nos revelar. O temido tubarão, considerado a fera dos mares, é um animal tão predador e terrível que por vezes pode deixar o mar e se aventurar quilômetros adentro dos rios e lagos em busca das suas presas. Contudo, apenas UM tipo deles tem o organismo compatível para realizar tais incursões - precisamente a perigosa espécie denominada "tubarão cabeça-chata". Qualquer outra espécie dos tubarões sucumbiria na água doce. Já foram relatadas, em várias partes do mundo, inúmeras mortes e as mais horríveis mutilações das populações ribeirinhas, invariavelmente causadas por "um monstro desconhecido". Tais ocorrências (duas delas famosas no ano de 1916 em Nova Jérsei, EUA), são, atualmente, mais freqüentes nos rios do Japão e da Índia. Justamente por isso, e devido às suas peculiares características, o tubarão cabeça-chata como sempre - e vulgarmente se diz - "paga o pato", levando a culpa por essas inexplicáveis tragédias, uma vez que as (poucas) vítimas sobreviventes sempre relatam que"não puderam ver" o que violentamente as atacou e mutilou, sempre por baixo, furtivamente e protegido pelas escuridão das águas. Essas mutilações em muito se assemelham com aquelas causadas pelos tubarões, porém um tanto ou quanto diferentes.... Como que causadas por AFIADAS GARRAS! Mas será mesmo que o temido predador marinho teria alguma culpa nisso tudo?


Pode ser que NÂO! A carcaça da horrenda criatura que você vê nesta outra imagem, era, até bem pouco tempo atrás, uma figura folclórica, considerada como um simples lenda nas antigas tradições japonesas. O monstro chama-se KAPPA, ou ainda "O vampiro das águas", e viveria nos rios, lagos, e até nos mares, vindo à tona de vez em quando para sugar fluídos e devorar órgãos internos (notadamente sangue e os fígados) de animais e seres humanos. Algo assim como uma perigosa espécie de Chupacabras aquático!


Pois é, devemos tomar muito cuidado onde colocamos os nosso pés, uma vez que coisas absurdamente perigosas e desconhecidas também rastejam e espreitam nos lugares mais inusitados! Em 2004, nos escuros subterrâneos da cidade de Sorocaba, Estado de São Paulo, Brasil, um funcionário do sistema de manutenção de águas pluviais daquela cidade foi atacado e gravemente ferido no fundo de um bueiro por essa coisa. Com 60 centímetros de comprimento e pesando cinco quilos, os biólogos que examinaram tal bizarra criatura classificaram-na como "uma espécie desconhecida da ciência, ou mesmo uma mutação genética de um animal menor".


Uma outra imagem da estranha criatura, que foi morta pelos atônitos empregados da empresa oficial de manutenção de águas de Sorocaba, logo após o ataque ao colega de trabalho, socorrido no hospital local. Que coisa seria mesmo essa? (FOTOS: especial cortesia do nosso estimado visitante Caio L. Wauki)


Fora essas coisas bizarras, temos ainda uma infinidade de inusitadas múmias, sempre muito bem escondidas dos olhares do público, uma vez que contrariam tudo aquilo que se conhece e se ensina nas escolas e nas universidades. Múmias de criaturas humanóides, totalmente divergentes dos convencionais padrões terrestres - assim como a da foto acima, encontrada no Egito - provando que o nosso planeta tem sido, de fato, visitado por seres alienígenas desde as mais longas e remotas eras!


Assim como veladamente circulam nas nossas ondas de rádio e TV certas coisas que jamais fizeram parte das programações e das emissões das nossas redes de comunicação em geral. Observe com bastante atenção esta foto que nos foi enviada por um visitante, mostrando algo insólito que surgiu, bem na tela de um televisor, quando da revelação da película fotográfica.....


.... De fato meio confuso de se interpretar, não? Contudo, por sua vez, o negativo daquela imagem nos mostra, agora e claramente, a tradicional figura de umalien humanóide da tipologia "gray"! Não é mesmo chocante?


E por falar nisso, que tal dar uma olhada mais atenta na própria imagem de fundo desta página? Repare no detalhe, acima destacado, da figura mostrada na página anterior relativa a um dos chamados "Bigfoots" que assombram as florestas de várias partes do planeta. Certamente, você lembra que levantamos suspeitas quanto à estranha luminosidade azulada do seu "rosto", não é mesmo? Pois é! Parece, de fato, o reflexo de um capacete - talvez um hábil disfarce para criaturas alienígenas desconhecidas livremente circularem no nosso mundo. Porém, olhe principalmente para a direção DAQUILO que está por trás do tal "Bigfoot"....


