BARRA ANIMADA


Translate

SEJA BEM VINDO


BARRA 2


Mensagem


A Frequência Fotônica Pleiadiana e a Nova Era do Fóton


sexta-feira, 3 de julho de 2015

O que Sabemos não é tudo que Existe - Parte 167- SIMILITUDES!



"E, a este ponto da minha teoria, já estou escutando as reclamações: "É impossível! Todos os dados que possuímos sobre a Pré-história concorrem para provar que a civilização humana se desenvolve de modo contínuo, exceção feita de certas lacunas mais ou menos importantes. 
Assim, uma civilização superior ou igual à nossa não poderia, de forma alguma, ter existido em outros tempos". Contudo, é possível. Como raciocinaria, nos nossos dias, uma formiga a que pedissem para descrever o palácio da rainha Semíramis? Que aconteceria amanhã, se uma guerra atômica destruísse o mundo? Deixaria a raça humana algum vestígio na Terra?" (Marcel Homet - Na Trilha dos Deuses Solares)




E aqui está uma impressionante foto da NASA, tomada por sobre a superfície de Marte em um lugar denominado South Candor Chasm. Imponente, não?


Porém, mais imponente ainda se tornará quando rotacionarmos a imagem! A espantosa figura de um personagem dotado de atributos tipicamente "egípcios" - exatamente o toucado, a barba e um símbolo ao alto desse toucado! Na parte superior desse insólito perfil de um rosto, existe ainda algo que lembra a forma de uma múmia!


As semelhanças entre Marte e o Antigo Egito tornam-se simplesmente chocantes. Compare a estátua egípcia de um soberano (acima) com a foto anterior. Praticamente o mesmo simbolismo!


E nesse particular, vale a pena revermos a espantosa foto NASA MO305549, à esquerda, conhecida como "A Nefertiti de Marte", numa alusão à semelhança verificada com uma estatueta da rainha egípcia do mesmo nome, da XVIII Dinastia. Ao seu lado, temos uma representação artística daquilo que muito claramente está estampado no solo do misterioso planeta vermelho!


Aqui, vista por dois ângulos diferentes, uma outra estonteante surpresa existente no avermelhado solo marciano! Há quem acredite se tratar do rosto de umalien humanóide do tipo grey. Contudo, parece-nos a face de uma mulher.


Pólo Norte marciano: uma montanha coberta de gelo nos mostra um outro simbolismo que muito mais tarde também seria utilizado no Antigo Egito: a face de um leão!


A própria NASA denominou essa estranha região Inca City, ou "Cidade Inca", onde, de fato, parece existir ruínas de portentosas edificações!


Há também pirâmides em Marte, em profusão! Na foto acima, uma delas dotada de gigantescas dimensões. Dizem que são montanhas, mas seriam mesmo simples "montanhas"?


Claro que não! Qualquer pessoa dotada de bom senso jamais acreditaria numa falácia dessas. Marte está repleto dos vestígios de uma antiqüíssima e muito evoluída civilização que se extinguiu mediante um horrível cataclismo, o qual varreu todo o planeta, e que muito possivelmente tenha tido alguns dos seus sobreviventes emigrado para um outro planeta mais próximo e mais propício: exatamente A NOSSA TERRA!


Contudo, os inúmeros mistérios não menos intrigantes e muito semelhantes aos do planeta Marte estão mesmo espalhados por todos os países da Terra! Acima, vemos uma estranha montanha situada em Luxor, Egito, moldada sob a forma de uma pirâmide. Tudo nos leva a crer em uma espantosa identidade, existente entre certos monumentos misteriosos do nosso planeta e aqueles outros existentes no chamado planeta vermelho.


Uma paisagem tipicamente marciana? De certa forma, SIM, mas não em Marte propriamente dito. Ela se situa bem ao sul do Egito e foi exatamente onde - há muito tempo antes da própria Civilização Egípcia se constituir - desenvolveu-se uma estranha civilização denominada Meroítica. A misteriosa Meroé (da qual já tratamos neste site), foi, por sinal, classificada pelos arqueológos como o lugar na Terra que mais se assemelha a Marte - não só pela sua superfície arenosa como também pela existência de inúmeras pequenas e não-convencionais pirâmides!


Na foto acima, o chamado "Faraó de Marcahuasi" - Peru, o mesmo local onde inúmeros outros misteriosos rostos e vários símbolos desconhecidos estão desde tempos imemoriais esculpidos nas suas imensas rochas situadas a uma grande altitude.


E uma outra nítida face, dessa feita no Alaska, sobressai em meio à paisagem.


E em um lugar denominado Big Sur, Califórnia, EUA, estranhas estátuas e os seus bizarros rostos contemplam a eternidade. (FOTO: © cjasper.com)


Observe com bastante atenção todos os detalhes dessa foto, também tomada em altas montanhas norte-americanas. Poderia isso tudo ser atribuído à simples "erosão", assim como querem os conformistas?


De maneira alguma! No misterioso Deserto de Atacama, Chile, por exemplo, também existem inúmeros e muito curiosos monumentos rochosos.