Isso mesmo! A fantasmagórica figura de um "gray", tal como um sinistro camaleão habilmente camuflado entre as folhagens! E note os detalhes do seu braço e da mão!


Bizarro, não? Mas aqui está uma nova foto do colossal esqueleto gigante encontrado em escavações de uma empresa petrolífera - precisamente a ARAMCO - no Deserto Arábico, região denominada RAB-UL-KHAALEE! Compare o tamanho do imenso crânio e da ossatura em geral com o porte do operário que está ao seu lado! Note-se ainda que o gigante teve que ser deslocado e movimentado através de vários calços, formados por enormes troncos de árvores (veja na parte superior da foto). E quando esta foto correu o mundo, logo apareceram os tradicionais negadores e os seus invariáveis aliados, os prestidigitadores da verdade, dizendo que tudo se tratava de uma simples fraude - o que pode ser prontamente contestado diante das gritantes evidências mostradas pela imagem. O fato é que autoridades militares sauditas, além de equipes científicas, imediatamente trataram de interditar o sítio dessa sensacional descoberta, impedindo assim qualquer acesso não autorizado. POR QUE, se supostamente isso seria apenas uma "simples fraude"? E se foi mesmo uma "fraude", como popularmente se diz, vá ser bem feita assim lá na China! Esta foto, aliás, teria sido tomada de bordo de um helicóptero das Forças Armadas Sauditas, que, por sinal, fizeram um amplo levantamento aéreo do local! Portanto, não há mesmo mais o que discutir!


Antigos gigantes? Nada de novo sob o Sol! Esta antiga foto, tomada na Irlanda no distante ano de 1850, nos mostra a sensacional descoberta de um incomum esqueleto cuja altura era de 11 pés - nada menos que 3,35 metros!


Seres enormes, enigmáticos, que até mesmo deixaram as indiscutíveis marcas das suas passagens por este nosso pequeno, porém muito misterioso planeta. A enorme pegada humana (?), fossilizada e vista acima, foi encontrada na Austrália - apenas quatro dedos!


O que não é novidade alguma, haja vista que esqueletos gigantes, sempre encontrados em todas as partes deste nosso enigmático mundo, provam que os relatos bíblicos estão cobertos de razão quando, referindo-se ao Genesis, afirmam que "Naqueles tempos havia gigantes sobre a face da Terra"Além de vários deles, sempre bem escondidos nos soturnos e impenetráveis porões de alguns museus e entidades científicas, (cujas fotos, aliás, você já viu em páginas anteriores deste Site) veja também, acima, o resultado comparativo de uma pesquisa efetuada pelo Dr. Joe Taylor, do Mt. Blanco Fossil Museum, mostrando apenas alguns pouco exemplos: figura A o Homem moderno, altura de 6 pés = cerca de 1,80 metro. B = esqueleto encontrado junto com vários outros em 1950, na Turquia, durante a construção de uma estrada no Vale do Eufrates, 15 pés = 4,57 metros. C = esqueleto de alguém chamado Maximinus Thrax Ceaser, que viveu em Roma, 235-238 A.D., 8,6 pés = 2,62 metros. D = Golias, segundo relatos bíblicos, 9 pés = 2,74 metros. E = Rei Og, citado no Deuteronômio, 13 pés = 3,96 metros. F = esqueleto encontrado em 1577 em Lucerne, 19,6 pés = 5,97 metros. G = esqueleto encontrado em 1456, Valência, 23 pés = 7 metros. H encontrado em Chaumont, França, 25,5 pés = 7,80 metros. I = Colossal exemplar encontrado por exploradores Cartagineses entre 200-600 Antes de Cristo, 36 pés = 10,97 metros! Acreditamos, todavia, a julgar pela impressionante imagem da foto anterior, que aquele outro, recentemente escavado no Deserto Arábico, seja mesmo o maior de todos - algo até hoje jamais encontrado!


Gigantes e mais gigantes, cujas impressionantes imagens estão até mesmo estampadas em montanhas inteiras - como, por exemplo, é o caso de TODA a Cidade do Rio de Janeiro, onde a sempre insistente figura do HOMEM-DEITADO se faz presente através de várias outras bizarras esculturas. Nesta nossa foto, uma imagem do Morro do Corcovado, visto da Lagoa Rodigo de Freitas - marco divisor entre as zonas Sul e Norte da cidade.


Começamos, então, a formar uma pálida idéia daquilo que bem poderia explicar a enigmática existência - em quase todos os países do nosso globo - das enormes montanhas sempre misteriosamente trabalhadas sob a forma de rostos e gigantes-deitados. O da foto acima, situado em Granada, Espanha, é apenas um exemplo típico desse atordoante enigma, presente, como já vimos, até mesmo aqui no Brasil. COMO, então, poderiam ter sido assim moldadas montanhas inteiras, em um passado remotíssimo, por vezes transportando-se enormes rochas através de longas distâncias, teoricamente sem quaisquer tipos de tecnologias disponíveis? Seriam obras dos antigos gigantes? Pode até ser que.... SIM! Algo que soaria fantástico em demasia? Claro, E POR QUE NÃO?






Inversão dos Polos Magnéticos já aconteceu antes…



A Inversão dos Pólos Magnéticos da Terra já aconteceu antes… Há cerca de 12 mil anos. O Enigma dos Mamutes da Sibéria. 


 Os mamutes congelados da Sibéria é um dos mistérios que continuam desafiando a ciência moderna que, baseada em meras teorias faz algumas especulações razoáveis e admite que a solução desse enigma pode contribuir para desvendar diversos outros fatos inexplicáveis e ainda mais nebulosos da história do planeta terra.


Em 1900, nas margens do rio Beresovska, na Sibéria Setentrional, na Rússia, se encontrou o primeiro exemplar conservado de mamute em meio à lama congelada…




Por Roberto Pereira, trecho extraído do livro “Grandes Enigmas da Humanidade 
 O fato em si não era inteiramente novo, já que antes tinham sido encontrados restos congelados de outros animais antigos. Mas nunca um exemplar tão grande, e em tão bom estado de conservação. Além disso, aquele mamute morrera de pé e tinha ainda restos de capim entre os dentes! Se morrera comendo, como ficara de pé? E por que não cuspira o alimento nos estertores de sua agonia? 
Naquela época a ciência já sabia que os mamutes tinham desaparecido da face da Terra há, pelo menos, 10 mil anos e, logo, diversas expedições acorreram ao local para examinar o estranho achado. Descobriram que, apesar da idade, a carne do mamute estava ainda tão bem conservada que cães e lobos disputavam seus pedaços. A primeira explicação apresentada pelos cientistas foi de que o animal afundara no gelo, morrendo assim quase instantaneamente. Mas não havia nem jamais houvera geleiras naquela região da Sibéria: apenas neve durante o inverno. Neve que se derrete na estação quente. A outra teoria afirmando “que o animal morrera afogado” também não foi aceita. Se tivesse se afogado, ele, certamente, cuspiria os ramos encontrados na sua boca e nunca teria ficado de pé e haveria água em seus pulmões. 

Finalmente, outros cientistas levantaram a teoria de que aquele mamute ficara preso no barro pegajoso e afundara lentamente de pé, até ser coberto pela neve e pela lama gelada. Mas um exame mais detalhado do solo provou que naquela região jamais houvera camadas de lama elástica, capazes de prender, até a morte, um gigantesco mamute de quase dez toneladas. Havia ainda outro problema: o alimento encontrado na boca do animal incluía delicados carriças, capim e ranúnculos, que só vicejam, hoje em dia, muito mais ao sul. Tudo aquilo junto formava um respeitável quebra-cabeça cientifico, para o qual durante muitos anos, dezenas de sábios eruditos  não conseguiram nenhuma explicação satisfatória. Afinal, seria ilógico admitir que o pesado animal interrompera sua refeição e correra depois centenas de quilômetros para o Norte, com o capim na boca, para morrer congelado de repente, de pé. 
Poucos mistérios desafiam tanto a argúcia dos sábios como a morte instantânea dos mamutes da Sibéria, por congelamento, ainda enquanto se alimentavam com capim fresco.