Tais como ESTE! (FOTO: © León Calquin)


E é também nas solitárias areias do Atacama que certos simbolismos muito antigos, chamados de "Los Pintados", voltam-se para o céu! Repare bem naquele que está situado na parte superior esquerda, logo abaixo do retângulo: um ser usando um capacete!


"Uma procissão de danados. Com a palavra "danados" quero dizer os excluídos. Há uma enfiada de dados que a Ciência excluiu..... Todas as ciências começam com tentativas de definições. Nada jamais foi definido. Por que nada há para ser definido. Não é possível dar uma definição. Nada jamais foi desvendado inteiramente. Um pesquisador da verdade jamais a descobrirá: mas há uma remotíssima possibilidade que ele mesmo se torne a verdade..... E a Ciência é uma tartaruga que sustenta que a sua casca encerra todas as coisas"
(Charles Fort - O Livro dos Danados)


Vamos, então, enxergar o lado de fora da casca da tartaruga! Assim,, será na vastidão sepulcral e milenar do Atacama vista por intermédio das lentes de um satélite é que iremos encontrar uma outra estonteante e muito reveladora surpresa.....


Precisamente ESTA! Os nítidos contornos de uma estranha criatura, aparentemente "feminina"! Aqui encontramos uma outra notável e muito chocante similitude. Observe bem o ornato na cabeça da estranha personagem. Diferente, não?


Observe-o bem no negativo. É, da fato, algo diferente.....


..... Sim, porém não inteiramente desconhecido! Na foto, a deusa egípcia Selkit, representada nessa estátua que guardava a tumba do faraó Tutankamon, da XVIII Dinastia. Compare o seu estranho ornato de cabeça com o que é mostrado na foto anterior. Todas as pistas, todas as similaridades, nos levam forçosamente ao Egito!


E no vasto Deserto chileno do Atacama, viveu há muito tempo uma antiga civilização conhecida como "Civilização Atacamenha", a qual se extinguiu deixando, porém, inúmeros e valiosos vestígios arqueológicos que marcaram a sua presença - hoje todos eles reunidos em um único museu......


Vestígios De UMA OUTRA CIVILIZAÇÃO, MUITO MAIS ANTIGA DO QUE ELA, da qual foram herdados alguns costumes - como por exemplo a ciência da mumificação ritual, tal como viria muito mais tarde a ser empregada no Antigo Egito e preferencialmente reservada às classes superiores (foto).


Estonteante! Uma velhíssima civilização que se espalhou pelo mundo, vinda sabe-se lá de onde, e que se notabilizou por deixar nas eternas rochas as impressionantes marcas da sua passagem. E isso verdadeiramente em todos os quadrantes deste nosso pequeno globo! Nas montanhas africanas, por exemplo, temos novamente a imponente figura do leão que parece montar guarda à inóspita paisagem!


E ainda nas montanhas africanas, quantas faces bizarras você conseguiria identificar nessa outra imagem?


Zimbabwe, também no continente africano. Desde tempos imemoriais e esquecidos, essas outras curiosas esculturas espreitam na paisagem hostil e deserta!


Aqui, uma outra delas. E não venham os céticos nos dizer que isso é obra da erosão!


Alemanha, a luz do luar banha a face pétrea de um estranho personagem que fita o horizonte!


Virginia, EUA. Dispensa maiores comentários, não? Como se poderia negar uma evidência tão clara quanto esta?


Monte Tampalk, Califórnia, EUA. Essa antiga foto nos mostra outra coisa bastante estranha. E aqui a danada da "erosão" ainda se deu ao luxo de construir.... Uma escadaria de acesso ao insólito rosto!!! Trata-se de uma imagem muito antiga e não se sabe se esse curioso monumento ainda se acha preservado.


E que "erosão" mais inteligente seria mesmo essa, não? Esse outro rosto se situa em Wiscosin, EUA. Note-se o seu ornato de cabeça, também claramente esculpido e literalmente montado na rocha bruta!


Big Bell Lake, ainda nos EUA. A legenda dessa outra velha foto nos diz que estamos vendo a imagem esculpida na rocha de "O Velho Homem".


Também no Arizona, duas majestosas figuras pétreas destacam-se em meio à paisagem. Não é, de fato, extremamente chocante?


Porém, muito mais chocante ainda é isso: na Inglaterra os restos de uma antiqüíssima e além de tudo colossal estátua de origem desconhecida, contemplam a paisagem que se mantém inalterada desde os tempos da Pré-história! Note-se ainda que ela esteve baseada em uma edificação circular como suporte. Mal comparando, tratava-se de algo assim como a Estátua da Liberdade nos dias de hoje! (FOTO: © Walking Britain)


Pois é. Se levarmos em conta os teóricos do conformismo, os quais sempre e teimosamente se recusam a admitir o óbvio, também teríamos que considerar como "erosão" essa gigantesca e moderna estátua de Buda, gravada em relevo em uma montanha da Índia. Fica claro que em TODO monumento existe por trás dele a volição humana - a inteligência que o projetou criou, as mãos diligentes que o elaboraram e as técnicas que o proporcionaram. E quanto a isso não existem meios-termos!