A Ciência Oficial se apóia em fatos provados, mas quando eles não existem, ela costuma montar teorias completas sobre frágeis indícios indiretos, e sobre a lógica também. Seria mais lógico admitir, por exemplo, que aquele tipo de capim crescera outrora naquela mesma região, e que o mamute morrera e fora congelado de repente – quase que instantaneamente -, enquanto pastava. Os anos foram passando e outros animais congelados foram sendo encontrados na Sibéria, com sinais claros de morte instantânea por congelamento e sem sinais visíveis de violência. Todos eles haviam sido congelados. O problema era saber como. 
Em qualquer processo de congelamento de carne é necessário que a queda de temperatura seja acentuada e muito rápida, caso contrário se formam grandes cristais de água nas células – o que provocaria desidratação que estragaria a carne em pouco tempo. Para se congelar uma galinha ou um peru, por exemplo, a -40 ºC,  são necessários 20 minutos; e pelo menos meia hora para se congelar meio boi.  Um animal do porte  de um mamute, quase duas vezes o tamanho de um elefante atual, teria que ser congelado a -100 ºC , em poucos minutos, para que sua carne ainda pudesse ser comida pelos cães, 10 mil anos depois. 
Só havia um problema: O exame do exemplar congelado do rio Beresovka mostrou que o animal comera pequenos ramos de floridos, pouco antes de morrer. Grande quantidade de vegetal foi encontrada intacta, ainda não digerida, em seu estômago. E sabe-se que tais plantas não crescem onde a temperatura é inferior a -5 º Celsius. A única explicação satisfatória seria a morte instantânea dos animais, devido a um súbito rebaixamento da temperatura da Sibéria. E tanto o exame da carne do mamute como a analise dos vegetais que comera provou, sem sombra de duvidas, que tal catástrofe ocorrera em 10.000 anos a.C.(época do dilúvio de Noé). 

Nos últimos trinta anos, numerosos cientistas russos viajaram até a região do rio Beresovska, em busca de novos indícios. E hoje se aceita, como a mais provável, a tese levantada por Immanuel Velikovski de que somente uma súbita mudança na inclinação do eixo de rotação da Terra poderia causar fenômenos meteorológicos capazes de explicar a repentina morte dos mamutes siberianos (e nós estamos próximos de nova mudança dos pólos magnéticos do planeta e com as suas conseqüentes catástrofes naturais). 
Segundo alguns astrônomos, baseado em simulações em computador, somente a força eletromagnética de algum astro errante, um grande planeta ou uma pequena estrela (uma do tipo Anã Marrom-Brown Dwarf) passando através do sistema solar e suficientemente próximo da Terra poderia mudar o eixo de rotação terrestre. 
Isso certamente provocaria marés no magma interno da Terra, abalando a fina crosta sólida do nosso mundo – de 30 a 90 km de espessura. Os vulcões, situados quase todos na zona equatorial, entraram em erupção, arremessando lava, pedras e, principalmente grandes quantidades de poeira superaquecida, se elevaria até a estratosfera. Depois, seguindo o movimento normal dos ventos, essa poeira dirigir-se-ia, espiralando, rumo aos pólos. O frio das grandes altitudes as congelaria e, quando ela atingisse a Sibéria, mergulhando rumo ao solo, poderia perfeitamente estar a mais (nesse caso, apesar da redundância é menos) do que –100º Celsius. (Esse efeito de congelamento instantâneo foi muito bem demonstrado no filmeThe Day After Tomorrow”(O Dia Depois de Amanhã)
O quadro fica, então mais fácil de imaginar. Chegando às regiões setentrionais (norte) do planeta a poeira congelante subitamente escurece o sol. Os animais, que naquela época pastavam nas planícies verdejantes do Alasca, do Norte do Canadá e da Sibéria, olham espantados para a noite que chega de repente. E pouco depois são atingidos pelos ventos super gelados provocados pelas poeiras vulcânicas que cai do céu. Os animais sentem o ar frio queimar seus olhos e pulmões, e em segundos estão mortos enrijecidos nas posições em que estavam. Horas depois o vento diminui, mas durante semanas cai do céu poeira e neve que, lentamente, recobre os corpos congelados dos animais que, como estátuas geladas, acabam sendo totalmente cobertas por uma densa camada de neve e gelo. 

A súbita mudança do eixo da Terra alteraria também o clima da Sibéria e de outras regiões do planeta,– e isso ajudaria a conservar praticamente intactos, os animais durante os milênios seguintes. Velikovski aponta outros indícios dessa mesma catástrofe como  à súbita mudança no clima do Alasca, o secamento do grande lago que existe onde hoje é o deserto do Saara e a abertura do estreito de Gibraltar, que provocou o alagamento da região mediterrânea pelas águas do Atlântico. 
Tudo isso, acreditam muitos cientistas, ocorreu mais ou menos em torno de 10.000 a.C. (n.T. exatamente em 10.986 a.C. e provocou o afundamento final de Atlântida em um ÚNICO DIA) Velikovski acredita que todos esses fatos se explicam pelo mesmo fenômeno cataclísmico, o da inversão dos Pólos Magnéticos do planeta. Esses são os fatos. Essas são as hipóteses. No entanto, mesmo com os recursos da ciência moderna, não existem ainda meios para unir todos esses indícios numa única teoria à prova de qualquer duvida. Mas alguns cientistas acreditam que estão na pista certa. E outros ainda mais ousados, chegam a levantar a hipótese de que se algum dia existiu o continente da Atlântida, ele teria afundado naquela mesma época e pela mesma razão. Assim, enquanto na Sibéria morriam os derradeiros gigantes da pré-história terrestre, no Atlântico afundava o continente onde, segundo Homero (e Platão), existiu a mais brilhante das antigas civilizações da Terra.
Fontes
1. Velikovski, Manuel – Mundos em Colisão,  – Edições Melhoramentos
2. Pereira, Roberto e Lisboa, Carlos Luiz – Grandes Enigmas da Humanidade – Editora Vozes de Petropolis
3. Heuvelmann, Bernard – Sur la piste des Betes Ignorées – Edição de librarie Plon, Paris 

A inversão dos pólos está acontecendo. E rápido.


Os pólos magnéticos podem estar se invertendo mais rápido do que se esperava. O pequisador Mr. Maverick Star percebeu que o pólo norte se moveu 161 milhas em apenas 6 meses. Neste ritmo, o pólo norte estará na Sibéria em menos de dois anos. Ele prevê que, neste momento, os pólos devem sofrer uma brusca inversão, cruzando a Linha do Equador. Isso vem depois das notícias do aparecimento de buracos no campo magnético terrestre e da mudança de pistas do Aeroporto de Tampa, na Flórida, em resposta à mudança do pólo magnético.
A aceleração fica clara quando consideramos que, no início dos anos 1900, o pólo norte se deslocava a uma velocidade de 15 km/ano. Depois, em 2007, verificou-se que a velocidade era de 55 km a 60 km/ano. E, agora, parece que aumentou de novo.
Pólo norte está se movendo mais rápido.


Pólo sul também está se deslocando.


Gráfico mostra aceleração da mudança dos pólos.
Efeitos da inversão magnética.
style="line-height: 24.375px;">As consequências de uma nova inversão dos pólos podem ir de um tilte geral em satélites desordenando toda a vida nas cidades, migrações desnorteadas de animais, enfraquecimento do campo magnético terrestre (que é o que evita que sejamos torrados pela radiação solar) até deslocamentos continentais, tsunamis e outras hecatombes. Há quem diga que extinções anteriores podem ter sido causadas pela inversão magnética, apesar de que o Homus erectus, por exemplo, sobreviveu a isso.


Até hoje, não se identificaram as causas das inversões magnéticas, mas as teorias vão desde movimentações no núcleo terrestre até a passagem de um corpo celeste como Nibiru.



Grupo Bilderberg, reunião entre 11 e 14 de junho, na Austria


O site oficial do Grupo Bilderberg publicou a lista de participantes completa e a agenda para a conferência deste ano. 


Como sempre, a lista de tópicos a ser discutido é tão vago quanto a ser quase sem sentido. O site Infowars terá cobertura completa da agenda detalhada do Grupo Bilderberg mais tarde e para o resto da semana.


Como sempre, os participantes destes encontros são de um grupo diversificado de líderes políticos e especialistas da indústria, finanças, meio acadêmico e da mídia foram convidados (membros da tão comentada “elite” do planeta).

A 63ª  conferência do Grupo Bilderberg acontece entre os dias 11-14 de Junho de 2015, em Telfs-Buchen, Áustria muito próxima do local de encontro dos líderes do Grupo dos sete, o G-7, que aconteceu na Baviera, sul da Alemanha.
Telfs-Buchen, 08 de junho de 2015  – A 63ª  conferência do famigerado Grupo Bilderberg está programada para acontecer entre os dias 11 e 14 de Junho de 2015, em Telfs-Buchen, Áustria. Um total de cerca de 140 participantes de 22 países já confirmaram presença.
Local da Reunião do Grupo Bilderberg 2015, em Telfs-Buchen-Áustria, no Interalpen Hotel Tyrol