Uma estranha foto de um lugar situado em meio às selvas hostis da Amazônia Brasileira, já nas proximidades com a fronteira da Venezuela, parecendo os contornos de um bizarro rosto esculpido na rocha. Ela foi uma das últimas fotografias tomadas pelo jornalista alemão Karl Brugger - misteriosamente assassinado algum tempo depois na cidade do Rio de Janeiro - o qual estava em busca de três cidades perdidas e fundadas pelos "deuses" chegados do céu há muito milênios atrás! Akahim Akhanis e Akhakor, estes eram os seus nomes, estavam situadas em locais onde até mesmo os índios não se atreviam a ir, justamente por causa das estranhas "maldições" que cercavam esses locais. Brugger estava prestes a alcançá-las quando, de maneira trágica e muito lamentavelmente, levou consigo os seus profundos segredos. Essa imagem, aliás, deve forçosamente nos fazer lembrar de algo......


.... Exatamente DISSO, que, por sinal, já mostramos em uma nossa página anterior. Recentes imagens de satélite tomadas naquela mesma região nos revelaram em meio às impenetráveis florestas esse gigantesco rosto de pedra erigido em toda a extensão de uma alta montanha!.... (FOTO: © Google - Imagery/ DigitalGlobe)


..... Exatamente onde aviões de reconhecimento já haviam localizado uma profusão de imensas pirâmides perdidas em meio às selvas densas e hostis da Amazônia Brasileira! Cidades fundadas pelos "deuses chegados dos céus"..... E tal como no distante planeta Marte, as pirâmides - bem como os estranhos monumentos rochosos - eram, por assim dizer, as "marcas registradas" de tais distantes "deuses" - "deuses" que, segundo os índígenas, reinaram na Terra por durante 3 mil anos e eram capazes de "ver" através de uma certa "pedra" todos os pontos do Universo; praticar uma avançada medicina e (vejam só)TALHAR AS ROCHAS ATRAVÉS DE SEUS RAIOS LUMINOSOS!!!


Aqui, uma foto também tomada por Brugger, mostrando a reprodução de estranhos e desconhecidos caracteres alfabéticos que encontrou nas suas buscas a Akhanis, Akhaim e Akhakor. Um alfabeto muito complexo e além de tudo inexistente em toda a Terra!


Nas suas expedições em busca das cidades perdidas, Brugger se deparou com essas estranhas ruínas, fotografando-as exatamente quando procurava as pistas de Akahim.


E até mesmo se deparou com essa grande pirâmide, já totalmente tomada pela vegetação! Não se sabe precisamente o que Brugger encontrou por lá, uma vez que a morte o ceifou quando se preparava para a expedição final rumo a Akhakor, onde, segundo os índios lhe afirmaram, os "deuses" deixaram há muitos milênios um objeto que voltara a "cantar", prenunciando o retorno deles. As imagens não mentem jamais. Todas as pistas, então, começam maravilhosamente a convergir. Um gigantesco quebra-cabeças pouco a pouco começa a reunir as suas intrigantes peças. Apenas e tão-somente uma simples questão de tempo para que todas elas sejam, enfim, reunidas!


E quer tenham sido esses antigos "deuses" seres extraterrestres, ou originários da perdida Atlântida, ambas as hipóteses se tornam inteiramente válidas. O fato que jamais pode ser negado diante de todas as evidências é que uma velha e muito evoluída cultura espalhou-se pelo mundo deixando as suas marcas por todos os lugares por onde se estabeleceu, ou mesmo passou. Os antigos registros, originários das tradições transmitidas de geração em geração através dos tempos, invariavelmente nos mostram certas cenas que atestam o nosso planeta ter sofrido, em épocas muito remotas, um severo cataclismo causado pela fúria das águas do oceano. Esse relevo Maia é bastante expressivo nesse particular - figurativamente mostrando templos ruindo, pessoas se afogando e sobreviventes escapando!


Como também o Antigo Egito não deixou de registrar isso! Esse imenso relevo nos mostra um personagem bem "diferente" do tipo egípcio convencional, singrando o oceano na sua embarcação. Tudo, portanto, nos leva à perdida Atlântida, muito embora não possamos deixar de reconhecer uma certa influência externa ao nosso planeta. Tudo, então, se torna mesmo como o primeiro mestre do Realismo Fantástico já escrevera na sua obra precursora: - "Uma procissão de danados. Com a palavra "danados" quero dizer os excluídos. Há uma enfiada de dados que a Ciência excluiu..... Todas as ciências começam com tentativas de definições. Nada jamais foi definido. Por que nada há para ser definido. Não é possível dar uma definição. Nada jamais foi desvendado inteiramente. Um pesquisador da verdade jamais a descobrirá: mas há uma remotíssima possibilidade que ele mesmo se torne a verdade".







Total de visualizações de página

Página FaceBook