Como sempre, os participantes destes encontros são de um grupo diversificado de líderes políticos e especialistas da indústria, finanças, meio acadêmico e da mídia foram convidados (membros da tão comentada “elite” do planeta). A lista de participantes está disponível no site do grupo: www.bilderbergmeetings.org  
Os temas-chave para discussão este ano incluem:
  • Inteligência Artificial
  • Cibersegurança
  • Ameaças Armas químicas 
  • Questões Econômicas Atuais
  • Estratégia Europeia
  • Globalização
  • Grécia
  • IRÃ
  • Oriente Médio
  • OTAN
  • Rússia
  • Terrorismo
  • Reino Unido
  • EUA
  • Próximas Eleições (2016) presidenciais nos EUA
Fundada em 1954, a conferência do Grupo Bilderberg é uma reunião anual destinada a promover o diálogo entre a Europa e a América do Norte. Todos os anos, entre 120-150 líderes políticos e especialistas da indústria, finanças, meio acadêmico e da mídia são convidados a participar da conferência. Cerca de dois terços dos participantes vêm da Europa e do resto da América do Norte; cerca de um terço da política e do governo e o resto de outros campos de atuação.
A conferência é um fórum para discussões informais sobre as principais questões que o mundo enfrenta. As reuniões são realizadas sob a Chatham House Rule, que afirma que os participantes são livres para usar as informações recebidas, mas nem a identidade nem a afiliação dos palestrantes, nem de qualquer outro participante pode ser revelada.
Local da Reunião do Grupo Bilderberg 2015, em Telfs-Buchen-Áustria, no Interalpen Hotel Tyrol, é vigiado em regime de Lei Marcial.

Graças à natureza privada da conferência, os participantes não estão vinculados pelas convenções de seu escritório ou de posições pré-acordadas. Como tal, eles podem ter tempo para ouvir, refletir e coletar insights. Nenhum resultado é buscado, não há minutos contados e nenhum relatório é escrito. Além disso, nenhuma resolução é proposta, nenhuma votação é efetuada, e nenhuma declaração política é emitida para a imprensa e o público em geral.



Telfs-Buchen, Áustria 11-14 junho 2015
Lista final de participantes
Presidente
Castries, Henri deChairman and CEO, AXA GroupFRA
Achleitner, Paul M.Chairman of the Supervisory Board, Deutsche Bank AGDEU
Agius, MarcusNon-Executive Chairman, PA Consulting GroupGBR
Ahrenkiel, ThomasDirector, Danish Intelligence Service (DDIS)DNK
Allen, John R.Special Presidential Envoy for the Global Coalition to Counter ISIL, US Department of StateUSA
Altman, Roger C.Executive Chairman, EvercoreUSA
Applebaum, AnneDirector of Transitions Forum, Legatum InstitutePOL
Apunen, MattiDirector, Finnish Business and Policy Forum EVAFIN
Baird, ZoëCEO and President, Markle FoundationUSA
Balls, Edward M.Former Shadow Chancellor of the ExchequerGBR
Balsemão, Francisco PintoChairman, Impresa SGPSPRT
Barroso, José M. DurãoFormer President of the European CommissionPRT
Baverez, NicolasPartner, Gibson, Dunn & Crutcher LLPFRA
Benko, RenéFounder, SIGNA Holding GmbHAUT
Bernabè, FrancoChairman, FB Group SRLITA
Beurden, Ben vanCEO, Royal Dutch Shell plcNLD
Bigorgne, LaurentDirector, Institut MontaigneFRA
Boone, LaurenceSpecial Adviser on Financial and Economic Affairs to the PresidentFRA
Botín, Ana P.Chairman, Banco SantanderESP
Brandtzæg, Svein RichardPresident and CEO, Norsk Hydro ASANOR
Bronner, OscarPublisher, Standard VerlagsgesellschaftAUT
Burns, WilliamPresident, Carnegie Endowment for International PeaceUSA
Calvar, PatrickDirector General, DGSIFRA
Castries, Henri deChairman, Bilderberg Meetings; Chairman and CEO, AXA GroupFRA
Cebrián, Juan LuisExecutive Chairman, Grupo PRISAESP
Clark, W. EdmundRetired Executive, TD Bank GroupCAN
Coeuré, BenoîtMember of the Executive Board, European Central BankINT
Coyne, AndrewEditor, Editorials and Comment, National PostCAN
Damberg, Mikael L.Minister for Enterprise and InnovationSWE
De Gucht, KarelFormer EU Trade Commissioner, State MinisterBEL
Dijsselbloem, JeroenMinister of FinanceNLD
Donilon, Thomas E.Former U.S. National Security Advisor; Partner and Vice Chair, O’Melveny & Myers LLPUSA
Döpfner, MathiasCEO, Axel Springer SEDEU
Dowling, AnnPresident, Royal Academy of EngineeringGBR
Dugan, ReginaVice President for Engineering, Advanced Technology and Projects, GoogleUSA
Eilertsen, TrinePolitical Editor, AftenpostenNOR
Eldrup, MereteCEO, TV 2 Danmark A/SDNK
Elkann, JohnChairman and CEO, EXOR; Chairman, Fiat Chrysler AutomobilesITA
Enders, ThomasCEO, Airbus GroupDEU
Erdoes, MaryCEO, JP Morgan Asset ManagementUSA
Fairhead, RonaChairman, BBC TrustGBR
Federspiel, UlrikExecutive Vice President, Haldor Topsøe A/SDNK
Feldstein, Martin S.President Emeritus, NBER;  Professor of Economics, Harvard UniversityUSA
Ferguson, NiallProfessor of History, Harvard University, Gunzberg Center for European StudiesUSA
Fischer, HeinzFederal PresidentAUT
Flint, Douglas J.Group Chairman, HSBC Holdings plcGBR
Franz, ChristophChairman of the Board, F. Hoffmann-La Roche LtdCHE
Fresco, Louise O.President and Chairman Executive Board, Wageningen University and Research CentreNLD
Griffin, KennethFounder and CEO, Citadel Investment Group, LLCUSA
Gruber, LilliExecutive Editor and Anchor “Otto e mezzo”, La7 TVITA
Guriev, SergeiProfessor of Economics, Sciences PoRUS
Gürkaynak, GönençManaging Partner, ELIG Law FirmTUR
Gusenbauer, AlfredFormer Chancellor of the Republic of AustriaAUT
Halberstadt, VictorProfessor of Economics, Leiden UniversityNLD
Hampel, ErichChairman, UniCredit Bank Austria AGAUT
Hassabis, DemisVice President of Engineering, Google DeepMindGBR
Hesoun, WolfgangCEO, Siemens AustriaAUT
Hildebrand, PhilippVice Chairman, BlackRock Inc.CHE
Hoffman, ReidCo-Founder and Executive Chairman, LinkedInUSA
Ischinger, WolfgangChairman, Munich Security ConferenceINT
Jacobs, Kenneth M.Chairman and CEO, LazardUSA
Jäkel, JuliaCEO, Gruner + JahrDEU
Johnson, James A.Chairman, Johnson Capital PartnersUSA
Juppé, AlainMayor of Bordeaux, Former Prime MinisterFRA
Kaeser, JoePresident and CEO, Siemens AGDEU
Karp, AlexCEO, Palantir TechnologiesUSA
Kepel, GillesUniversity Professor, Sciences PoFRA
Kerr, JohnDeputy Chairman, Scottish PowerGBR
Kesici, IlhanMP, Turkish ParliamentTUR
Kissinger, Henry A.Chairman, Kissinger Associates, Inc.USA
Kleinfeld, KlausChairman and CEO, AlcoaUSA
Knot, Klaas H.W.President, De Nederlandsche BankNLD
Koç, Mustafa V.Chairman, Koç Holding A.S.TUR
Kogler, KonradDirector General, Directorate General for Public SecurityAUT
Kravis, Henry R.Co-Chairman and Co-CEO, Kohlberg Kravis Roberts & Co.USA
Kravis, Marie-JoséeSenior Fellow and Vice Chair, Hudson InstituteUSA
Kudelski, AndréChairman and CEO, Kudelski GroupCHE
Lauk, KurtPresident, Globe Capital PartnersDEU
Lemne, CarolaCEO, The Confederation of Swedish EnterpriseSWE
Levey, StuartChief Legal Officer, HSBC Holdings plcUSA
Leyen, Ursula von derMinister of DefenceDEU
Leysen, ThomasChairman of the Board of Directors, KBC GroupBEL
Maher, ShirazSenior Research Fellow, ICSR, King’s College LondonGBR
Markus Lassen, ChristinaHead of Department, Ministry of Foreign Affairs, Security Policy and StabilisationDNK
Mathews, Jessica T.Distinguished Fellow, Carnegie Endowment for International PeaceUSA
Mattis, JamesDistinguished Visiting Fellow, Hoover Institution, Stanford UniversityUSA
Maudet, PierreVice-President of the State Council, Department of Security, Police and the Economy of GenevaCHE
McKay, David I.President and CEO, Royal Bank of CanadaCAN
Mert, NurayColumnist, Professor of Political Science, Istanbul UniversityTUR
Messina, JimCEO, The Messina GroupUSA
Michel, CharlesPrime MinisterBEL
Micklethwait, JohnEditor-in-Chief, Bloomberg LPUSA
Minton Beddoes, ZannyEditor-in-Chief, The EconomistGBR
Monti, MarioSenator-for-life; President, Bocconi UniversityITA
Mörttinen, LeenaExecutive Director, The Finnish Family Firms AssociationFIN
Mundie, Craig J.Principal, Mundie & AssociatesUSA
Munroe-Blum, HeatherChairperson, Canada Pension Plan Investment BoardCAN
Netherlands, H.R.H. Princess Beatrix of theNLD
O’Leary, MichaelCEO, Ryanair PlcIRL
Osborne, GeorgeFirst Secretary of State and Chancellor of the ExchequerGBR
Özel, SoliColumnist, Haberturk Newspaper; Senior Lecturer, Kadir Has UniversityTUR
Papalexopoulos, DimitriGroup CEO, Titan Cement Co.GRC
Pégard, CatherinePresident, Public Establishment of the Palace, Museum and National Estate of VersaillesFRA
Perle, Richard N.Resident Fellow, American Enterprise InstituteUSA
Petraeus, David H.Chairman, KKR Global InstituteUSA
Pikrammenos, PanagiotisHonorary President of The Hellenic Council of StateGRC
Reisman, Heather M.Chair and CEO, Indigo Books & Music Inc.CAN
Rocca, GianfeliceChairman, Techint GroupITA
Roiss, GerhardCEO, OMV AustriaAUT
Rubin, Robert E.Co Chair, Council on Foreign Relations; Former Secretary of the TreasuryUSA
Rutte, MarkPrime MinisterNLD
Sadjadpour, KarimSenior Associate, Carnegie Endowment for International PeaceUSA
Sánchez Pérez-Castejón, PedroLeader, Partido Socialista Obrero Español PSOEESP
Sawers, JohnChairman and Partner, Macro Advisory PartnersGBR
Sayek Böke, SelinVice President, Republican People’s PartyTUR
Schmidt, Eric E.Executive Chairman, Google Inc.USA
Scholten, RudolfCEO, Oesterreichische Kontrollbank AGAUT
Senard, Jean-DominiqueCEO, Michelin GroupFRA
Sevelda, KarlCEO, Raiffeisen Bank International AGAUT
Stoltenberg, JensSecretary General, NATOINT
Stubb, AlexanderPrime MinisterFIN
Suder, KatrinDeputy Minister of DefenseDEU
Sutherland, Peter D.UN Special Representative; Chairman, Goldman Sachs InternationalIRL
Svanberg, Carl-HenricChairman, BP plc; Chairman, AB VolvoSWE
Svarva, OlaugCEO, The Government Pension Fund NorwayNOR
Thiel, Peter A.President, Thiel CapitalUSA
Tsoukalis, LoukasPresident, Hellenic Foundation for European and Foreign PolicyGRC
Üzümcü, AhmetDirector-General, Organisation for the Prohibition of Chemical WeaponsINT
Vitorino, António M.Partner, Cuetrecasas, Concalves Pereira, RLPRT
Wallenberg, JacobChairman, Investor ABSWE
Weber, VinPartner, Mercury LLCUSA
Wolf, Martin H.Chief Economics Commentator, The Financial TimesGBR
Wolfensohn, James D.Chairman and CEO, Wolfensohn and CompanyUSA
Zoellick, Robert B.Chairman, Board of International Advisors, The Goldman Sachs Group
Atualização: A polícia austríaca colocou a pequena comunidade de montanha de Telfs, na Áustria, sob regime de segurança de estilo lei marcial durante a reunião do Grupo Bilderberg: 

A reunião anual do Grupo Bilderberg de 2015, agendada para ter lugar no próximo fim de semana, de 11 a 14 de junho, na Áustria incidirá, pelo menos em parte, sobre as “eleição presidencial nortemericana”, de acordo com um comunicado de imprensa no limitado website público da cabala secreta.
O factóide apareceu junto com uma lista de participantes, um dos quais é Jim Messina do Grupo Messina – que acontece de ser um conselheiro principal para a campanha de Hillary Clinton à presidência. Messina também lidera o super PAC Priorities EUA, que apoiou Obama e agora esta firmemente no apoio dos Clinton.
Messina também liderou a campanha de reeleição de Barack Obama em 2012, e acaba de voltar para os EUA depois de liderar uma vitória surpresa do profundamente impopular primeiro-ministro britânico David Cameron a obter a  maioria nas eleições britânicas. 

Estou voltando para casa amanhã e faremos tudo para eleger Hillary Clinton”, disse Messina no programa “Morning Joe” da MSNBC há cerca de um mês.

Total de visualizações de página

Página FaceBook